Wednesday, November 05, 2008

Pasar a comentarios para leer el post en portugués (1º comentario) e castellano (2º comentario)

103 Comments:

At 10:00 PM, Blogger mixtu said...

Na serra os mais velhos não sabiam ler, poucos foram os homens que fizeram a 4ª classe e contavam-se pelos dedos de uma mão as mulheres que tinham feito o exame da 3ª,

No Sabugueiro havia que escrever as cartas para os filhos que tinham emigrado para França, Alemanha e outras paragens,
Difícil partilhar com os adultos uma carta e por isso eram as crianças que as escreviam,

Eu escrevia as da Dona Dores, da Dona Norberta e da Dona Lucília,
“Espero que esta carta vos encontre de boa saúde, nós por cá estamos bem…”

O Jorge escrevia as cartas à Dona Ana, mas um dia e porque o Jorge estava para o monte e havia urgência na escrita, a Dona Ana chamou-me,
Quando veio a carta da filha Rosa, de Paris, foi acrescentado um parágrafo que não vinha na carta:
“Mãe, mudaste de menino para escreveres as cartas, tem uma letra mais redondinha, lê-se melhor…”
Havia que aproveitar esta oportunidade e quedar com o monopólio deste negócio, 20 escudos a escrita, 10 escudos a leitura,

Passado um ano, a Dona Ana chamou o Manel para escrever uma carta… como era possível? Havia que eliminar a concorrência… fui até à casa da Dona Ana e chamei pelo Manel, ao cimo das escadas apareceu a senhora:
“O que é?”
“A mãe do Manel está a chamá-lo, precisa dele para recolher as ovelhas” (o que era mentira),
A Dona Ana ao fazer o movimento para chamar o Manel que estava na sala, desequilibrou-se e caiu nas escadas…
Um grande alarido, a vizinhança toda a dizer que tinha sido a garotada a responsável pelo acidente,
Muito calmo, Bernardino,o marido da Dona Ana, disse-lhes que nós não tínhamos tido culpa e para nada dizerem ao meu pai…

Passados 2 dias, 13 de Novembro, dia do meu 10º aniversário, nesse dia não houve bolo em casa, não havia motivos para festas, havia que ir ao funeral da Dona Ana,

No 2º comentario, tradução para castellano,

 
At 5:53 PM, Blogger RAFAEL REYES said...

En la Sierra, los más viejos no sabían leer, pocos fueron los hombres que hicieron el cuarto curso y se contaban con los dedos de una mano las mujeres que habían hecho el examen de tercero.
En Sabugueiro, había que escribir las cartas para los hijos que habían emigrado a Francia, Alemania y otros lugares.
Difícil lograr que los adultos escribieran una carta y por eso eran los niños quienes las escribían.
Yo escribía las de doña Dolores, las de doña Norberta y las de doña Lucília,
"Espero que esta carta os encuentre bien de salud, nosotros por acá estamos bien…"
Jorge escribía las cartas de doña Ana, pero un día Jorge estaba por el monte y había urgencia en la escritura.
Doña Ana me llamó.
Cuando llegó la carta de la hija, Rosa, desde París, fue añadido un párrafo:
"Madre, cambiaste de niño para escribir las cartas, tiene una letra más bonita, se lee mejor…"
Había que aprovechar esta oportunidad y quedar con el monopolio de este negocio, 20 escudos la escritura, 10 escudos la lectura,
Pasado un año, doña Ana llamó a Manel para escribir una carta… ¿Como era posible? fui hasta casa de Doña Ana y llamé a Manel gritando hacia la parte de arriba de las escaleras y apareció la señora:
"¿Que pasa?"
"La madre de Manel está llamándolo, lo necesita para recoger las ovejas" (lo que era mentira),
Doña Ana, al hacer el movimiento para llamar a Manel, que estaba en la sala, se desequilibró y cayó por las escaleras…
Un gran alarido, los vecinos dijeron que habíamos sido nosotros los responsables del accidente.
Muy tranquilo, Bernardino, el marido de Doña Ana, les dijo que nosotros no habíamos tenido la culpa y que no le dijeran nada a mi padre…
Pasados 2 días, 13 de Noviembre, día de mi 10º aniversario.
Ese día no hubo bollo en casa, no había motivos para fiestas, había que ir al funeral de doña Ana.

 
At 5:54 PM, Blogger RAFAEL REYES said...

¡¡Alá vai o negocio!!

 
At 11:29 PM, Blogger Whispers in night said...

Ola Mixtu!
Nao sei onde foi a tua infancia so que realmente havia algo todos os dias nada era o mesmo, bons velhos tempos acho eu...
Obrigado pelo teu comentario, meu querido eu ja me encontrei faz anos e ja fui encontrada faz seculos ihhiiih
Desejos de uma semana super feliz
beijos mil
Whispers

 
At 11:52 PM, Blogger un dress said...

também li e escrevi muitas cartas assim!

e adorava, sobretudo, escrever. era assim enviar pro desconhecido pedaços de vida viva empacotada em letrinhas redondas e frases igualmente redondas :)

e quase sempre as palavras se iam abrindo,
e viajavam.............
navegavam
voavam
ou calçavam sandálias e caminhavam mais devagar

e via, de facto, outros lugares, situações, mirambolações :)

imaginava
como seriam
o gilberto a adelina a eulália...

curiosidade, aliás, que trago até hoje. pois...
como seriam!!?



:)beijO

 
At 12:17 AM, Blogger Lia said...

O meu apego às palavras é tão grande que estas acabam por ser o princípio, o meio e o fim da minha existênccia... são a forma que tenho para me relacionar com os outros e com o mundo...
Por isso escrevo... escrevo-te... escrevo-me... tocando assim como se possuisse uma varinha mágica...

A'laena sar...

Um beijo

 
At 12:42 PM, Blogger titania said...

Solía escribir cartas para una señora en el pueblo. Creo que todas empezaban igual, je.

Oh! a mi no me pagaban!!

Besos mixtu

 
At 2:37 PM, Blogger Alma Minha said...

Também na minha infância escrevi cartas assim...
Beijos do fundo da Minha Alma

 
At 3:09 PM, Blogger Papoila said...

Querido Mixtu:
Também na cidade li e escrevi cartas... as Anas da cidade também não sabiam ler...
Triste fim da D. Ana e lá se foram os proveitos do "escriba".
Beijos

 
At 3:14 PM, Blogger Baby said...

Ai que dessa vez, mesmo sendo uma criança sem culpa, deve ter sido duro para ti! Mas a vida é isso mesmo, está sempre a dar-nos lições, mesmo que ninguém lhas peça...e nós vamos aprendendo,quer queiramos ou não.
São riquíssimas as tuas memórias.
Um beijo.

 
At 6:58 PM, Blogger Francis said...

Também escrevia as cartas da minha mãe para a França. Começavam, invariavelmente com a frase tão original: "Espero que esta carta os vá encontrar bem de saúde que nós estamos bem".
Quando fiz 22, para poupar o dinheiro do selo; meti uma mochila às costas, fui apanhar um comboio a Sta. Apolónia e entreguei pessoalmente a carta.
Não sabia é que se podia cobrar pelo "Serviço" de escrever cartas.
Porque não nasci eu, capitalista???

Espero que este comentário te vá encontrar, pleno de saúde :-)))

One hug!!!

 
At 7:01 PM, Blogger Claudinha said...

Ah querido, me fez lembrar as cartas que escrevia para uma vizinha... Eu provoquei um grande encontro amoroso proibido. Um dia eu conto no blog. mas levar uma senhora a cair da escada... Puxa que moleques danados! Beijão!

 
At 7:56 PM, Blogger Yes, Master said...

Uma história que ficou por acabar bem...não fosse o manel...as escadas...ou o destino da Dona Ana.

Certo é que não se deve bulir no que tá quieto.

Assim, custou-se um bolo.

Abraço

 
At 8:31 PM, Blogger Haddock said...

mixtu, tu não devias ter ido para pastor, mas para merceeiro!!
mas percebo o trauma...
ainda assim, a bonomia dos serranos safou-te do reformatório...

e continuas com boa caligrafia!

abraço anárquico!

 
At 9:47 PM, Blogger Leodegundia said...

Eso sucedía en muchos pueblos en dónde las personas que sabían leer y escribir se reducían al maestro, el médico, el cura y pocos más.
Un saludo.

 
At 10:00 PM, Blogger Naeno said...

As palavras escritas são mais amenas mesmo carregadas das mesmas agressões e impressões erradas. As faladas, estas levam os gestos, a cor dos olhos, os dentes, e doem mais.

Um beijo
Naeno

 
At 10:14 PM, Blogger missixty said...

Que história tenebrosa! Uma mentira inocente provoca um funeral! Xiça! Eu acho que ficava com a consciência pesada! Claro que foi um acidente, mas se lá não tivesses ido...ela não tivesse caído nas escadas!
Eu também costumava escrever as cartas para a família, não porque a minha mãe não o soubesse fazer, mas porque assim lhe dava menos trabalho! E nem um chavo ganhava!
Tenho de aprender umas coisinhas contigo, ehehehe!

 
At 12:04 AM, Blogger Eli said...

Xiiii

Nunca me pediram isso. Ainda bem, sinal da evolução dos tempos... Por isso, não me venham cá dizer que antigamente é que era bom e que se sabia tudo! lol

Abraço.

 
At 12:49 AM, Blogger Metamorfose said...

Por aí faz-se anos a 13 de Novembro, por aqui fazem-se 2 dias depois, escorpiões...danados e tu parece que desde pequeno. Lindas as tuas memórias.

Besitos.

 
At 1:05 AM, Blogger Belzebu said...

Ainda escrevi algumas cartas e li muitas outras, a uma empregada lá de casa que tinha um irmão a combater na Guiné! Era eu um miúdo de 9 ou 10 anos, mas nunca me esqueci de como isso era importante para ela!

Voltei ao início dos anos 70 com este teu post e soube-me muito bem, apesar dos tempos difíceis que vivíamos!

Saudações monárquicas e infernais!

 
At 1:12 AM, Blogger escorpiona said...

Hace tiempo que no escribo una carta o que recibo alguna, se extrañan :)...
Un saludo
Chau

 
At 3:17 AM, Blogger Monica said...

Yo no escribía cartas para las señoras pero si, versos para mis compañeras del secundario. Los hacía con el nombre del novio, se llaman acrósticos, me lo pedían hasta las profesoras...de algunas malas notas me salvé por los versitos.
Con tu nombre si sería difícil que palabra empieza con x ??

Recuerdo tu nombre
A veces llorando
Fantasias me rondan
A través de tu canto
Entre los dos senderos
LLévame al campo.

jajaja, bueno no salió como esperaba, pero con Rafael fue más fácil.
Es para reirnos un ratito..
Besos

 
At 6:09 AM, Blogger Supermamá... said...

Uyyyy que largo mixtu y con la letra tan pequeña se me hace dificil leerlo. Pasaré con más tiempo y te dejaré el comentario. Ahora te dejo otro abrazo europeo para ti jajaja

 
At 2:16 PM, Blogger zé lérias said...

Naquele tempo eras muito interesseiro, Mixtu!
Na minha aldeia de Sta. Luzia de Lavos-Fig.da Foz (não me digas que também conheces?!) ou as famílias naquele tempo já tinham pessoas que sabiam ler e escrever ou então não recebiam nem endereçavam cartas a ninguém. É que a mim até fazia muito jeito receber, nem que fossem vinte e cinco tostões, por cada carta escrita.
É interessante relembramo-nos desses tempos gloriosos (!)passados na aldeia em que até o cheiro a húmus, vindos do campo e currais, já nos parecia ser o cheiro do mundo.
E não estávamos totalmente enganados ;)

 
At 4:18 PM, Blogger Menina do Rio said...

Xiiiiiiiiii...
Matou a mulher por 20 escudos???

Eu não tenho muito a dizer sobre isso, mas cá já foi feito um filme (Central do Brasil), onde uma mulher vivia de escrever cartas na Estação central do Rio de Janeiro; então imagino que esta era uma realidade na época.

Beijinhos de cá

 
At 5:01 PM, Blogger mixtu said...

Pela Serra não há psicólogos, psicanalistas e outros gajos esquisitos como esses, é o o Toino Boticas que nos receita algo quando temos maleitas ou traumas na cabeça... e foi ele que me aconselhou a escrever esta posta...
Mas... acho que não está a surtir efeito...

"Claro que foi um acidente, mas se lá não tivesses ido..."

"Xiiiiiiiiii...
Matou a mulher por 20 escudos???"

yayaya, é melhor ir para os copos...

 
At 5:26 PM, Anonymous cõllybry said...

Olá, pois, estou de volta...

Lembro bem, em pequena era rara a pessoa que sabia escrever,escrevi algumas...gostei das tuas cartas que não mais se escrevem...

Bjca doce

 
At 5:52 PM, Blogger Ka said...

Mitxu,

Nunca tive dessas experiências. O masi parecido que tive foi ganhar alguns tostões com tarefas que uma vizinha nos pedia tal como descascar feijão verde...lol

Beso Português

PS - Com que então escorpião!!! Eu também mas do dia 21...hehe somos boas pessoas verdade?

 
At 6:06 PM, Blogger naoseiquenome usar said...

Xiii!!!
Tadinha da D. Ana e dos outros miúdos. Isso é que era eliminar a concorrência, hein?
:)
Ainda e sempre a infância. è engraçado. Por estes lados escreviam-se e liam-se mais aerogramas.

___
Tenho a certeza que a D.Ana está no céu e já te perdoou. :)

Beijooo

 
At 6:15 PM, Blogger Rui Caetano said...

Ora, as cartas que eu escrevi. Era tudo tão diferente, escrevíamos contávamos as nosas coisas, era outro tempo, no entanto, hoje a próximidade é maior, a net é mais eficaz, sem dúvida.

 
At 6:38 PM, Blogger butterfly said...

sim,acho k na minha juventude tambem houve cartas assim...mas secalhar não tão inspiradoras como as tuas...
beijinhos

 
At 7:43 PM, Blogger rendadebilros said...

A primeira parte recorda tempos de que quase ninguém já se lembra... só lendo na "Morgadinha dos Canaviais" ou pelo Mixtu...na blogosfera - no MInho ou nas Beiras ou em Trás-os-Montes ou ... por aí fora as cenas eram idênticas!) num mundo invadido pelas novas tecnologias ( irão ser sempre novas?) que parece que unem as pessoas mas cada vez mais afastam... Pena a esperteza do "herói" ter tido um desenlace tão trágico...
Abraço.

 
At 8:34 PM, Blogger Luthien said...

Yo tenía una amiga que no sabía leer su familia le mandaba cartas desde lejos, yo se las leía, me daba tristeza que no supiera leer =(

Besos mixtu

 
At 10:32 PM, Blogger Papoila said...

Olá Mixtu!
Ainda não chegou o Natal mas há presentes para ti lá no campo.
Beijos

 
At 11:18 PM, Blogger almena said...

Esta vez, el no saber escribir le costó la vida a Doña Ana...

Saludos!

 
At 11:44 PM, Blogger Betty Branco Martins said...

Querido Mixtu

A tua infância________foi riquissima em acontecimentos_____obrigada por partilhares________vivências inesquecíveis:))

Beijinhos com muito carinho
BS

 
At 1:04 AM, Blogger missixty said...

Eu vim agora dos copos, acredita que é uma boa cura! ehehehe
bejos guapo

 
At 1:15 AM, Blogger zé lérias said...

Não há dúvida: és o homem mais bem informado que Portugal tem. Nem o primeiro-ministro do inglês técnico te leva à palma, apesar de não residires cá.
Já provaste umas esguiazinhas nos Armazéns de Lavos? - Olha que valia a pena, pelo menos há uns anitos atrás.
Boa saúde, meu amigo.

 
At 1:50 AM, Anonymous Fusa said...

Holas Mixtu, me has recordado mi infancia, yo era la pequeña de casa y era la encargada de responder las cartas de mis tios exiliados políticos en el pais vecino y también empezaban con esa coletilla:

"Espero que esta carta os encuentre bien de salud, nosotros por acá estamos bien…"

Abrazo europeo, mis tios siguen en Europa ;-)

 
At 2:17 AM, Blogger Gi said...

Mixtu

Sou menina da cidade caramba, não tenho histórias destas para contar. As únicas cartas que escrevi em garota (para além das que escrevi ao menino Jesus, sim porque na altura o Pai Natal era figura secundária) foram para a minha mãe que estava em Angola. Cartas sofridas escritas por uma menina de 9 anos. Essas não quero recordar. Acho que deve ter sido por aí que nasceu a minha embirração pela escrita e o meu amor pela leitura. L~e-las era ter a minha mãe por um momento ao pé de mim. Assim eu sinto as leras. Vivo-as.

A esta hora já não sai coisa com coisa e fico lamechas. Beijos

 
At 5:52 AM, Blogger Supermamá... said...

Gracias Mixtu...muchas gracias por la traducción de tu relato...
La verdad es que me transporté al lugar mismo del cuento y me imaginé a esos niños sintiendose muy importantes para la comunicación de sus mayores. Tambien se destaca el afan de sobrevivencia en los negocios jajajaj
Aquí te dejo un fuerte abrazo y la petición de más relatos.
bss
PD: Lo prometido es deuda y aquí estoy con el comentario prometido jajajaa bss

 
At 1:15 PM, Blogger serenidade said...

A foto faz-me lembrar a cançã "Querido pai querida mãe então que tal...." o envio de cartas que demoravam semanas a chegar ao seu destino, as mensagens de amor e de dor pela distância que elas encerravam.... e que saudade tenho dessas cartas, era tão bom ouvir o carteiro gritar o meu nome....

O não haver bolo de aniversário é compreensivel, mas não válido porque apenas tinhas 10 anos...

Serenos sorrisos

 
At 5:39 PM, Blogger Rosenrod said...

¡Jo, qué final más triste! Con lo preciosa que había empezado la historia...

Un saludo!

 
At 6:22 PM, Blogger Lídia said...

... confesso que fiquei a pensar na D. Ana. Existem traumas difíceis de ultrapassar :)

 
At 8:36 PM, Anonymous Credendo Vides said...

Madre mía, todo por una carta. Pero a todo el mundo le gusta que le digan q escribes bien no? jejeje.
Saludos desde el Inframundo.

 
At 2:00 AM, Anonymous Bia said...

Tuas histórias são sempre muito ricas de aprendizado de vida. A riqueza de tuas memórias nos traz excelente material para reflexões.

Ficam pétalas perfumadas, um beijo no teu coração e o desejo de dias lindos a enfeitar tua vida.

 
At 4:25 AM, Blogger cieloazzul said...

Oh!!!!
que triste!!!!
que recuerdo más lleno de nostalgia e ingenuidad...
Amigo..
pasate en cuanto puedas a
http://celebremoscelebremos.blogspot.com/
Y déjame saber tu fecha de cumple y aniv de Blog!
Muchas gracias!!!
besos:)

 
At 6:05 AM, Anonymous soldesoles said...

Vaya anécdota...No lo puedo creer...Vaya que si tienes que contarnos.
Besooooooooos y mucha felicidad ☼

 
At 10:25 AM, Blogger GK said...

Cruzes!!!
Estas tuas histórias deviam ser compiladas em livro! Juro!
A tua infância foram só aventuras! Melhor que "os 5"! ;)
Bj.

 
At 10:28 AM, Anonymous arte de amar said...

xiçaaaaaaaaaaaaaaaaaa a mulher morreu??? :0
Bem que lher ficaste c mtos tostoezinhos :p

kisssss

www.intimomisterio.blogs.sapo.pt

 
At 11:55 AM, Blogger Visão Caleidoscópica said...

Eh...eh...
E lá se foi o negócio!
Agora ris-te mas na altira não achaste piada nenhuma, de certeza!
Pois é, eu nunca fui a "escriba" da aldeia porque era menina de cidade, mas sei a grande parte da "primalhada" que vivia na aldeia tinha essa função.
Mas escrevia sempre à minha tia e madrinha que estava em França, porque eu própria queria. Dáva-me prazer escrever longas cartas de 2 e 3 folhas e depois desenvolver todo aquele ritual de copiar o endereço do destinatário para o envelope, com uma morada em francês que eu não entendia nada.
Quando ía comprar os selos era uma festa...sentia-me orgulhosa por escrever para alguém que estava em França: Onde seria esse país? Tão longe!
E sempre que colocava a cartinha no marco do correio, dizia:
"Esta é para a minha tia que está em França! Vê lá não te enganes!"
Velhos tempos!
Beijos e até mais...

 
At 11:58 AM, Blogger fgiucich said...

Una muy bella historia, amigo. Abrazos.

 
At 3:25 PM, Blogger Maria P. said...

Pois é, diz o povo: Cá se fazem, cá se pagam!

Besitos*

 
At 3:56 PM, Anonymous Secreta said...

Uma "estória" bonita com um final menos feliz ...
Eu nunca fiz esses "trabalhos" , creio que nasci depois desses tempos :)
Beijito.

 
At 7:38 PM, Blogger princess olie said...

Qué desgracia, Mixtu,
con estas historias
uno llega a creer
que la fatalidad viene predestinada

Muchas gracias
por el saludo que me has dejado
en mi onomástico.

Besos desde Chile:

olie

 
At 8:44 PM, Blogger Maçã com Canela said...

Eu gosto de Cartas de Amor...

Misturas p ti... aromatizadas!

 
At 8:56 PM, Blogger Paulina said...

Bueno pobre señora Ana que culpa iban a twenr ustedes , son cosas que suceden lamentablemente y ya .
Y que visionarios eh? con su propio negocio de escritura y todo :D
Te imagino y debsite haber tenido una cara de travieso jijij.
Muchos besitos Mixtu

 
At 8:58 PM, Anonymous Ratoncilla said...

Uy mi letra por mas que intentaba de que fuera redondita no me salia :( y mira que me esforzaba en clase de caligrafia , sera que como era Zurda me costaba mas ? no lo se :D
Muackkkkkk besitos

 
At 9:17 PM, Blogger Cucagaio said...

Querendo eliminar a concorrência, eliminaste o serviço.
Realmente, bons velhos tempos, mas só agora os podemos apreciar

 
At 12:47 AM, Blogger impulsos said...

Este texto fez-me voar no tempo e recuar trinta anos...
Também eu era a escolhida para escrever as cartas da Tia Maria Augusta, que tinha irmãs em Lisboa, com quem se correspondia regularmente .
No fim, agradecia-me com um lanchinho de chá de cidreira e bolachas maria... não tinha concorrência alguma e ficava satisfeita com o pagamento!

Beijo

 
At 1:46 AM, Blogger zé lérias said...

É bem o que eu digo!
Até o Bizorreiro onde tenho família...
Um abração e bom fim de semana.

 
At 4:21 AM, Blogger Freyja said...

que maravilla de negocio y que lindo escribir carta
lamento que el negocio haya terminado con la muerte de de doña Ana
me encantan tus historias amigo, te felicito
te dejo muchos cariños y que ests muy bien
muchas gracias por tu compañia y un lindo dia viernes
bsitos



besos y sueños

 
At 10:51 AM, Blogger Rui said...

Agora, vai tudo à Junta de Freguesia pedir ao funcionário para mandar um mail à família. :)

Abraço internético.

 
At 11:56 AM, Anonymous incondicional said...

Aún no has acabado con la carta ????

Siempre nos traes historias entrañables.

Un beso europeo

 
At 2:01 PM, Anonymous Brisa said...

Hay momentos que cuando se repiten en voz alta al cabo del tiempo se convierten en historias, aunque en este caso se haya convertido en una triste historia.. tiene ingredientes, de ternura, de humanidad, de recuerdos, de fechas.

Preciosa, pero sí... triste.

Un besito grande Mixtu

 
At 10:42 PM, Blogger Gi said...

Bom fim de semana Mixtu. Estrelado (mas sem ovos) e com muitos queijos :) . Eu sei que é uma mensagem um pouco estranha mas também sei que tu percebes. Beijinhos e sorrisos. Amanteigados.

 
At 11:50 PM, Blogger Haddock said...

...

mixtu, o toino boticas até acertou no remédio, já que dizem que a escrita é expiatória, mas deve ter-se esquecido de te dizer para não partilhares estas más memórias com ninguém... é que anda sempre por aí à solta um dedinho acusador!!

que é feito da galatea??


abraço anárquico!

 
At 12:58 AM, Blogger Francis said...

"Eliminar a concorrência". Foi a palavra chave do comentário da minha amiga NSQNU. Eu inicialmente pensei o mesmo mas optei por me calar.

Acho que o Fidel jamais, faria uma coisa destas à sua vizinha Carmencita.

A Escorpiana (que lábios!) pôs o dedo no Envelope ao dizer que faz muito tempo que não recebe uma carta. É um sinal dos tempos.
Eu pelo menos ainda recebo cartas do Banco oferecendo-me cartões de crédito. São óptimos para calcar os pés das mesas!

Vou-me!

... e estou zangado com a NSQNU por nos ter abandonado fria a cruamente. Não receio dize-lo pois sei que ela não verá este comentário.

Agora é que me vou!

 
At 3:20 AM, Blogger Princesa Dariak said...

Pobre Ana!... y menos mal que el esposo salio en defensa de ustedes.

Yo le escribìa las cartas a mi abuela... me hiciste recordar.

abrazos de luz.

 
At 11:45 AM, Blogger Boop' said...

Mixtu...

As cartas escritas sempre tiveram um encanto!
Espero que continue a haver quem dite e escreva cartas na serra...
Já que os mails andam a substituir essa prática de que tanto gosto!
Eu continuo as escrever de quando em vez.
Um postal aos amigos quando estou fora...
uns desejos de boas festas pelo Natal...
E uma carta especial de quando em vez!

 
At 2:55 PM, Blogger galatea said...

cruel esta historia de traviesos rapaces, cruel para esas pequeñas cabecitas y tiernos corazones.
Hay una película brasileña muy buena sobre escribientes de cartas ajenas, niños y amistad en medio de un paisaje agreste maravilloso: "ESTACION CENTRAL" de Walter Salles
Cariños.

 
At 4:18 PM, Blogger Nilson Barcelli said...

Mas que história, com mortos e tudo...
Ainda me lembro das cartas escritas e lidas para os analfabetos.

Havia um merceeiro que escrevia e lia dessas cartas. Numa das cartas, que vinha de um marido embarcado na pesca do bacalhau, que não sabia quem lia as suas cartas, dizia ele: "... Maria, o merceeiro que espere pelo dinheiro... come e bebe... ele que se f***...".

Bfs, abraço.

 
At 5:54 PM, Blogger Carmiña said...

¡Hola Mixtu!

1- Son cosas de niños

2- Buena forma de enterarme cuando cumples años.

 
At 1:19 AM, Blogger Yessi said...

Muy linda labor la de escribir cartas para otros...en lo personal a mi me fascinan, me encanta recibir y escribir cartas, claro que no me quejo de la comodidad del internet y toda esta tecnologí ja ja ja, pero una carta se atesora mucho y se siente el cariño de una persona en la lejania a través del papel, a travez de su escritura, adforo las cartas.

Abrazos con mucho cariño querido amigo.

 
At 8:55 AM, Blogger Diva said...

O que seriamos nos sem cartas de amor?
Bjs meus

 
At 7:50 PM, Blogger Santa said...

Mixtu, escrevi muitas cartas ao sabor da minha adolescência. Adorava receber a visita do carteiro com a boa nova... Boas lembranças, mas hoje tudo passado. Nunca mais escrevi.

Beijos aqui do Brasil


PS: agora entendi:)

 
At 7:49 PM, Blogger Bohemia said...

Siempre me ha encantado escribir y recibir cartas, creo que por ello esta historia me llega más...

BSS

 
At 12:29 AM, Blogger poca said...

bem.. um misto de sentimentos este post..

saudades das antigas trocas de cartas.. eu gostava. tinha uma certa magia.

não sei porquê mas isso das gentes com a quarta classe faz-me lembrar gente a sério. com raízes. com tradição.

 
At 11:36 AM, Blogger legivel said...

... inacreditável! é o comentário lacónico, que se me oferece ter, face a esta concorrência negocial e que está na origem da morte de uma pobre criatura! E já nessa altura havia emigração para a Nigéria?! Cum caraças!!

abraço.

 
At 12:16 PM, Blogger princess olie said...

MUUUUCHOS ABRAZOS EN TU CUMPLEAÑOS, MIXTU.

Y BESOS, TAMBIEN.

CARIÑOS DESDE CHILE:

OLIE

 
At 12:44 PM, Blogger missixty said...

Feliz aniversário! Como vês não me esqueci! Mas acredita que a data que escolheste para nascer não podia ser mais fúnebre, Novembro sempre me lembrou o mês dos Mortos e depois como não bastasse o número 13!!! Irra!
Mas deixa lá, parece que a vida apesar de alguns revezes até te tem sorrido! Que passes muito bem este dia, é epna não haver bolo e champagne aqui para a malta!
beijinhos e parabéns

 
At 1:41 PM, Blogger un dress said...

gostei muito da simultânea

densidade e leveza deste poema

que é feito de vento e se respira


.bOm.dia. ~~


IMPLORANDO O SOPRO -(ZUNHIS)


Implorando o sopro do ser divino,

o sopro que dá a vida,

o sopro de muita idade,

o sopro das águas,

o sopro das sementes,

o sopro da fecundidade,

o sopro da abundância,

o sopro do poder,

o sopro da força,

o sopro de todas as espécies de sopro

pedindo o seu sopro,

inspirando o seu sopro no calor do meu corpo,

incorporo seu sopro

para que vivas sempre luminosamente.



Poemas ameríndios

(mudado para português por

Herberto Helder)

 
At 4:41 PM, Blogger Baby said...

Ai é isso? Então,um grande, grande abraço de parabéns e de amizade para este "enfant terrible"...

 
At 5:36 PM, Blogger missixty said...

És escorpião não és!! uiiii!Palavras chaves que definem o Escorpiano:
Poder de Cura , Activo , Valoroso , Odioso, Violento , Vingativo.
Valor, energia psíquica. Afetos e aversões intensos. Magnetismo pessoal. Audácia, independência, ceticismo e calculista. Normalmente possuem a faculdade de julgar as situações de forma aguda e brilhante. A mente é profunda e penetrante nos seus raciocínios. Gosta da luxúria e da pompa. Consegue ser econômico. Imperioso e sarcástico tem a tendência a passar sobre os outros para alcançar os seus objetivos.

O dia do escorpião é terça feira..por isso aproveita bem, não podia ter calhado melhor!
Agora nada de viganças, nem de me passar por cima....xiça!

 
At 6:47 PM, Blogger Francis said...

... e porque hoje é dia 13, não me esqueci. Não sei do quê, mas não me esqueci. Lembras-te?

Parabéns, ou pelo Blogue ou por ti.
Que contes muitos!!!

... e obrigado por tudo! :-)))

 
At 6:54 PM, Blogger Meli said...

FELIZ CUMPLEAÑOS MIXTU!!!
Recibe una brazo que cruza océanos hasta llegar a ti, un cálido abrazo desde Bogotá, Colombia!!!
Que cumplas muchisisisisimos más!!!

 
At 7:34 PM, Blogger Trini said...

Pobre señora...Ya no necesitó quien le escribiera más


Un abrazo

 
At 7:40 PM, Anonymous Anonymous said...

Parabéns a Você
Nesta Data querida
Muitas Felicidades
Muitos Anos de Vida

As maiores Felicidades do fundinho do coração!!!!!

De quem muito te adora e admira

 
At 9:07 PM, Anonymous Brisa said...

¡¡ Felicidades ¡¡¡

Muchos besitos, dejo mi huella entre tus letras para que queden grabadas sin necesidad de tinta en tí :) Que seas muy feliz ¡¡
Un petó

 
At 10:20 PM, Blogger Javi said...

FEEEEEEEEEEEEEEEELIIIIIIIIIIIIIIZZZZZZ CUMPLEAÑOS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

MUCHOS BESOS Y ABRAZOS Y UN TORTAZO!!!!!!!!!!!!!


FELICIDADES!!!!!!!!!!!

 
At 10:39 PM, Blogger Rosmaninho said...

Boa Noite, Mixtu!:)


Para um amigo tenho sempre um relógio
esquecido em qualquer fundo de algibeira.
Mas esse relógio não marca o tempo inútil.
São restos de tabaco e de ternura rápida.
É um arco-íris de sombra, quente e trémulo.
É um copo de vinho com o meu sangue e o sol.

António Ramos Rosa
Viagem através de uma nebulosa, 1960

A ti Mixtu, desejo muitos anos de vida.

Um beijo

 
At 10:55 PM, Anonymous incondicional said...

FELIZ CUMPLEAÑOS !!!!!!!!!!!!

Menos mal que ahí es 1 hora más temparano, casi no llegooooooo.


Abrazos cumpleañeros.

 
At 11:23 PM, Blogger aflores said...

E neste dia 13 de Novembro, houve bolo?? :):):)

 
At 11:25 PM, Blogger Mar said...

Es bella la historia, es muy dulce!!! La veo como una vieja película en blanco y negro con su humor tierno (y un final que, en realidad, es para tomarlo como cierre de una ficción y sonreir).

Niño, niño!!!!!!!
FELIZ CUMPLE!!!!!!!!!!!!!
BESOOOOOOOOOOO

 
At 11:28 PM, Blogger azzura said...

Me encantan estas historias con sabor de nostalgia que nos cuentas de vez en cuando querido Mixtu;)
Un abrazo mallorquín!
NOQTSQM (ejem...)

 
At 1:45 AM, Blogger cieloazzul said...

FELIZ CUMPLEAÑOS QUERIDO AMIGO!!!
BESOS BESOS BESOS!!!

 
At 2:04 AM, Blogger Santa said...

Mixtu, não poderia faltar... Chego de braços abertos para um forte e demorado abraço.

Beijos aqui do Brasil.

 
At 5:02 PM, Blogger mixtu said...

Muito obrigado...
Gracias...

O aniversariante por hoje (ontem)

 
At 10:08 PM, Blogger alma said...

Quitando la parte del negocio, me gusta escribir para la gente y también leer para ellos...

 
At 10:40 PM, Blogger escorpyana said...

Olá amigo estou de volta.Continuo apaixonada por esta musica,quando vc vai enviar ela pra minha humilde pessoa heim..rs?Este texto lembra um filme aqui do Brasil,não sei se vc assistiu,chama central do brasil,a personagem escrevia cartas para as pessoas na estação de trem.Agora pena que sua estoria acabou tragica ne,mas faz parte.Tenha uma semana deliciosa.
beijusssssssssss

 
At 10:54 PM, Blogger Isabel Romana said...

Feliz cumpea�os, mixtu. Un abrazo muy, muy fuerte.

 
At 2:31 AM, Blogger Visão Caleidoscópica said...

Bom, como já comentei este post, o que faço agora?
Hummm...
Sento-me pacientemente à espera do próximo post?
Redijo um abaixo assinado?
Manifesto-me em sinal de protesto?
Nã...deixo um beijo e vou-me daqui para fora, antes que tu ainda inventes para mim uma daquelas tuas tropelias de puto reguila.
Xaaauuuuuu....
Até mais...

 
At 6:15 AM, Blogger MaleNa - La Porteña said...

Excelso tu relato, me impregno de cientos de imágenes, me voy con un sabor melanco.

Lei que Galatea cita el film de Walter Salles, maravilloso relato que habla de los escribidores en un espacio poblado de niños con su carita de sueños.

Beso querido amigo.

 

<< Home

António Vega-Lucha de gigantes

_______________________________________________25.000 visitantes (Anterior counter),
ecoestadistica.com