Saturday, January 01, 2011

Relendo poesia... tertúlia entre amigos...


OJOS DE POETA

“A una ventana de San Telmo”

Mis ojos de poeta son una enredadera
de flores amarillas que trepan tu ventana.
Brillan esas flores cuando tú las miras,
crece la hiedra cuando tú me riegas.
Cuando el viento sopla,
golpea las hojas de tu ventana
y tú no sabes si es el viento que te llama
o son mis ojos que te quieren mirar.
Cuando entra la luz en tu casa,
luce el color de las flores de mis ojos
entre las hojas verdes y se van a los tuyos.
Cuando la lluvia desciende hacía ti,
en ese día gris como una fábrica de grises,
mis ojos de hierba trepadora
atraviesan esa niebla de tú alma
y te iluminan la cara y las manos.
Yo me siento enredadera de flores
amarillas en tu ventana,
y mis ojos son ojos porque tú los miras.
Soy ojos de poeta solo por ti.
(O Amigo Rafael Reyes)

.
CHEGASTE

Chegaste como uma asa...
Homem ou Anjo?
Chegaste como quem chega a casa.
Invadiste o meu céu...
e ele tornou-se teu.
.
Com o teu acalanto,
o teu abraço, o teu encanto...

Envolveste-me nas brumas de
partilhada memória.
Iniciámos a nossa história...
.
E, todo o teu silêncio soou como fados.
Não tristes, não desencantados, não salgados, mas desafios....
Convites a mergulhar em águas com braços envolventes,
irrequietos rios...
De sedução ornamentados.
Passos por paraísos da mente...
suspensos, alados.

Chegaste como vento quente!
Que (des)penteia os meus longos cabelos
Afaga o meu ser, quena ausência te sente!

E o teu nome clama... em murmúrio rouco.
Deixando o meu peito, devontade de ti, quase louco.
Dos meus sonhos fizeste novelos....
E os segredos,
na minha nudez podes vê-los.

Chegaste com o subtil poder
De modificar o meu fugidio ser,
de me encantar e de me envolver.
E, sem que eu o pudesse perceber,
Ou negar, ou não querer...
Ou gritar que sim e te
escolher....

Fizeste-me somente tua, sem te ter.
.
(A amiga Nina Castro)
Lisboa, num momento de puro sentir
(suspenso no tempo...)

207 Comments:

At 9:55 PM, Anonymous Brisa said...

Que hermosas miradas las de ambos poetas Rafa y Nina, me encantan estos versos.. "mis ojos de hierba trepadora atraviesan esa niebla de tú alma y te iluminan la cara y las manos" de Rafa.

Del poema de Nina que me parece también precioso tomaría estos versos..."Chegaste com o subtil poder
De modificar o meu fugidio ser,
de me encantar e de me envolver.
E, sem que eu o pudesse perceber,
Ou negar, ou não querer...
Ou gritar que sim e te
escolher...." de Ni

Y me quedaría con la suma de sus sentimientos.

Gracias por compartirlos Mixtu, un fuerte abrazo sin fronteras para los tres¡

 
At 12:08 AM, Anonymous Niebla said...

Mi más sincera enhorabuena a el/la aut@r de los preciosos poemas.

No sé hacer bellos poemas, te dejo en compañía de uno de mis autores favoritos.

Abrazos.

HOMBRE QUE MIRA A TRAVÉS DE LA NIEBLA

Me cuesta como nunca
nombrar los árboles y las ventanas
y también el futuro y el dolor
el campanario está invisible y mudo
pero si se expresara
sus tañidos
serían de un fantasma melancólico

la esquina pierde su ángulo filoso
nadie diría que la crueldad existe

la sangre mártir es apenas
una pálida mancha de rencor

cómo cambian las cosas
en la niebla

los voraces no son
más que pobres seguros de sí mismos
los sádicos son colmos de ironía
los soberbios son proas
de algún coraje ajeno
los humildes en cambio no se ven

pero yo sé quién es quién
detrás de ese telón de incertidumbre
sé dónde está el abismo
sé dónde no está dios
sé dónde está la muerte
sé dónde no estás tú

la niebla no es olvido
sino postergación anticipada

ojalá que la espera
no desgaste mis sueños
ojalá que la niebla
no llegue a mis pulmones
y que vos muchachita
emerjas de ella
como un lindo recuerdo
que se convierte en rostro

y yo sepa por fin
que dejas para siempre
la espesura de ese aire maldito
cuando tus ojos encuentren y celebren
mi bienvenida que no tiene pausas

Mario Benedetti

 
At 4:50 AM, Blogger El Navegante said...

Al gran poeta Rafael, recién tengo el placer enorme de conocerlo, de disfrutar su arte exquisito, donde sus versos llegan al alma del lector sensible, verdaderamente como una enredadera que no se apartará jamás de su nueva cimiente, asida al mensaje transmitido con tanta sensibilidad e inspiración.
"Se necesitaba - dice la frase popular - tanta agua para apagar tanto fuego".
Yo le agregaría, "se necesitaban tantos versos de elevado talento poetico, para dar curso al de un enamorado del amor".
Mis más sinceras felicitaciones, al autor,a quine ya iré a visitar naturalmente, y a tí, Mixtu, por tu capacidad de saber encontrar las obras y autores dignos de lucirse en esta casa de la cultura, tan especial.

A la dama de Lisboa, le deseo un muy feliz 2007, recordando tantos comentarios que le he dejado en vano.
Nunca obtuve más que un GRACIAS POR LA VISITA, o algo asi.
Aparentemente mis expresiones no fueron comprendidas, mis palabras no desearon ser escuchadas,para qué seguir hablando al aire entonces, si "los suspiros son aire, y van al aire", como decía Bécker.
Me harté de suspirar y de esperar/la.
Lo siento Mixtu, esperO me disculpes esta descarga emotiva de alguien que te consta es muy sensible cuando siente el desprecio gratuito de alguien.
Pero ya ves, el mundo es verdaderamtne un pañuelo, como decimos por aquí, y todos, alguna vez, nos volvemos a encontrar.
Un fuerte abrazo mi querido Amigo, y a tí Poeta, mi más sincero reconocimiento a tu enorme talento.

 
At 11:58 AM, Blogger mixtu said...

Numa manhã soalheira…

Brisa… a minha manhã também tem uma “brisa” de Este…
A poesia... tal como a fazes no teu "rincón" de uma forma que me encanta…
Eu gosto da poesia que não ocupa as “linhas” até ao fim… mas a poesia que se encontra na prosa é verdadeiramente extraordinária…
O Rafael, e adianto que a janela/ventana da amada do poeta tinha uma “hierba trepadora de flores amarillas”, brinca e junta palavras fazendo poesia… em alguém que não se considera poeta… mas quem se considera poeta?
A Nina, prémio Neruda de Poesia na Argentina, não sei se ela se considera poeta… juntará palavras como tantas poetas...
“Fizeste-me somente tua, sem te ter…”
Enigmas… nem vou buscar a chave para o desvendar…
Brisa, “sin fronteras…”

Niebla, um dia apresentaste-me alguns poetas de língua castellana… foi com eles que comecei a gostar da tua língua…
Benedetti… e porque me falaste da sua vida, do amor com a sua companheira… da doença da mulher… a sua escrita e poesia têm uma luminosidade para mim… sem qualquer “niebla”…
Niebla, com o encerramento do outro blog… passa a ser o blog da blogocosa… e que pena ser só para os amigos… outros podiam ser teus leitores… como um dia aconteceu comigo…

El navegante… a navegar en castellano, porém é uma pessoa que fala português e inclusive o mirandês (asseguro-te que não és o único natural do planalto mirandês, yaya,
"Se necesitaba - dice la frase popular - tanta agua para apagar tanto fuego".
Asseguro-te que na Galiza há muita água, só que há muito fogo… e marisco… e acho que também caldo verde… (um aparte, dos muitos, que tenho com o Rafael…)
"comentarios que le he dejado en vano”, aquí te contradigo… os comentários nunca são deixados em vão… a poesia e/ou o feeed/back é feita de palavras, do silêncio que queda entre as palavras e do próprio silêncio…
E a verdade é que a Ni* não comenta na Blogo... e muito raramente prestigia esta minha "pedra no meio do lago" (poesia da Dreams)
"Me harté de suspirar y de esperar/la.”
Esse é o destino do homem… suspirar e esperar pela enamorada… poucos são, como o Rafael, os que miram a amada a uma janela/ventana (já nem falo entrar em casa… pois os pais das meninas desejam que as filhas casem com médicos ou engenheiros para lhes dar uma vida mais desafogada… nunca com pastores… ou pior ainda… com poetas yaya)
Dois beijos e um abraço…

Fui para os copos e mais uma vez não convido ninguém... algo me diz que o vinho da tasca azedou desde que o misturei com poesia... ou então é a velha que o anda a "baptizar"... yaya

 
At 5:13 PM, Blogger Rafa said...

Meu benquerido amigo Mixtu:
Pido desculpas por nao escreber na tua lingua. Tu ja me conheces e sabes dos meus lastimosos intentos por escribir en portuñol (este está a ser un ejemplo óptimo disso). Permiteme hoje expresar o que sinto no idioma no que podo facelo do melhor jeito. Agardo que ti e mais todos os teus amigos e amigas poidan perceber o que quero dicer e desculpen a minha descortesía.


Este poeta que no lo es se emociona con la poesía.
El sentimiento de un hombre no debería vibrar tanto con ninguna otra cosa como con la emoción, esa que sube con ansiedad por el cuerpo e invade el pensamiento.
Si pensabais que no había nada más emocionante que ser reconocido por los demás, que triunfar, que tener éxito en una profesión, que ganar dinero y adquirir con él prestigio,
que tener una vida equilibrada y tranquila, permitidme que os diga que a mí la emoción me llega de otra manera.
Es cierto lo que dice Mixtu, yo no soy poeta ni nunca lo seré. Mi amigo Máximo Ballester, un magnífico poeta argentino, siempre dice que el no sabe si es o no es un poeta, pero que tiene todos los síntomas.
Yo nunca he sido poeta, o mejor dicho casi nunca lo soy, porque es cierto que a veces me siento más poeta que el más grande de ellos y la emoción me arrasa el sentimiento. Eso me sucede cuando me siento enredadera de flores amarillas en su ventana, cuando mis ojos son para verla a ella y cuando ella decide verme con los suyos.
Es en ese sentimiento y en esa emoción que me dan ella y la poesía en el único lugar en donde este aprendiz de todo siente que la vida es un éxito.
Gracias, amigo Mixtu y gracias a todos tus amigos y amigas por leer mi emoción, gracias por confiar en la poesía, gracias por acercarme a mí al poeta que quiero ser, por acercarme a ella y a su ventana.
Un abrazo muy grande a todos.
Rafael

 
At 5:16 PM, Blogger Rafa said...

¡¡Parabens, Nina!!
E unha honra estar junto a voçe neste espaço e tambem na procura daquilo que procuramos e jamais encontraremos, estar junto a voçe na poesía.
Um forte abraço.
Rafael.

 
At 5:32 PM, Anonymous paloma said...

Hay momentos en que las palabras no bastan para expresar los sentimientos…
Hay pequeños detalles que se hacen grandes en el corazón de quien los recibe....
Escucha un eco de felicidad por tan hermosa poesía de Rafael y Ni.
Besos a todos.

Para que tú me oigas
mis palabras
se adelgazan a veces
como las huellas de las gaviotas en las playas.

Collar, cascabel ebrio
para tus manos suaves como las uvas.

Y las miro lejanas mis palabras.
Más que mías son tuyas.
Van trepando en mi viejo dolor como las yedras.

Ellas trepan así por las paredes húmedas.
Eres tú la culpable de este juego sangriento.

Ellas están huyendo de mi guarida oscura.
Todo lo llenas tú, todo lo llenas.

Antes que tú poblaron la soledad que ocupas,
y están acostumbradas más que tú a mi tristeza.

Ahora quiero que digan lo que quiero decirte
para que tú las oigas como quiero que me oigas.

El viento de la angustia aún las suele arrastrar.
Huracanes de sueños aún a veces las tumban.
Escuchas otras voces en mi voz dolorida.
Llanto de viejas bocas, sangre de viejas súplicas.
Ámame, compañera. No me abandones. Sígueme.
Sígueme, compañera, en esa ola de angustia.

Pero se van tiñendo con tu amor mis palabras.
Todo lo ocupas tú, todo lo ocupas.

Voy haciendo de todas un collar infinito
para tus blancas manos, suaves como las uvas.
Neruda

 
At 9:55 PM, Anonymous Anonymous said...

a poesia fala por si,
e mesmo em silêncio,
canta os sonhos e o amor...

chora e sofre,
temperando a existência,
e ao mergulhar a caneta
na lágrima mais sentida,
encanta a vida,
redescobre o amor,
porque precisa viver...

um beijo do meio do lago
s.w.

 
At 10:43 PM, Anonymous Anonymous said...

porque siempre hablas en vino...

el vino es mejor en tu boca
y la noche en tu cuerpo es más corta...

quisiera ser noche en tu piel
y beber de tu boca
la miel del amanecer...

fundirme contigo en las sombras,
hacer un poema de amor,
pensar que fue todo un sueño
y descubrirte otra vez...

un beso
s.w

 
At 12:47 AM, Blogger mixtu said...

Rafa, falamos a mesma fala, a única que conhece a palavra saudade… palavra de marinheiros…

Eu digo o que tu dizes no teu blog… “Yo no soy poeta ni escritor, solo escribo."

"La poesía es para mi una busqueda continua de aquello que nunca encontraré. Nunca seré un poeta y nunca encontraré la poesía.”
Modéstia da tua parte…

“Es en ese sentimiento y en esa emoción que me dan ella y la poesía en el único lugar en donde este aprendiz de todo siente que la vida es un éxito.”

Poesia…

Mas eu questiono… o que é ser poeta… para ser poeta tem que se escrever poesia (questiono)

Hoje, uma amiga disse-me, "O silêncio entre os Seres pode ser um poema divino, acredita!"
Acredito...

E a poesia é palavra, pa-lavra ou pa-la-vra...

Paloma, Neruda… conheci primeiro o carteiro… e tive a curiosidade de conhecer a sua poesia…
O Poeta… en castellano… excelente é que já vi traduções para português… que Deus (se existir) nos acude… como o poema "mujer"

"Ahora quiero que digan lo que quiero decirte
para que tú las oigas como quiero que me oigas.”
Bonito... ou como vosotros dicen: "bonito"

S.W.
أحبك

انا لا تتجاوز أكتب لكم عن الشعر والنبيذ ولا يذهب الى أخطب في
تاسكا... كان المتهم قد تعاطوا قبل الشرب... الرياح أنت...
مناسب لهم ويستحق...

yayaya, a vida é bonita, a poesia é bonita e a lingua árabe... também...
Espero que entendas o clássico, pois só é essa a versão que domino... e como é óbvio... ler da direita para a esquerda...

 
At 4:04 PM, Blogger luci said...

sei e sinto que toda a poesia se tende e se estende em silêncio.

...e talvez, sim, talvez ao vinho, talvez à pele ou aos gestos que não se deixam adivinhar. mas existem. (corridas as cortinas sobre o sonho...)

a poesia é impermanente: um dia gostamos assim, outros doutra forma qualquer...partilhar é belo, mil ecos mais mil.

escrevemos. lemos com as mãos, os olhos, as lágrimas, o riso, as cores. com as flores que galgam janelas. com a espera que sempre esperamos...

e volta sempre o silêncio do sangue. apenas. embalamos as mãos estendidas. e alguma névoa. dos rios por dentro do corpo...

 
At 8:35 PM, Blogger Ni said...

...
Olá!
...

Gostaria de oferecer palavras 'rubras', como flores de afecto, e abraços sem pressa, como dança de enamorados que anulam o tempo, a todas as pessoas que, através de um grande amigo e grande pessoa - MIXTU - me dirigem tanto carinho.

...
Na blogo, talvez só mesmo o MIXTU entenda o meu silêncio, porque sou tímida ao falar de mim... porque é meu amigo e ... contei-lhe sobre as pedras aguçadas como lâminas sobre as quais caminho há 1 ano... com a alma muito magoada.

A ti, MIXTU, devo-te a perspicácia que tiveste para, no momento certo, teres lido o que mais ninguém leu... o tal grito calado nas palavras de quem já tinha desistido de tudo.

...

RAFA...

É uma honra, para mim, partilhar este momento de poesia. Todos somos poesia. Há quem a coloque numa pintura ou nas palavras ou no sorriso... ou no silêncio...ou numa mão que se estende.
...
Belíssimo, o teu poema.
São palavras com asas... de pássaros que festejam a tua arte.

Obrigada por partilhares o teu belo poema junto às minhas palavras... que não são poema... são palavras que deram as mãos....

...


NAVEGANTE...

~~~~~~~~~~~~~~~

Entendo o teu comentário, poeta sensível.... que sabe o que é o sal do mar nos olhos, e a beleza do infinito horizonte no coração.
Mas acredita-me... os teus comentários não foram em vão... e o meu silêncio.... nunca, peço-te, o entendas como desprezo.
A vida, como as marés, tem altos e baixos. O Mixtu disse a verdade. Eu não tenho comentado.... mas no meu silêncio abracei-te por cada palavra de carinho.

Posso dedicar-te um poema meu?

Para ti, NAVEGANTE:


Para escrever um poema...
É preciso despir as asas...
Ser mulher... apenas.
Em plena nudez.
Sem vergonha.
Sem timidez!
Seguir o trilho no bosque,
sem guia, sem medo, guardiã do segredo.
Ainda que momentaneamente frágil,
pássaro em voo calado... adiado.
Ser barco sem receio da ousada viagem!
É preciso aceitar que o tempo, afinal, não existe...
E que «momento» é um lugar,
onde me poderei encontrar.

Para escrever um poema...
É preciso olhar e ver...
com a limpidez do brilho da chuva...
É preciso assumir e SER!
E mergulhar, mesmo sem saber nadar...
no lago das memórias...
Onde a lua deposita futuras histórias.
Ainda que me me chamem sonhadora...
Ainda que pensem que dos meus dedos se solta inútil ternura...
Que se esvai... não perdura.

Para escrever um poema...
Basta desnudar o coração...
e colar em cada palavra um pedaço de essência, de emoção...
Verdade, grito, alegria, dor e perdão.
É preciso deixar ir na maré a esperança,
um nome amado...
Até a Fé....
E esperar...
Que o mar de mim esvaído,
retorne como a madrugada...
E sentir-me de novo alada.

Nesse mágico instante, o poema surge...
como um suspiro,
murmúrio de dedos entrelaçados...
Sentires enlaçados, mordidos lábios que sabem que o tempo urge!
...
E sorrir para o poema nascente...
Ainda que saiba ...
que ele é apenas um ínfimo olhar...
E que como tu(do)... irá passar.


Nin@

...Desculpem a extensão do comentário....

O meu abraço de vento para todos.

(Dreams... gosto-te!)

 
At 9:49 PM, Blogger Maria P. said...

Ao Mixtu:

Pedes-me tertúlia
jogo-te pétalas
A rosa quebrou-se
na dança do lago.

Um beijo ou muitos, escolhe!
:)

 
At 11:34 PM, Blogger mixtu said...

Luci,que dizer das tuas palavras…
É curioso… há uma palavra transversal a estes poemas, “silêncio”… e como é bom ler em silêncio e responder em silêncio, é o murmurar… é o reflectir…
A poeta dos (.)e das letras minúsculas,
E eu sempre afoito aos pontos porque são finais… mas em ti são virgulas… servem para respirar como me ensinou a minha professora da primária que me leva ainda hoje a levar reguadas da vida pela minha pontuação… mas se eu respiro assim… que hei-de hacer,
E tenho que me penitenciar aqui, sempre disse que o meu rebanho é de ovelhas pois as cabras dão muito trabalho… mas eu vou comprar cabras (duas ou três, também não vou abusar) porque na verdade, as cabras sobem muito e descem muito e têm uma bela cara sorridente...quando querem...e mastigam a medir-nos de alto a baixo...e dão marradas quando não as ouvimos… é… vou comprar duas cabras… ai a carga de trabalhos que vou arranjar…
Poesia em prosa… ocupando todas as linhas e com muitas anotações pelas páginas…

Ni*… para escrever um poema… Paulo Coelho também arrozou sobre o que é necessário para escrever um poema… não da forma poética como o fizeste… embora reconheço que o Paulo nunca me foi apresentado (não é uma leitura rápida na estação dos ctt da minha aldeia quando espero que o quadro electrónico indique o meu número – e aqui deixo o meu protesto pois agora os livros têm um plástico – que me fazem apresentar o Coelho… já me disseste que no meio de um poema, de uma obra… há um verso que vale um mundo…) Acredito… estou naquela fase (que vai desde que nasci até hoje) em acreditar em tudo… yaya

"Para escrever um simples verso,
é preciso viajar por regiões
desconhecidas,
estar preparado para encontros
e desencontros inesperados.
É preciso saber voltar a momentos
de nossa infância
que até hoje não conseguimos
compreender.
É preciso lembrar
do que sentimos quando
ferimos alguém que sempre
nos desejou o melhor possível
Para escrever um simples verso,
é preciso passar muitas
manhãs diante do mar,
muitas tardes diante do por-do-sol,
muitas noites diante de quem amamos.
Tudo isso pra escrever um simples verso".
(Paulo Coelho)


Maria,
Recebi as tuas pétalas e a tua poesia de caneta ou de “janela”, umas vezes a norte ventoso… outras a um sul soalheiro…
Poesia dançada… que encontres a(s) pedra(s) nesse teu lago…

Fui... mas não digo para onde vou... para não se atreverem a arrozar sobre as minhas saídas... yaya

 
At 11:55 PM, Blogger Rafa said...

Amiga Nina;
Es un placer hacer tertulia sobre lo que pensamos que es la poesía, el poema, los poetas.....
Todos nosotros, encantados de buscar siempre y siempre buscando, hemos escrito alguna vez sobre esto. Todos tenemos en nosotros poesia, poetas y poemas.
Saber qué es la poesía es imposible, decir lo que creemos que es es lo único que podemos hacer.
Yo me enriquezco leyendo lo que dices tú, lo que dice Mixtu, lo que dicen todos y así voy viviendo esta vida que me tocó.
Pero los dos sabemos, Nina, que moriremos, que llegará un día en el que ya no podremos escribir nada, un día en el que se nos acabará la poesía.
Yo me dí cuenta de eso y supe porque causa iba a morir, la misma por la que ahora estoy aquí enviándote a ti y a todos un fuerte abrazo, la misma por la que (curiosamente) sigo vivo: la poesía.

MI MUERTE

Hoy lo supe.
Se me revelo suave,
delicadamente,
como un soplo de ti.
Hoy adiviné el futuro,
comprendí el pasado
y agradecí el despertar.
Hoy me envuelvo en mi vida,
me trepo y me voy liando,
me enrosco y me libero.
Hoy supe de que voy a morir.
Moriré de lo que vive el poeta
y de lo que no puede vivir.
Moriré del frescor de tus manos,
del dulce olor de tu pelo,
del calor de tu piel desnuda,
del brillo apagado de tus ojos,
del amanecer de tu naturaleza,
del sueño de tu deseo,
de la pasión de tu carne.
Moriré por el mar y el agua,
por la duna y el árbol,
por el fuego de la tierra,
por el brillo del sol amarillo,
por el pez y el caballo,
por lo que vuela en el viento.
Moriré de los sentimientos,
de la virtud y del pecado,
de la sangre y del reencuentro,
de la dicha y la locura,
de la patria y el exilio,
de un sin vivir y una certeza,
de un corazón abierto.
Moriré de imaginar la vida,
de pensar el amor,
de calcular distancias,
de recorrer caminos,
de esperar llegadas,
de prometer regresos,
de abrazos solo míos,
de orgasmos de chocolate,
de metáforas y paradojas.
Hoy, en este día preciso,
el cielo se abrió en su negrura
y he visto con la claridad del alma
que yo,
pobre hombre desolado,
escapado de su espacio,
desentendido del tiempo,
oculto en si mismo y de sí,
perdido en su razón,
abandonado de la fe,
nadando todas las aguas,
navegando todos los mares,
volando todos los aires
y andando todos los caminos,
yo,
en la mayor de las riquezas soñadas,
voy a morir de poesía.

Rafael
17 de marzo de 2006

 
At 1:20 AM, Blogger El Navegante said...

A la delicada poetisa Ni,a dama de Lisboa, dito con tudo o que significa o conceito de DAMA para um cavalheiro a al antiga.

Se necestia sufrir el rencor,
ante el ensordecedor silencio,
para tener la desverguenza de reprochar.
Se necesita descubrir el oasis,
luego de la tormenta para percibir
que las aguas son transparentes y calmas,
coloridas y rutilantes.
Se necesita tener la grandeza
de una gran MUJER, para responder
a un agravio como el mío,
con su delicada poesía, escrita
como una sinfonía poética,
como todas sus obras,
a quien equivocó el camino.
Con la misma fuerza, que vine antes
vuelvo ahora,
pero esta vez para arrodillarme
ante esa delicada y talentosa DAMA
de Portugal y del mundo,
y besar su mano derecha, por que
así procedemos los caballeros a la antgua,
a a hora de admtir nuestros errores,
y necesitar desesperadamente,
pedir humildemente PERDON.

No pensé hasta dónde tus silencios me acompañaban NI, ahora sí lo escuché a todos.

Voy a corregir respetuosamente al dueño de casa, ya que lo mío no fue un tema sentimental.
Lo de los suspiros fue una metáfora poetíca tan sólo, creo saber conservar al distancia.

Muito obrigado Ni, pela tua delicadez de me escrever un poema que me truxo luz, no meio da tornmenta,e muita Paz no meio da tristeça.
Vc é uma gran pessoa, e o sol há vezes que naO me deixa olhar as paiságems como se deben olhar.
Um beijo, DAMA DE PORTUGAL, DO MUNDO, E POETISA DE LUXO.

 
At 8:30 PM, Blogger Rafa said...

Disculpa, amigo Mixtu, que "usurpe" tu espacio y tu función para contestar al Navegante, pero debo agradecerle sus palabras.

Gracias amigo Navegante por todos esos elogios que has hecho de mi poesia. Es cierto que, en ocasiones, uno casi se deja vencer por la tentación de lo que suena bien en el oído, de lo que dicen de bueno los demás de él. A todos nos gusta que nos digan que somos buenos en cualquier cosa de las que hacemos, sin embargo, todos sabemos cuando es verdad y cuando no lo es.
Yo sé que es verdad que tú,amigo Navegante, piensas lo que dices. Lo sé del mismo modo que sé que lo que dices no es verdad, porque yo no soy un poeta.
Sin embargo, amigo, te agradezco todo lo que dices y me siento mucho más cerca de vos que de gente que me pasa al lado todos los días, diciéndome cosas.
Un abrazo.

 
At 2:04 AM, Blogger mixtu said...

Buenas tardes… tertulianos…

Poesia/poeta… conceitos…

“me siento más poeta (…) cuando me siento enredadera de flores amarillas en su ventana, cuando mis ojos son para verla a ella y cuando ella decide verme con los suyos."

Amar é poetisar (questiono-me)

“a poesia fala por si (…) mesmo em silêncio, canta… porque precisa de viver…”

Nunca tinha pensado que o silêncio também é poesia… mas na verdade é…o silêncio e as luzes distantes nos outros morros e aldeias… é poesia…

O vinho… se de qualidade e bebido numa tasca onde se procura saber das 7, 6, 5 e por diante mulheres que nunca nos couberam (partindo do principio que há 7 para cada homem…) é poesia… asseguro-vos que é poesia…

“A poesia é algo que tende e se estende em silêncio num (gorgolejar) (im)permanente… “

“A poesia lê-se com as mãos, os olhos, as lágrimas, o riso, as cores, com as flores (…)”

“Todos somos poesia. Há quem a coloque numa pintura ou nas palavras ou no sorriso... ou no silêncio...ou numa mão que se estende.”

O que é necessário para escrever um poema, (...) “desnudar o coração”…

A poesia serve para que uma “DAMA” responda a um agravo…

“Um poema (…) traz luz, no meio da tormenta, e muita Paz no meio da tristeza.”

“Saber qué es la poesía es imposible, decir lo que creemos que es, es lo único que podemos hacer.”

A tertúlia é... poesia

Abraços, mais de que um "pastor de poemas", pelo adiantado da hora sou... "securita de poemas" yaya

 
At 8:59 AM, Blogger palabraserrantes said...

Yo lo quiero a mi náufrago, el eterno enamorado de San Telmo y Bs As. Lo quiero a mi poeta, y aunque todos dudemos de llegar a serlo;
su poesía existe tanto como él.
Él es el que habla con su sangre, él está lleno de palabras, le brotan como agua!
Es cuerpo, ya le dije que sus palabras son cuerpo.
Sé que lo emociona, sé qué lo hace vibrar-
Mixtu me ponés en un problemaaaaaaaaa :)

Lo quiero y lo admiro demasiado.
(Y todavía no he ído a leerlo con todo este lío del cambio del servidor!)

Su poema es muy bello.

"No sopla, ni silba, ni aúlla
el viento que no se lleva las palabras.
Solo está a mi lado, respirándolas,
dándome también el aire que necesito
para poder lanzarlas al aire
y que sea el mismo viento,
sin llevárselas,
solo aspirando,
quien las ponga dentro de ti,
que eres como el aire que respiro.

Viento.

Rafa -Poema infinito- canto VI

Y........lamento no poder leer en portugués a la poetisa :(
Mil disculpas!

Te dejo un beso enorme!
Y gracias por llamarme a leer tu post dulzura de persona.

 
At 10:25 AM, Blogger Rafa said...

I

Palabras que son las palabras dichas,
aquellas que ya se escucharon,
las proclamadas,
las que tú también utilizaste,
labradoras de infortunios
y de la gloria más absurda.
Promesas, arcaísmos, decepciones,
compromisos, discursos, frases,
cosas inventadas en un sueño.
Solo hay una verdad absoluta:
Mis palabras son para ser,
existen en mí como yo.

Palabras.

15 de Octubre de 2006

http://decirpalabras.blogspot.com

Amiga PALABRASERRANTES, está claro que si sabés lo que me emociona, me emocionás vos.
No puedo agradecerte, solo deberte mi cariño que te pagaré poco a poco, poco a poco, poco a poco...
Besos eternos.

 
At 12:23 PM, Blogger mixtu said...

Palabraserrantes … amiga… de longa data… de otras tertulias de la vida…
La poesía y la lengua en que es escrita… las barreras…
Es curioso que mi espacio es bilingüe… portugués y castellano…
Yo me recuerdo de las dificultades iniciales por parte de nuestros amigos en entender lo portugués (excepto El Navegante que habla perfectamente el mirandés) me recuerdo del 1º comentario de “Incondicional” – Lastima es idioma… y hoy… es (a par de Rafael e Uma – un beso para la rubia del Muelle que regrese rápidamente) mi traductora… como la vida es bonita o… como la lengua es bonita…
Mi recuerdo de una persona me preguntar, porque conocía lo portugués y el castellano… se yo hablaba un dialecto… non… mi lengua es apenas de un pastor que tiene poca escolaridad… non es dialecto… yaya
Palabraserrantes, ahora entiendo porque te dice que (a nado por ese océano) viajaba para Buenos Aires… te dice la hora exacta de mi llegada y usted… non estaba a mi espera… Pensaba que non era correspondido… muy triste, quedé un día sin voluntad de comer… solo ha comido pan e una sopita…
Hoy… entiendo la razón… no lo comprendiste lo que a escrito…
Yayaya
Poetisa… un grande beso…

 
At 3:19 PM, Anonymous Anonymous said...

Agradezco en horabuena tu visita que me ha permitido conocer este espacio de poesia y por supuesto adentrarme en los comentarios a la obra de mi querido amigo Rafa, el no-poeta o como el prefiera. Un abrazo para el y otro para vos.

 
At 3:42 PM, Anonymous Anonymous said...

Tenho andado a pensar como me é dificil escrever para ser lida pelo mundo. Tenho uma tarefa até ao despontar da primavera... uma coisa para escrever que será publicada.
Mas que dificil me está a ser!
quando escrevo só para uma pessoa... é tão fácil!
Não sei escrever só para mim!
Será que sei escrever para seja lá quem for!

Para dizer: admiro que faz das palavras o seu barro e as molda assim, como tu nos mostras!

 
At 6:23 PM, Blogger Leodegundia said...

Felicitaciones a los poetas y a ti también por presentárnoslos.
Un abrazo

 
At 7:53 PM, Blogger Yessi said...

Que hermosas palabras las que nos regalas hoy Mixtu y sin duda, un alma bella hará permanecer su belleza una eternidad.

Te dejo u abrazo un poco más apretadito, ya me siento mucho mejor, ja ja ja.

Besos.

 
At 9:37 PM, Blogger ::: Isis ::: said...

Que hermosas palabras has compartido con nosotros... no los conocia a ninguno de los dos, pero que lindo.

A ver si un dia de estos me pego una vuelta por sus blog para conocerlos mejor.

Saludos.-

 
At 9:42 PM, Blogger Santa said...

MIXTU


Assim vc me mata! Muita inspiração e bom gosto em um só blog. Beijos domingueiros.

 
At 10:17 PM, Blogger Luna said...

A poesia é vida, momentos, onde o amor se encontra presente,que enaltece ou devora o coração,e é na troca de palavras sentidas para o papelque o poeta se desnuda perante a multidão
jinhos

 
At 11:08 PM, Anonymous Anonymous said...

muy bonito.
holas de besos

 
At 11:14 PM, Blogger Maria P. said...

Danço.


Beijos.

 
At 11:20 PM, Blogger Andreia do Flautim said...

Bonito poema!

 
At 11:35 PM, Blogger Maria P. said...

Dancei a tua dança, no enleio das tuas letras.

Beijo.

 
At 11:54 PM, Blogger Elipse said...

continuo a não perceber, a não perceber, a não perceber...

sim, sei de gente que chega, subtilmente chega... e diz... evitando o gume das facas ou aligeirando-o... diz, com rimas ou sem elas, as palavras-romãs que por aqui se soltam.

Chegam-me os bagos das romãs mas não lhes toco, não percebo, não percebo...

também passo subtilmente, passo e sigo, sem registo...

... hoje fiquei para deixar um sorriso.

 
At 12:00 AM, Blogger Maria P. said...

Novas notas toquei para que dances comigo...e agora sonho ou pesadelo?

:))beijos de Uva...

 
At 12:10 AM, Blogger Maria P. said...

sem sorrisos enganadores nem publicidade...bastou um olhar e a dança recomeçou

aceita?

 
At 1:01 AM, Blogger Lila Magritte said...

Hermosas palabras y también buena música. Está bellísimo el post.

Abrazos.

 
At 1:13 AM, Blogger off said...

e nunca temos mesmo...

 
At 10:16 AM, Anonymous Anonymous said...

Bonito poema, feito de palavras muito simples e sinceras. Escrever pouco mas bem... aprecio! :)
Bjs, e boa semana!

 
At 3:11 PM, Blogger Alma Minha said...

Fazes-me dançar... com estas doces palavras...

 
At 3:43 PM, Blogger Gracinha said...

Boa semana...beijinhos grandes!

 
At 4:32 PM, Blogger escorpyana said...

Puxa,fiquei encantanda como poema,lindo demais.Obrigada pela visita e pelo apoio sempre.Tenha uma semana deliciosa.
beijussssssssssss

 
At 4:58 PM, Blogger naoseiquenome usar said...

"chegaste com o subtil poder"
:)
da minha janela ou da rua ao lado, já pouca poesia se sente.
Por isso, obrigada por estas injecções Mixtu!


E um abraço.

 
At 6:49 PM, Blogger Poemas e Cotidiano said...

Que lindas poesias, da Nina e do Rafael.
Tocaram a alma.
Beijos querido, saudades. beijinho na Carmencita.
E o bebe nasceu? To atrasada assim?
MARY

 
At 7:17 PM, Blogger Ana said...

Lindo, como sempre...
Beijos.

 
At 10:23 PM, Blogger Beba Newmann said...

lindo poema
tan romántico..
u_u bello

Saludos
:)

 
At 11:18 AM, Anonymous Anonymous said...

WOWWW, Vaya sección de poesía no?, me imagino que para participar "humildemente" aqui, irás renovando a menudo en esta parte nuevas poesías no?. Buenas las de Rafael y Nina. Mixtu, que es lo que te gusta a ti tanto de la poesía?.Te dejo unas palabras, un poema de mi admirado Oscar Wilde, más dominador de la gran narrativa, pero cuyo lado poético, no se queda atrás tampoco. Te dejo este pasaje de su obra "La Balada en la Cácer de Reading",Espero que te guste:

" Sólo sabía que idea obsesiva apresuraba su paso, y por qué miraba al día deslumbrante con tan ávidos ojos; aquel hombre había matado lo que amaba, y por eso iba a morir. Aunque todos los hombres matan lo que aman, que lo oiga todo el mundo, unos lo hacen con una mirada amarga, otros con una palabra zalamera; el cobarde con un beso, ¡el valiente con una espada!.

Unos matan su amor cuando son jóvenes, y otros cuando son viejos; unos lo ahogan con manos de lujúria, otros con manos de oro; el más piadoso usa un cuchillo, pues así el muerto se enfría antes. Unos aman muy poco, otros demasiado, algunos venden, y otros compran; unos dan muerte con muchas lágrimas y otros sin un suspiro: pero aunque todos los hombres matan lo que aman, no todos deben morir por ello."

BESITOS MIXTU

 
At 11:33 AM, Anonymous Anonymous said...

Gostei muito deste espaço e do que aqui se escreve!
Vou voltar.
Um beijinho:)

 
At 12:18 PM, Blogger sensual said...

Dois excelentes poemas e sim, assim se permanece fiel durante toda a nossa vida.

Muitos parabéns aos poetas.

Beijos para todos

 
At 4:00 PM, Anonymous Anonymous said...

Muy cierto y muy bello también... me sumo a las felicitaciones por tan bellas palabras

beoss

 
At 4:14 PM, Anonymous Anonymous said...

que lindo poema , sería lindo escucharlo para uno no?

 
At 4:35 PM, Blogger Zé Lérias said...

Pura poesia!
Parabéns.
Um abraço.

 
At 5:56 PM, Blogger Ana said...

Nada mais me ocorre do que...Belas palavras!!!

 
At 6:17 PM, Blogger antona said...

Preciosos textos.Obrigado por tus palabras.Por supuesto que hay cerveza para un amigo
salu2

 
At 8:17 PM, Anonymous Credendo Vides said...

Q bello poema y q verdad, un alma siempre espera. Un corazón huye pronto.
Saludos desde el Inframundo.

 
At 8:19 PM, Blogger Um Poema said...

Muito bom, este poema de Nina.
Um abraço

 
At 8:30 PM, Blogger Um Poema said...

Os olhos do poeta conseguem ver coisas, como o brilho nas flores, quando são olhadas pela dona dos seus sonhos, ou a luminosidade na cara e nas mãos dessa sedutora, quando são olhadas por si.
São os olhos do poeta, olhos especiais, aqui tão bem descritos.
Um abraço

 
At 2:12 AM, Blogger gonzalo said...

amo las mujeres que brillan en las ventanas.

 
At 11:02 AM, Blogger Baby said...

Linda selecção de poemas a demonstrar o fino gosto do autor do blog.

 
At 12:36 PM, Anonymous temp_nua said...

Lindooooo, amei o poema.
Beijos
Temp_nua

 
At 1:47 PM, Anonymous Anonymous said...

Assim vale a pena esperar e viver...
Beijos...

 
At 3:13 PM, Blogger Clara Sonhadora said...

Ler-te é sempre uma perdição.

Fica-se sempre à espera de mais e com um sorriso nos lábios, mesmo que não comente sempre que por cá passo ;)

 
At 3:17 PM, Anonymous lua do amor said...

Poesia muito bonita, escritas com o coração, Rafael e Nina e ao contrário do que escrevem nos comentários, são poetas.

Adoro ler coisas bonitas, adoro, adoro, adoro.

Beijinhosssssssss

 
At 4:06 PM, Blogger lisa said...

Tocante este texto, palavras bonitas e sentidas...

Beijo daqui das minhas noites de lua cheia.

 
At 5:05 PM, Blogger meiga said...

siempre hay almas bellas que por desgracia se conocen en distintas epocas....
mil besikos corazon

 
At 6:07 PM, Anonymous Anonymous said...

Hoy el amor anda tocando a la puerta de muchos blogs... hoy nos asomamos a la ventana con la esperanza de que nuestros ojos descubran esos ojos con los que tanto soñamos...

verle llegar y que con su llegada iluminen nuestra existencia... ese cruce mágico de miradas que hablan por si solas más que mil palabras...

Hermoso Mixtu... hermoso :D

 
At 6:26 PM, Blogger Haddock said...

Eh lá! Muito se escreve por aqui. Verdadeiros tratados poéticos. Parabéns! Gostei muito do post. Abç.

 
At 6:27 PM, Blogger Luisa said...

Belos os dois poemas!

 
At 6:50 PM, Blogger Cucagaio said...

Seja em português, seja em castelhano, o sentimento é sempre o mesmo. Bonito texto.

 
At 6:57 PM, Blogger Maria P. said...

Abro janelas a norte, a sul e outra, secreta, revelo sentimentos,
desejo palavras de todas as cores do arco-iris...arabe não sei a cor...

beijos na minha cor, azul:)

 
At 7:15 PM, Anonymous pequenita (quando o teu corpo e o meu) said...

Quero descobrir
Teu corpo, teu suor
Percorrendo, correndo
Sem pressa os instintos.
Deixar mãos
Colarem pernas
Marcarem seios
Rasgarem bocas.
Quero tua descoberta
Feita em meu corpo
Na luxúria nossa de cada dia.


besitosssssssssssss dulces hehehe

 
At 7:56 PM, Blogger Naeno said...

Quando eu saí daqui,
Já estava pronta a viagem,
Meu peito cheio, a bagagem,
Não quis falar nem te ouvir.

Quando eu sai de ti,
Foi como um parto tão facil,
já estava fora a cabeça,
Num dia tão luminoso.

 
At 10:08 PM, Blogger chuvamiuda said...

.................

gosto de brisas

...............

Abraço

 
At 10:38 PM, Blogger Rui said...

Bom, como sempre. O abraço de sempre, republicano.

 
At 12:08 AM, Blogger luci said...

agora tu: bons ventos!
(suave e quente, o vento...)

"Shikishima no
Yamato-gokoro wo
Hito-towaba,
Asa-hi ni niou
Yamazakura bana."

...com chuva de cerejeira*

 
At 12:40 AM, Anonymous Anonymous said...

seguramente que es asi...fiel a lo bello, fiel al amor!! besotes!!

 
At 1:21 AM, Blogger Caiê said...

Eu conheço alguém que se enamorou de uma janela... e ela (a que estava à janela) enamorou-se também do passante. Estou muito feliz por essa história porque eram os meus avós. ;) :)

 
At 9:28 AM, Blogger Existe uma estrela no céu que ninguem vê senão eu! said...

Olha simplesmente adorei.. por acaso reflecte-se com uma experiencia que estou a viver... procurava procura va e nao encontrava nada que se identifica-se com esse sentimento novo dentro do me coraçaozinho. bjs

 
At 10:09 AM, Blogger bohemiamar said...

Y si no es fiel y es de Míchigan, lo pueden condenar a cadena perpetua.

Un abrazo.

bohemiamar.

 
At 10:24 AM, Blogger Baby said...

Mixtu, amo os poemas que nos trazes, amo a música que nos ofereces, o teu espaço tem magia...
Bjo.

 
At 11:20 AM, Anonymous Anonymous said...

Obrigada pela partilha Mixtu.

Um abraço!

 
At 11:43 AM, Blogger a_mais_fofa said...

Tão bonito, e tanto sentido faz quando vejo a minha rotina e a minha vida afectada pelo toque de quem agora por tanto tempo me deixará de tocar...

 
At 12:13 PM, Blogger Xime said...

O vento que fala nas folhas, contando as histórias que sao de ninguem... (mais que sao minhas e de voce também)...

De las hojas a los ojos. Pura poesía.

Besos cronopios...

 
At 12:15 PM, Blogger luci said...

ÌíÏÇáÑíÇÍ...ãÇÑÇÏÇÓ...BËíÑ ãä

ÇáÈÍË ÝíãíÛae...

 
At 7:38 PM, Blogger palabras con ningun sentido said...

Mixtu, no puedo otra cosa que agradecer el haber conocido a estos dos poetas ibéricos a los que parto a visitar desde tu blog, un gran abrazo

 
At 8:41 PM, Anonymous Anonymous said...

Ese poema en español es hermoso, me gusto mucho.

 
At 8:41 PM, Anonymous Anonymous said...

Ese poema en español es hermoso, me gusto mucho.

 
At 10:47 PM, Blogger CARLOS A. GAMBOA said...

paso a degustar letras seusdas y a dejarte mi saludo de retorno al mundo virtual

 
At 11:57 PM, Blogger mixtu said...

A vida é bonita, mesmo quando entra um gajo no meu Calhau pelo google... pesquisando "injecções permadoze"...

Ai a minha enfermeira loira, acho que era a Cármen...

Ai... que agora até me deu uma cosa boa...

E que fazer quando nos dá uma cosa boa... copos... e como o amigo Antona (com uma exposição onde ainda não vendeu nada mas a cerveja não tem faltado - segundo ele) convidou... aí vou eu... Barajas...

Ai que agora deu-me uma cosa boa, as Cármen têm este efeito na minha "maneira de beber"

Fui... e para todos os efeitos nunca passei por cá...
yayaya

Mas agora onde apanho um avião se a Portela vai encerrar, a OTA ainda não existe... é... vou de TGV... mas onde fica o apeadeiro mais próximo da Serra da Estrela...
Nem vos pergunto... vocês só percebem de poesia... como se isso desse para beber...

 
At 12:06 AM, Blogger Mac Adriano said...

Muito (Muy) bem (bien). Belos (Bellos) poemas (poemas). Saudações (Saludos) aí (aí) para (para) Ouagadougou (Uagadugú) ou (o) Bamako (Bamaco), dependendo (dependiendo) de (de) onde (donde) estejas (esteas). Um (Un) abraço (abrazo).

 
At 1:39 AM, Blogger Ilvia said...

Que lindo o poema de Nina... lindo mesmo!!!
Beijos

 
At 10:20 AM, Blogger manhã said...

amar as almas ou os corpos? ou os dois? me quedo por los corpos...me culpa!

 
At 2:08 PM, Blogger Maria said...

Olha ele!

Beijos

 
At 7:00 PM, Blogger segurademim said...

... suspensos na vida

sempre na corda bamba

yayayaya

besitos

 
At 1:16 AM, Blogger escorpyana said...

Oii,tenha um fim de semana delicioso.
beijusssssssss

 
At 9:49 AM, Blogger greentea said...

E é possivel que não conheças Sintra, apesar de tão enamorado ????

 
At 10:11 AM, Blogger blugaridades said...

Um bom fim de semana. Aproveita para conhecer Sintra e comer uns travesseiros na esplanada em frente do Palácio da Vila.
Beijinhos

 
At 10:40 AM, Blogger greentea said...

Sintra - Património da Humanidade fica a uns 20 Kms de Lisboa (Portugal), ladeada por Cascais , Praia das Maçãs e Ericeira. Local de eleição de poetas e escritores desde o tempo de Camões, a Lord Byron, Eça de Queirós , Ramalho Ortigão e tantos outros.
No meu blog em muitos posts há inúmeras referencias a Sintra.

Hoje podes saber um pouco mais da hist´ria de Sintra Antiga
em http://soaldedomingo.blogspot.com

Um abraço e bom fim de semana

 
At 10:48 AM, Anonymous Anonymous said...

Es un gran poema.

Besos!

 
At 6:07 PM, Anonymous Anonymous said...

a rapariga da foto azul é a hope sandoval? (no post a seguir a este, onde já não dá para deixar comentários).
beijos

 
At 6:36 PM, Anonymous Anonymous said...

Lamento no conocer el idioma portugués lo suficiente como para saborear la totalidad de tu página, pero lo que entiendo me basta para decirte que tienes una gran sensibilidad y que sabes compartirla muy bien con los demás. Muchísimas gracias por tus visitas al agua, que siempre son agradecidas.

Besos desde allí.

 
At 9:40 PM, Anonymous Anonymous said...

OLA MIXTU
QNTO TEMPO
vim desejar um ótimo fds pra vc.
vim te convidar pra me ler,hoje escrevi um conto erotikos bateu saudade
dos contos rs
DEIXO PRA VC LER ,UMA PEDAÇO DO MEU CONTO , SÓ UM PEDAÇO VIU, POIS QUERO QUE VC VA ME LER ,SE QUISER PODE DEIXAR UM RECADO NO MURAL LA DO BLOG
MADRUGADA
São 2.30 da manhã , não consigo dormir , viro e reviro em minha cama, e nada do sono vir . Mas uma coisa não sai da minha cabeça você meu tigrão ligo a tv , e está tocando a nossa musica , ai vem você em minha mente de novo , vem a figura do seu rosto angelical nos dois nós amamos , em um quarto de motel , beijos quentes , agora sim, que não consigo mesmo dormir me deu um calafrio entras as pernas, e melhor eu ir tomar um banho frio

QUER LER O RESTANDE ...PRA VER O QUE ACONTECEU ..VEM ME LER TO ESPERANDO ...

GRANDE BEIJOS MEU PRA VC

 
At 9:41 PM, Anonymous SIL said...

OLA MIXTU
QNTO TEMPO
vim desejar um ótimo fds pra vc.
vim te convidar pra me ler,hoje escrevi um conto erotikos bateu saudade
dos contos rs
DEIXO PRA VC LER ,UMA PEDAÇO DO MEU CONTO , SÓ UM PEDAÇO VIU, POIS QUERO QUE VC VA ME LER ,SE QUISER PODE DEIXAR UM RECADO NO MURAL LA DO BLOG
MADRUGADA
São 2.30 da manhã , não consigo dormir , viro e reviro em minha cama, e nada do sono vir . Mas uma coisa não sai da minha cabeça você meu tigrão ligo a tv , e está tocando a nossa musica , ai vem você em minha mente de novo , vem a figura do seu rosto angelical nos dois nós amamos , em um quarto de motel , beijos quentes , agora sim, que não consigo mesmo dormir me deu um calafrio entras as pernas, e melhor eu ir tomar um banho frio

QUER LER O RESTANDE ...PRA VER O QUE ACONTECEU ..VEM ME LER TO ESPERANDO ...

GRANDE BEIJOS MEU PRA VC

 
At 10:42 PM, Blogger mixtu said...

Sil...
tomar um banho frio"
Eu não desejava que te constipasses... pois parece que anda por aí um surto de gripe... mas...
Sim senhora... quando dá um calafrio... toma-se banho...
yayaya
Quem andar à procura de meninas com "calafrios" é fazer um levantamento de quem anda a gastar muita água... por falar nisso... quanto é que vocês gastam em água...
yayaya
Parece-me mais ecológico fazer como eu faço...ir para os copos do que gastar água...
Fui... para os copos

 
At 11:12 PM, Anonymous Anonymous said...

mixtu... tu não aproveitas?
vais para os copos com tão deslumbrante desafio à tua espera?

... isso da água é assim esquisitinho porque há dias também um dos meus leitores (anónimos, claro) dizia que as mulheres como eu se queriam bem lavadinhas... e agora vens tu perguntar-me quanto gasto em água? 'tou feita c'os homens!!!

 
At 11:14 PM, Anonymous leonoretta said...

ola mixtu.
só tenho uma palavra para te deixar hoje: lindo.

abraço da leonoreta

 
At 11:15 PM, Anonymous Anonymous said...

mixtu... tu não aproveitas?
vais para os copos com tão deslumbrante desafio à tua espera?

... isso da água é assim esquisitinho porque há dias também um dos meus leitores (anónimos, claro) dizia que as mulheres como eu se queriam bem lavadinhas... e agora vens tu perguntar-me quanto gasto em água? 'tou feita c'os homens!!!

(olha, foi castigo... agora saí anónima... mas não faz mal, já cá cantam mais dois para os teus totais)

 
At 11:23 PM, Blogger bom dia isabel said...

acabei de chegar à blogoesfera e encontrei o seu blog.Gostei.
Beijinhos

 
At 11:30 PM, Blogger mixtu said...

Bem...
mas o que deu neste pessoal.. calafrios...
e agora a Isabel (bom dia para si também) que acabou de chegar e encontrou-me logo...
pois lhe digo (Isabel) já cá ando desde que nasci e nunca me encontrei, e os rios de dinheiro que tenho gasto em psicólogas e enfermeiras... yaya
Bem... vou para os copos porque lá não acontecem cosas estranhas...
Ah! Isabel... como és nova nisto... cuidado com os blogs que frequentas... afasta-te dos blogs de gajos que postam poesia... yayaya

 
At 1:16 AM, Blogger Kalinka said...

Nunca te esqueço e sempre que possivel virei te dar...
. . . . . . . . ¶¶ . . ¶¶¶ ..¶¶¶
. . . . . . . . ¶¶¶ . . ¶¶¶.¶ .¶¶
. . . . . . . .¶¶¶.¶. .¶¶¶. . .¶¶
. . . . . . . ¶¶¶¶. . . ¶¶¶ . . .¶¶¶
. . . . . . .¶¶¶¶¶ . . ¶¶¶¶.¶¶ .¶¶
. . . . . . ¶¶¶¶. . . . ¶¶¶¶. . . ¶¶
. . . . . ¶¶¶¶¶¶¶. . . . .¶¶. . . ¶¶
. . . . . ¶¶¶¶¶¶¶¶. . . . ¶¶. . ¶¶
. . . . . ¶¶¶¶¶¶¶¶¶ . . ¶¶. . ¶¶
. . . . . . ¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶ ¶.¶¶
. .¶¶. . . . .¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶.¶¶
. .¶¶¶¶¶ . . . . . ¶¶
. .¶¶¶¶¶¶¶. . . .¶¶. 1 beijo
. . ¶¶¶¶¶¶¶ . . ¶¶. 1 abraço
. . .¶¶¶¶¶¶¶ . ¶¶. 1 carinho
. . . .¶¶¶¶¶¶. ¶¶. 1 obrigado
. . . . .¶¶¶¶¶¶¶. 1 bom fim de semana
. . . . . . . . .¶¶. 1 bom dia
. . . . . . . . ¶¶. 1 boa tarde
. . . . . . . .¶¶. 1 boa noite
. . . . . . .¶¶. 1 boa sorte
. . . . . . . ¶¶. 1 parabéns
. . . . . . . ¶¶. Ou até mesmo
. . . . .. .¶¶. Apenas um Oi!
E todo meu carinho e amizade

BEIJOS E ABRAÇOS.
BOM FIM DE SEMANA.

 
At 1:46 AM, Anonymous gota de tinta said...

si, los ojos del poeta, los ojos de quien quiere ver ams alla....trepan, vuelan, hasta llegar donde esta la persona amada....

gracias por compartir tan bello texto e imagenes.

beijos muitos amigo!!!!!

 
At 12:08 PM, Anonymous Anonymous said...

Mixtu, foi tão bom receber-te no campo.
Dois poemas lindos nesta tua janela de que destaco estes versos...
Chegaste com o subtil poder
De modificar o meu fugidio ser,
de me encantar e de me envolver.
E, sem que eu o pudesse perceber,
Ou negar, ou não querer...
Ou gritar que sim e te
escolher....

Fizeste-me somente tua, sem te ter.
.
Beijos

 
At 1:11 PM, Blogger }}cleopatra{{ said...

Olá mixtu!
Sem dúvida nenhuma, dois poemas belíssimos feitos por mãos de almas humildes e simples... sim, já fui espreitar os cantinhos deles e foi essa a ideia com que fiquei, são pessoas de talento inegável e que, ainda assim, não se reconhecem como poetas!
Gostei imenso!!

Um beijinho soprado

 
At 2:06 PM, Blogger Andreia do Flautim said...

Palavras bonitas:)

 
At 4:22 PM, Anonymous Supermamá said...

Hermoso como siempre mixtu, gracias por compartir tan bellos sentimientos.
Felíz semana
bss

 
At 4:52 PM, Blogger francis said...

A alma é imortal e o nosso corpo um recipiente temporário. É um pensamento reconfortante.
A alma da Liv Tyler (foto 2) escolheu um recipiente 5 estrelas!!! De qualidade excelente!!! :-)))
Um abraço!!!

 
At 5:21 PM, Anonymous Ines said...

Falando de agua...
Estou com um problema....
Falamos de água fria ou quente?!?!

É que faz toda a diferença!!!
(mas não vou explicar qual!)

Parece que o Mixtu precisa de alibis para responder à Sil... Então bora lá que eu vou beber um copo contigo! Mas tem de ser tinto!

 
At 6:49 PM, Blogger Nilson Barcelli said...

Estas poesias são lindas e muito bem escritas.
Um abraço.

 
At 7:37 PM, Anonymous Anonymous said...

Que "hermosos" os teus poemas :)

gostei :)***

 
At 10:02 PM, Anonymous Anonymous said...

Sólo vine a dsearte una excelente semana!!!!!

 
At 10:03 PM, Anonymous Anonymous said...

Lindo! :)

Bj.

 
At 11:22 PM, Blogger azzura said...

Que hermosos los dos Mixtu.. una delicia leerlos;)
Un abrazo amigo
TQM

 
At 11:44 PM, Blogger cintya said...

hermosisimooo!!!! saluditos y gracias por tu comentario

 
At 2:08 AM, Anonymous Anonymous said...

... e então, como é que ficamos?

"tigrão com rosto angelical" é coisa do MALIGNO!!!!!

Feitiçaria, no mínimo!

Lava, lava, lava... depois pagas a factura da água. A do gaz, não, que o melhor é água fria, muito fria, embora para calafrios seja melhor uma botija... pelo menos eu prefiro é uma botija bem quentinha.

Poemas faço depois...

 
At 3:29 AM, Blogger APC said...

Belíssimo casamento de almas à janela!

Besotes

PS - Daqui a um par de meses talvez te escreva em castelhado. Por enquanto ainda não domino.

 
At 5:13 AM, Blogger EL HIPPIE VIEJO said...

PARA NINA , RAFAEL Y VOS VAN MIS FELICITACIONES ANTE TAN AGRADABLES LETRAS .

UN ABRAZ MIXTU
QUE TENGAS UNA BUENA SEMANA

ADAL

 
At 10:07 AM, Blogger Flores de Alquiler said...

"...Mis ojos de poeta son una enredadera
de flores amarillas que trepan tu ventana.
Brillan esas flores cuando tú las miras..."

Maravilloso MIXTU.

Te dejo un beso

 
At 11:01 AM, Anonymous Anonymous said...

estoy estudiando castellano para escribirte con besos.

 
At 2:35 PM, Anonymous Anonymous said...

bonito!
:)

 
At 3:46 PM, Blogger Nefertiti said...

Mixtu,
Pois a mim "me encanta" "... os blogs de gajos que postam poesia...", assim como quem tem o dom de converter em palavras sentimentos, emoções e vivências... e tornar "tão fácil" o que para mim se apresenta tão difícil e/ou impossível...
Um beijo.

 
At 4:26 PM, Anonymous Anonymous said...

Belas palavras. A poesia tem desatas coisas... une-nos!
Bjs, boa semana!

 
At 6:54 PM, Anonymous Anonymous said...

gostei deste namoro!
bejos

 
At 11:15 PM, Blogger Maria P. said...

deixo beijos e flores de algodão...apenas.

e tu?

 
At 11:36 PM, Blogger escorpyana said...

Ola,desejo uma semana deliciosa.
beijussssssssss

 
At 12:10 AM, Anonymous Xa said...

OBserva que hace mucho tiempo que yo te escribo en negro ;-)

Beijos internacionales.

 
At 12:21 AM, Blogger mixtu said...

Tan bonito... a APC que corre a blog a corrigir o português mal falado/escrito (eu próprio já fui corrigido só que ainda não tive tempo de rectificar... e eu aqui deixava uma questão: porque é que todas as professoras têm um blog... pois, parece que não têm TPC para fazer...yaya) e a minha amiga Fausta Paixão vão estudar castellano (entendo que não há español mas castellano)...
Regras fundamentais para aprender espanhol...
sonoridade:
Há que deixar de rir em português, com os ihihhi, eheheh e ahaha, e substitui-los pelos yaya ou jaja, em determinadas circunstâncias por jejeje (por exemplo... quando um gajo à vossa frente cai e parte-se todo)
respirar:
Têm de deixar de respirar como o fazem aqui... aqui os cursos mais modernos utilizam a prática do sexo para aprender o respirar espanhol...
Como podem verificar... troquem de formadores... sabem lá eles ensinar espanhol...
Fui... respirar Borba com cheiro a flores de algodão...
yayayaya

 
At 12:43 AM, Anonymous Xa said...

Temo no entender todo el texto, veamos:

La onomatopeya de risa es jajaja, jejeje, jijiji, depende del tono de voz ;-). En cuanto al tema de la respiración...pues también depende del ritmo , ah, yo de estos temas no hablo en público.

Nada de beijos, besos, ( creo que eso hace tiempo que lo sabes)

 
At 12:15 PM, Blogger rouxinol de Bernardim said...

Uma brisa de ar puro numa janela cheia de sensibilidade artística!

 
At 3:13 PM, Blogger mixtu said...

eu desisto... só factos estranhos... então não é que entra um gajo ou gaja pelo google no meu calhau com a pesquisa "conas ardidas"... para quê que um gajo quer saber destas cosas... e atenção que o meu humilde calhau não tem esta expressão... um comentário fala em ardidas e o El Navegante querendo dizer "con a" (como tem um teclado que não vale um corno) escreveu "cona"...
Mas o que é que a juventude andará a inventar para necessitar de pesquisar tal cosa...
eu penso que o Hirudoid gel está particularmente indicado e não se conhecem interacções medicamentosas... mas o melhor é falar com um farmaceutico de confiança quenão vá espalhar a boa nova pela aldeia..
Isto há cada uma... só pode ser mau olhado ou encosto...
Fui... ardida... mas que raio...

 
At 3:18 PM, Blogger legivel said...

... as janelas das amadas, deviam sempre situar-se no rés-de-chão das suas casas. Assim, estariam muito mais à mão... de semear. As amadas, claro.

abraço.

 
At 6:58 PM, Anonymous Anonymous said...

Belíssimos poemas! Parabéns aos dois e a ti por fazeres a divulgação.
Beijos

 
At 7:23 PM, Blogger Baby said...

Vim passar um olhar pelo teu espaço mágico, deixar m beijo de amiga e agradecer as palavras.
Siempre...

 
At 7:44 PM, Blogger segurademim said...

... assim, sim! o amor é mesmo assim, permanente!!

besitos ( Carmencita como está? resfriada? )

;)

 
At 7:51 PM, Blogger palabraserrantes said...

Un besito Mixtuuuuuuuuuuuuu!
yayyayayayayya!

 
At 11:29 PM, Anonymous luadoamor said...

Poesia e muito humor e um amor que não tem fim.
beijinhosssssssssssss.

 
At 9:52 AM, Blogger Rafa said...

Vengo a dar las gracias a todos los que han sentido leyendo mis palabras y lo han dicho. Esta no es la única manera que tienen las palabras de adquirir sentido, cuando otr@s las leen y las sienten, pero es gratificante saber que asomado a mi ventana puedo ver a tante gente pasar y entenderla.
Las ventanas dan a la calle por la parte de afuera, pero por la de adentro, cuando se cierran, está el hogar.
Un abrazo a todos de este que escribe porque hay ventanas.

 
At 12:55 PM, Blogger Trini said...

Preciosa la frase de la entrada y qué decir de los dos bellos poemas...Un placer para el lector.

Un abrazo

 
At 3:18 PM, Anonymous Wendy said...

Enamorarse del alma es simplemente, enamorarse, con mayúsculas. El amor es algo tan transparente como el alma. Besos

 
At 4:44 PM, Blogger Luisa said...

Obrigada pelo comentário no meu blog. O Mário de Sá Carneiro é também o meu poeta preferido e não percebo como há tanta gente que o desconhece.

 
At 10:42 PM, Blogger Claudinha said...

Lindas letras meu amigo! Quando o grande sentimento chega, ele nos arrebata assim, de maneira tão voraz... Um beijo!

 
At 11:26 PM, Anonymous Anonymous said...

lo vuelvo a leer y leer
me encantaAaaaaaaaaaaaaaaaa
esta lleno de dulzura
me ha dejado una sonrisa =)

bxos d Peru

 
At 1:30 AM, Blogger in_side said...

" tu misturas de maneira impressionante

nos teus discursos,

o véu a foice e o trigo e tens razão,

já que as coisas estão ligadas umas às outras

e no Senhor são apenas uma,

...





*

 
At 9:14 AM, Anonymous Anonymous said...

O Douro é um río de vinho,
é un río de vinho,
que tem a foz em Liverpool e em Londres...



Antonio Pereira
Do seu poema "Oporto, Sir",
no seu libro "Cancionero de Sagres"


Um numca conhece onde vai ir desembocar o seu rio, por muito que o mar sempre o aguarde.


Um poeta que numca existiu.






RAFAEL REYES LOPEZ DE NEIRA
03-12/2009

 
At 11:48 AM, Blogger ~pi said...

... mas aos nossos [ ? deles...

elas estão bordadas no

véu da

multiplicidade"



Thomas Mann, in
`José e seus irmãos`







~

 
At 11:54 AM, Blogger ~pi said...

... poemas de quando

eu [ eu?

ensaiava

ainda - como agora,

experimentava

ainda - como agora

a polimorfia

ecoante e

sibilante e móvel e imóvel

de todas as

linguagens do mundo

vegetal

ani ma l et alter ,







~

 
At 11:57 AM, Blogger un dress said...

(( des-nu-dada-mente

naddddda-debalde :)






~

 
At 5:14 PM, Blogger Secreta said...

Belissimo...leve, marcante...
Hmm.

 
At 5:31 PM, Blogger Amapola said...

se siente en el aire el moviemiento de sus alas de angel silenciosamente como aire esparcido en el espacio donde respiro.

atenciosamente
Amapola Palacios

 
At 6:43 PM, Blogger Maria P. said...

Belíssimo...

Um abraço*

 
At 7:06 PM, Blogger Ana S. said...

Muito giro o poema sim senhor!
Abrazos

 
At 7:17 PM, Blogger Baby said...

Dois belos poemas, não sei por qual me apaixonei mais...mas foi uma sensação deliciosa deixar-me envolver por cada verso, sentir o perfume de cada palavra, fechar os olhos e imaginar que havia alguém a quem oferecer tão lindas prendas...

Abraço da beira mar.

 
At 7:36 PM, Blogger Nilson Barcelli said...

O poema é excelente.
Não conheço a autora, mas poesia assim dá gosto ler.

E gostei da janela da primeira foto. À antiga, daquelas que podem fazer de guilhotina se caem em cima do pescoço de quem está a ver quem passa...

Caro amigo, bom resto de semana.
Abraço.

 
At 7:53 PM, Blogger Teté said...

Bela poesia... :)

Só agora reparei que vais um ano à frente do resto do pessoal. Estás com pressa?

Não li todos os comentários - são muitos - mas calhou ler um sobre anónimos em pesquisas internéticas parvas e ainda me fartei de rir... :))) (às vezes o melhor é nem saber!)

Beijinhos!

 
At 8:06 PM, Blogger São said...

As fotos estão bel´ssimas, especialmente a primeura.

E o poema é muito bom.

Um abraço grande.

 
At 10:22 PM, Anonymous la-vie-en-rose said...

Tens cada calhau a entrar no blog..que vou-te contar...
Quanto aos poemas,apenas posso dizer lindo...que até doí..
ler estas palavras faz-nos reviver certos momentos ou será que estou a sonhar. Não tenho certezas, apenas sei que gostaria de estar acordada para viver estes momentos saudaveis de poesia.
Nina e Rafael são espantosos, verdadeiros poetas.

 
At 8:06 AM, Blogger Afranio do Amaral said...

A natureza da poesia e a poesia da natureza são coisas diferentes.

A primeira sai de nos directamente, a segunda entra em nos e sai.

Sim falamos de amor, sinto o mesmo com os amantes e com o amor, aplicando cada uma das palavras a cada uma das definições, sendo amantes a primeira e amor a segunda.

No caso dos dois poemas, acho amor no primeiro e amantes no segundo, um jogo na numeração muito significativo para mim que não é por acaso.

Cumprimentos um.

Cumprimentos dois.

 
At 11:14 AM, Blogger MEL CHOCOLATINHO said...

Lindo...
mais palavras para quê?

 
At 11:22 PM, Blogger Barbara said...

Rafael Reyes - que rico!
1 abraço.
E és sempre benvindo!

 
At 11:49 PM, Blogger Je Vois la Vie en Vert said...

Gostei do poema de Nina Castro que não conheço.

Mixtu, és uma pessoa um pouco misteriosa, não és ? Vives em 2010 e recebes votos para o ano de 2007.

O importante é viver entre amigos, viver o momento presente que se situa entre o passado de 2007 e o futuro de 2010...

Beijinhos

Verdinha

 
At 11:51 PM, Blogger Miriam * said...

Ouve quem se fizesse ser meu sem o ser... =)

gostei do teu blog..se gostar tbn do meu se torne "seguidor" ..

Beijinho
Miriam*

 
At 11:59 PM, Blogger mixtu said...

Rafael,
un fuerte abrazo amigo de otros caminos...

y yo non me a olvidado el marisco, la tentiva del robo de mi carmén... yayaya

abrazo, compañero y un bueno descanso... te esperamos... con tu poesia... que habla de rios... de "rapazas"...

Fuerte abrazo, amigo,

 
At 12:01 AM, Blogger Barbara said...

Perdoa a indiscreção e nem precisa responder mas:
Por que sinto me tão bem quando recebo sua visita?
Apenas um registro.
Ou um registro-pergunta-sem resposta.
Interessante apenas.

 
At 12:09 AM, Blogger mixtu said...

Barbara,
Porque te sentes bem com as minhas visitas (comentarios)...
Pois não sei...
A única cousa que te posso garantir é que aqui na Serra tenho contra mim uma acção judicial por parte das farmácias...
desde que vim para a serra (vindo do Burkina Faso) as pessoas deixaram de comprar comprimidos...
as palavras também curam maleitas...
e corre o boato porque apareceram por aqui raparigas grávidas ( elas são solteiras) que foram as minhas palavras o causador desse estado, boatos...
Abrazo serrano

 
At 12:17 AM, Blogger mixtu said...

Je Vois la Vie en Vert:
Escreves:
"Mixtu, és uma pessoa um pouco misteriosa, não és ? Vives em 2010 e recebes votos para o ano de 2007."

Se estamos em 2010, quase 2011 e há gente que deseja bom 2007!!! realmente...

Não é importante o ano em que vivas, só tens que ter a agenda certa,... por exemplo se achas que vives em 2009, espero que tenhas agenda de 2009...

Por aqui na serra... o importante são as estações... sabemos que depois do período de nevada... passou mais um ano, e se não me enganei a contar os nevões... 2010...

abrazo serrano y europeo

 
At 1:02 AM, Blogger Patricia 333 said...

MIXTU ...... GRACIAS


BESOS Y MAS BESOS

 
At 1:24 AM, Blogger RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO said...

Mixtu!
Linda sensível postagem!
Reyes e Nina têm lindas janelas miradas!
Muito obrigada
Abraços a todos
Renata

OLHOS ASTRAIS
José P. H. Hernández (1892-1922)

Se Deus, um dia, as nascentes de luz,

enfim, cegasse,

todo o universo se deslumbraria

com os olhos que alindam tua face.

Mas se – cheio de enfados pesarosos

por tal blasfêmia – os teus olhos formosos

Deus te arrancasse,

para que o mundo, assim, com a alvorada

dessas pupilas não se deslumbrasse,

mesmo querendo, Deus não poderia

estender toda a noite sobre o nada,

porque inda o mundo se deslumbraria

com a recordação dessa mirada!

Traduzido por renata cordeiro

 
At 7:47 AM, Anonymous espelhodesombras said...

Ol´´a Mixtu, lindo esse poema de Nina, que enfim como toda mirage, chegou, mas esse petrificou..
braxos serranos
João Costa filho

 
At 9:24 AM, Blogger Je Vois la Vie en Vert said...

E o mistério continua... :-)

Na tua serra, já passaram os nevões.

No "plat pays qui est le mien", cantava Jacques Brel, os nevões ainda não começaram.

No pais onde nasci (Congo), nunca vão começar...

Confesso que gosto de ver os nevões mas é através de belas janelas como na fotografia dentro de uma casa aquecida...

O importante é ser feliz !

Abraços para ti e para as tuas ovelhas

Verdinha

 
At 6:19 PM, Anonymous zé lérias said...

Um grande abraço.

Bom fim-de-semana

 
At 10:00 PM, Blogger MAR said...

Enredaderas de amores que se van tejiendo con la vida.
Besos para ti, precioso poema.
mar

 
At 11:19 AM, Blogger Arabica said...

E como resultaria a foto do teu rosto nesta tão grande janela virtual?

:) Beijinhos

 
At 6:08 PM, Blogger Graça said...

Gosto de blogues onde existem homens que gostam de poesia... como esta.

Beijo da cidade com saudade da serra.

 
At 8:10 PM, Anonymous sonho said...

Mis ojos de poeta son una enredadera
.
.
e
.
.

Fizeste-me somente tua, sem te ter.

dois versos que retive entre tantos versos, incluindo os dos comentários.

Beijos de un anjo

 
At 8:51 PM, Blogger Maite said...

Caro Mixtu

Caramba! este poema é muito bonito.
Deixo-lhe um poema de que também gosto muito.
"...
por tuas mãos se desfaz a neblina.
mas diria que não é névoa, chuva ou zimbro
o que escorre das arestas molhadas
e cavernosas do gélido crepúsculo.

são sílabas de fogo e sombras. sombras cálidas,
diáfanas, perfumadas sob o silêncio do entardecer.
um silêncio sem margens que se dilata
em combustão de lume brando
por entre as flores rubras do topo das colinas
e o balanço curvilíneo dos flancos.
..."
Zénite (no seu Blog)

Uma abraço para si

 
At 8:05 AM, Anonymous El poeta que nunca existio said...

Sou um homem vazio
diz o poeta
sou um homem antes do homem.
A minha ferida é uma página
do deserto.
O meu canto eleva-se
entre as mandíbulas da morte.

O que eu amo sobretudo
é a simplicidade de um solo
que não possuo.
O que eu espero é o improvável elemento
que aglutine os despojos do silêncio
e lhes dê um rosto
maravilhosamente tranquilo.

O que eu desejo
vem depois de toda a esperança
e vai para o zero inaugural
como uma sílaba de silêncio ou de água.

Sou um construtor de gritos no abismo
uma bandeira de lava e de granito
e sou a vara que o vento inclina
com uma colmeia de abelhas anelantes.

Procuro o vigor pulmonar
dos grandes caminhantes do deserto
e escrevo sobre o muro que a dor constrói
com a fúria subterrânea de um felino.

Como um girassol de aluvião
as minhas palavras embrulham-se nas ondas
e na vertigem verde do seu ritmo.
Se às vezes cintilam com o brilho poderoso
da água mais profunda
é porque a sombra as alimenta
é porque o desejo as levanta.



António Ramos Rosa

 
At 8:08 AM, Blogger Afranio do Amaral said...

Afranio pensa que ser poeta não é uma ambição,
nem tem medida no tempo,
nem sequer é evidente.

Ele diz que os poetas são um espaço infinito
e nos olhamos para eles assombrados,
como se eles fossem conscientes de sua importância.

Não o são, não,
são in-coscientes de se mesmos
e nem morrendo morrem,
porque se passam a vida morrendo.

Assim, Afranio sente que são como uma nebulosa,
tanto como porque é nelas onde nascem as estrelas,
como porque seu contorno é indefinivel,
sente que a sua importância trespassa também nossa consciência
e não podemos saber deles o que dizemos,
e mentimos quando os nomeamos poetas.

Ele diz que os poetas nunca se vão,
nunca voltam,
nunca estão,
mas ele acredita na sua importância.




Afranio sente e diz tudo isto,
enquanto observa a lua no céu,
ensimesmado.




.

 
At 8:33 AM, Anonymous RAFAEL said...

Vou ao teu corpo com cada parte da minha alma com a qual te sinto presente dentro do meu corpo, ao que lhe falta o teu e o meu também, que sem tua alma só é um corpo que me falta e uma alma que te precisa.


Eu não sei sim a minha alma é mais impossível do que teu corpo, ou se tú és a alma do meu corpo, ou se tú és o impossível corpo da minha alma... mas eu vou ao teu corpo, alma do meu, corpo do meu corpo, estranha ilha que me vai enchendo toda a ausência que eu tenho de ti.



Rafael Reyes.



(Yo nunca intento robar ciertas cosas, me parece un ejercicio estupido porque hay cosas que son imposibles de conseguir por ese metodo, cosas que solamente se alcanzan cuando son entregadas y ni siquiera asi llegan a pertenecer a quien las recibe.
Aprender a recibir, ese si es un ejercicio de crecimiento, porque recibir es mucho mas dificil que dar)

 
At 1:44 PM, Blogger mixtu said...

Rafael,
yayyayaya
yayayaya
eu sei que nem sequer houve tentativa de furto da "minha Carmén"...
Apenas um convite para comer polvo na nossa Galicia...

E depois de tantas tormentas, Cármen está muito bem, a trabalhar como cientista no CERN...

Abrazo amigo do polvo, yayyay
um forte abraço...

 
At 3:04 PM, Blogger RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO said...

Olá, Mixtu!
Sabor do Amor? Sabor de vida
Cor do amor? Depende
Tenho um amor azul
Abraços,
Renata

AMOR AZUL


Pela luz azul dos olhos teus te amei.

Pela transparência de tua alma te amei.

Pela delicadeza do teu ser te amei

Pela tua voz doce, suave, te amei

Amei-te aos poucos, e, aos poucos, foste preenchendo meu vazio

Amei-te crescendo, aprendendo a cada dia a te admirar mais e mais

Amei-te pelo carinho que a mim concedeste

Amei-te pela mão firme a conduzir os caminhos meus

Pela luz azul dos olhos teus,

meu corpo, minha alma, repousaram no corpo teu

Noite azul inesquecível noite azul,

selada para sempre em um sonho tão meu

E por me sentir amada, tão amada,

doei minha alma aos encantos teus

Perguntas-me por que te amo, e te respondo:

Na vida, não tive e jamais terei um amor tão azul,

quanto a luz azul dos olhos teus.

 
At 3:40 PM, Blogger aflores said...

Quem chega sempre assim, chega bem e por bem.

Dá para (re)ler.

Grande abraço.

 
At 7:03 PM, Blogger Meret ® said...

Preciosas letras compartes...
Es una maravilla leerlas.

Gracias por deleitarnos con esta bella entrada.

Un abrazo.

 
At 10:53 PM, Blogger in_side said...

[ histrionique-un-jour,

? histrionique

tou jour s,



*

 
At 3:53 PM, Blogger mfc said...

Ler poesia é ler no interior de nós próprios.
Obrigado.

 
At 4:03 PM, Blogger missixty said...

Lindos poemas, com frases belíssimas! Adorei a tua escolha de imagens!
beijos

 
At 10:58 PM, Blogger Um Poema said...

....

Excelentes!
Gostei particularmente de CHEGASTE

Um abraço

 
At 5:20 PM, Blogger Papoila said...

Belíssimo Mixtu!
Li com emoção e senti profundamente.
Beijos

 
At 11:26 AM, Blogger fgiucich said...

Muy bello, amigo. Abrazos.

 
At 4:27 PM, Blogger bàrbara said...

no tengo mucho para decir,solo lindo poema y la primera foto preciosa
abrazos serranos desde america

 
At 10:18 PM, Blogger Marta said...

Boas escolhas....
Envolventes....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

 
At 11:35 PM, Blogger Nilson Barcelli said...

Voltei, reli e continuei a gostar.
Caro amigo, bom resto e fim de semana.
Abraço.

 
At 1:47 AM, Blogger Je Vois la Vie en Vert said...

Querido Mixtu,

Anda ler poesia, preparar um tertúlia entre amigos e junta-te à festa da Laurinha no

http://jevoislavieenvert3.blogspot.com/

Beijinhos

Verdinha

 

<< Home

António Vega-Lucha de gigantes

_______________________________________________25.000 visitantes (Anterior counter),
ecoestadistica.com