Sunday, November 30, 2008

Pasar a comentarios para leer - en portugués e castellano - el post de poesía

148 Comments:

At 1:52 PM, Blogger mixtu said...

De regresso a tertulias de Poesia,
Para hablar de poesia a invitado dos amigos, Rafael e Andrade,
Dos poetas, Galicia e Africa,

 
At 1:52 PM, Blogger mixtu said...

DESDE MI ALMA

Yo te amaré por todos los hombres que no te han amado,
por todos aquellos que no encontraron tu boca,
por los que no descubrieron en ti a todas las estrellas,
por los que pensaron que eras parte de la bóveda celeste
y no pudieron entender que tú ves el cielo desde arriba.

Yo te amaré por todos los hombres que fueron ciegos,
por los que nunca te vieron y por los que cerraron sus ojos,
por los que ni tan siquiera llegaron a soñarte
y por aquellos que perdieron su libertad en un sueño.

Yo te amaré por todos los hombres solitarios,
por los que jamás supieron que habitabas en esa soledad,
que allí estabas tú,
invisible como la poesía,
como este poema
y como mi vida.

Yo te amaré, amor, como si fuera yo todos los hombres,
como si toda la tierra fuera tuya,
como si creyese en Dios
y sintiendo desde mi alma
que solo existimos tú, yo

y todos los versos que me arrancas.

Rafael Reyes
6 de Agosto de 2007

 
At 1:53 PM, Blogger mixtu said...

Hoje escrevo-te, mergulhando a pena do meu carinho, na tinta rubra do meu coração,
Para que saibas que se cheguei à praia do destino foi por acreditar em ti,

Quando me dizias que acreditasse e lutasse sempre pelos meus sonhos,
Rompendo o diáfano véu da bruma que teima em ocultar o brilho do sol…

Bailo por entre as letras que fervilham, num caleidoscópio colorido,
Rasgando-as do livro da vida, e desviando-as do seu destino,
Transformo-as em versos de magia, enquanto a música me enlaça...

Contigo falo sem palavras… e é no silêncio que estas me fogem…

Desarmo-me dos silêncios que vesti de noite... Sublimo-te em cada um dos meus versos,
Procurei-te... E acabei por encontrar-me...
Ousei sonhar todos os meus sonhos e fantasias... Ousei amar-te...

Mas acreditar no amor nunca é um sonho, mesmo quando nos faz sonhar…

Voltei... porque os sonhos não fogem… as pessoas é que desistem e eles morrem…
Os ponteiros do relógio cruzaram-se de novo, as linhas horizonte tingiram-se de rubro,

E no berço do teu colo, despertei…
Agora levo o meu sorriso para sorrir contigo... Ama e faz-me sonhar...

Lia B. Andrade,
18 de Setembro de 2007

 
At 2:24 PM, Blogger Eli said...

...

mesmo quando o sonho sofre nos pensamentos de alguém, com medo que esse alguém desista dele...

O Sonho, sim, esse grandioso poder não abandona quem o soube perseguir...

:)

 
At 2:30 PM, Blogger Boop' said...

E aqui fico entristecida por nao ter em mim o sopro da poesia!

Mas reconheço-me tunel que transforma o sopro de outros em melodias novas.

Ou não é a poesia emprestada a quem a lê, na eterna busca de novos ecos?

 
At 5:04 PM, Blogger galatea said...

"¿Qué se ama cuando se ama?"...
Así comienza un poema del chileno Gonzálo Rojas.

El secreto no lo tiene el
"ser (objeto)amado"

el secreto del amor es del "amante"
Qué se ama cuando se ama?
Bien lo sabe Rafael y Lía...

Yo?...
todavía guardo algunas imágenes
de ese amor:
el brillo del paisaje
de una primavera temprana,
con la nostalgia,
de la inspiración poética,
continua, desbordante y
que no es otra cosa que
"un gozo inagotable por la vida"

 
At 5:08 PM, Blogger galatea said...

¿Qué se ama cuando se ama?

¿Qué se ama cuando se ama, mi Dios: la luz terrible de la vida
o la luz de la muerte?
¿Qué se busca, qué se halla, qué es eso: amor? ¿Quién es?
¿La mujer con su hondura,
sus rosas, sus volcanes,
o este sol colorado que es mi sangre furiosa cuando entro en ella hasta las últimas raíces?

¿O todo es un gran juego, Dios mío, y no hay mujer ni hay hombre
sino un solo cuerpo: el tuyo,
repartido en estrellas de hermosura, en particular fugaces
de eternidad visible?

Me muero en esto, oh Dios, en esta guerra de ir y venir entre ellas por las calles, de no poder amar
trescientas a la vez, porque estoy condenado siempre a una,
a esa una, a esa única que me diste en el viejo paraíso.

Gonzálo Rojas

(pido que lo traduzcan al portugués, gracias)

 
At 7:08 PM, Blogger Eli said...

"Estanquei o sangue que circulava nas veias do corpo negro.
Ele pediu que parasse...
Que o deixasse...

Gostava de ver o vermelho jorrar
Como a plenitude de um velho cantar

A voz serena de um espírito roubado de um lugar abandonado
Não pertenceu ao invasor
Nem ao que a sentiu a dor ser inundada de vida..."

ER

 
At 12:15 AM, Blogger mixtu said...

Buenas noches, tertulianos,

Poemas de alma que hoje os nossos amigos nos trazem…
E aqui perguntava se a alma existe…

O sonho (da Eli), curioso que não me lembro dos sonhos que tenho durante a deita, mas sonho acordado…
E que jorre…

E ainda bem que não tens nenhum sopro (Boop) pois era causa de preocupação
Mas será que há só poesia na escrita com forma de poema (questiono-me)

Não conhecia Gonzálo Rojas, adorei… (Galatea)…
Reconheço nesse poeta a necessidade de não só respirar o ar mas de vivê-lo,

E aqui deixo também um comentário de uma menina que por ser muito tímida, prefere sentar-se em silêncio não deixando de me dar o feed-back dos poemas do Rafael e da Lia,

“Poemas magníficos que lá deixaram e que permitem conhecer poetas cuja obra desconheço de todo. Creio que não é difícil para a grande maioria traduzir do espanhol para o português, perde-se muito da musicalidade das palavras na tradução. Prefiro sempre o original.”

E como nem só de poesia vive o homem... fui para os copos...
boa poesia,

 
At 4:44 PM, Blogger RAFAEL REYES said...

Nao te questiones isso, amigo Mixtu.
¡¡Claro que há poesía fora dos poemas e da palabra escrita!!
¿E a música?
¿É a pintura?
¿É a mulher?
¿É a natureza?
Há poesía en todas elas para arrasar o mundo, cunha delas soa chega.
Os sonhos de LIA B. ANDRADE
Eu penso que sempre hai que acreditar nos sonhos, ja virá a realidade (si é que ven) a despertar a um.
Mais como di Andrade, um precisa de alguem que empurre para acreditar en certos sonhos.
No amor, sonhar e ser sonho e todo o mesmo, como tambem di Andrade, acreditar no amor nao e sonhar.
Fermoso poema, moito sonhador e verdadeiro, todo en um.
Eu acredito num sonho.

CREO EN UN SUEÑO

Soñé que este amor, en mí tan puro,
este amor que carece de rutinas,
llegaba para ti en las divinas
horas en las que yo estaba desnudo.

Desnudo de todos los deberes
a los que yo mismo me he ido sometiendo,
intentando no perder en los quehaceres
el amor que poco a poco fui perdiendo.

Soñé que tú venías a encontrarme
y en la reunión de tus labios con los míos,
yo volvía de nuevo a desnudarme,
sometiéndome al quehacer de mis sentidos.

Soñé que llegabas tú a mi tiempo
y mi tiempo por ti se detenía,
para después de beberme yo tu aliento,
parar motor y navegar a la deriva.

Soñé que tú querías ser mi amante
cuando yo podía darte todo,
y perdidos en el viento de levante,
regalarte mi pobreza y mi tesoro.

Y aún conociendo lo imposible
de entregarme a ti en aquel día,
de volver a una época pasada,
soñé que era mi vida reversible
y dándole una vuelta increíble
todo a ti, amor mío, te lo daba.

Porque dicen que soñar no cuesta nada.

RAFAEL REYES
01/07/05

 
At 5:09 PM, Blogger Eli said...

Em primeiro ligar, meus caros, gostaria de dizer que o amor traz sempre inspiração e quem escreve sobre sentimentos tem o meu aplauso!



Em cima da voz do piano, copio o sorriso de uma sonoridade...
o Som de alguém...
Que me segredou o toque
A saudade do que se tem

A paixão arramca-me do estável
E atira-me o abraço
Não fujo
Sinto

Há em cada ser um pedaço
De marés e montes
De areias e toalhas
Um rasgo de solidão

Um flutuar de energia
Que eleva o coração.

:)

ER

 
At 9:45 PM, Blogger mixtu said...

Rafael Reyes,
Poesia... pelo que entendo a vida é poesia e nós como estamos nela, também somos poesia...

Assim, foi poesia quando um amigo galego chegou pela 1ª vez ao meu calhau e numa posta onde eu tinha um poema de uma amiga, o poema estava em português e com uma tradução em castellana fornecida pelo google, e esse amigo no 1º comentário que fez, traduziu o poema, depois enviou-me um email a pedir desculpa por ter traduzido o poema, mas na verdade aquela tradução era um assassinato à poesia da Nina?

Acho que foi poesia...

Mas quando uma grande amiga me disse que tinha sido convidada por um galego para comer marisco na Galicia, e confrontado com este convite, ele me respondeu:
"Mixtu, é mentira, não convidei a nossa amiga para comer marisco, é muito caro, convidei-a para comer polvo"
Também aqui é poesia? Penso que sim,

... yayaya

A vida é bela, é bela e é bela e na verdade sonhar é de graça...

Eli, escrita com uma outra cor e ritmo do que a anterior... não sei se houve uma alteração do teu ser/estar...

Fui... não vou ler poesia... não me meto nisso, fui para os copos...

 
At 10:08 PM, Blogger Eli said...

Poesia também é ir para os copos e deambular pela vida...

:)

 
At 11:17 PM, Blogger Boop' said...

A poesia existe no lugar onde "o outro" não está.
É na ausência que se cria.
Uma palavra no lugar de um beijo,
Uma estrofe no lugar de um abraço
E assim... se diminuem as distâncias e se ensaiam encontros.
Encontros de amores e de amantes.


Deixo-vos Neruda

"Não te quero senão porque te quero,
e de querer-te a não te querer chego,
e de esperar-te quando não te espero,
passa o meu coração do frio ao fogo.
Quero-te só porque a ti te quero,
Odeio-te sem fim e odiando te rogo,
e a medida do meu amor viajante,
é não te ver e amar-te,
como um cego."

 
At 11:21 PM, Blogger RAFAEL REYES said...

¿Poesía nos copos?

OPORTO, SIR?

O Douro e un rio de vinho
que ten a foz en Liverpool y en Londres.

Con una copa de oporto,
Milord contempla en la lluvia
indicios de un sol remoto.

Dos copas le van poniendo
en los ríos de la sangre
el suave calor del sueño.

Con tres copas se le entregan
mujeres de blanca piel
que inventa la chimenea.

Con cuatro copas el mundo
es un jardín entrevisto
con árboles de oro puro.

Aunque cinco copas beba,
lo que no sueña Milord
es la sed de quien vendimia
en Oporto bajo el sol.

ANTONIO PEREIRA
Poeta español.
De su poemario CANCIONERO DE SAGRES

Há unha versao cantada por Amancio Prada, cantor espanhol, que e unha auténtica maravilla.
Poso enviar a quen me pida.
Eu sei que o copo do que mais gostará o noso amigo Mixtu e o terceiro.
Há poesía en todo, caro amigo, ate num copo, dois, tres, catro....
Abraços e obrigado por esa lembranza de hai tempo da poesía de Ni e do polvo que nunca puden partilhar.

 
At 5:32 AM, Blogger galatea said...

Dios!!... qué banquete!
Gracias Mixtu por la invitación,
en silencio saborearé estos manjares.
El amor, fuente de toda inspiración, es algo veleidoso,
va y viene con sus guirnaldas de floridos versos, armoniosas notas, envolventes melodías, cielos entre brumosos y luminosos... hoy mi acuarela está pobre de colores,
me encuentro en la orilla de la playa observando, en atenta espera, en tiempo de paciente latencia.
La reina de las nieves, cubierta por su abrigo de blanco armiño, espera. Sólo es tiempo de hibernación, todo en potencia.

 
At 11:11 AM, Blogger un dress said...

os sonhos. os poetas...

emoção pura às vezes.

gosto de emoção pura...:)

sempre.

os poetas comem sonhos.

confirmam...!? :)

às vezes também aponto palavras

palavras que chegam de passagem.

/ acho que todos somos um pouco poetas.

provisoriamente poetas...


~


poema de amor é correr aquele rio

aqui nesta cave

íris húmida de barcos

ecos soltos de falésias frutos

nu desejo

escancarado


~


sub.limo tanto as heras

que trepam nos teus braços


~


acordar neste dia

nas pálpebras reveladas

são rosas senhor são

e por dentro dessa água

meu amor cálida torre

a erguer-se-me nas veias

assombrado



~




:)

 
At 12:21 PM, Blogger RAFAEL REYES said...

Se fosse poeta, cofirmaría a UN DRESS que os poetas comen sonhos.
Mais nao sao.
Isso, obviamente, nao quere dizer que nao sonhe ou que nao coma os sonhos.
Eu nao sei moito de poetas e poesía, mais sinto a emoçao de tentar perceber nas palabras moito mais do que elas estan a dizer, e sinto emoçao ao leer o teu poema, amiga, alimento do que deberían comer os poetas, sonhos dos que eu gosto.
¡¡Bom apetito!!

 
At 11:17 PM, Blogger El Navegante said...

R E N A C E R E S
Nació una flor bajo el borde de una roca, esbelta, tan orgullosa,
que a pesar de sí misma, la piedra, no la pudo ocultar.

Surgió el ave majestuosa, desde su nido, construido debajo del mar,
sus alas ornamentadas con algas, no le impidieron echarse a volar.

Interrumpió un payaso la batalla, transformó en globos cada fusil,
sorprendiéronse los enemigos, cómo sin matar, lo fácil que era reír.

Emergieron entre versos olvidados, poetas errantes que ya no callarán,
nos escuchamos y pertenecemos, sentimos todo desde un mismo lugar.

Y un día, una irrupción sorprendente, bañando mi vida con tu manantial, donde acudían mis labios sedientos, los sueños, nuestro mutuo arribar.

Y renazco entre las brumas, sólo por reencontrarte; lo más hermoso
siempre lo extravío, destino de navegante, abrazar la soledad;
dónde habrás encendido tu faro, guíame hacia esa costa perdida,
pues aún bajo la arena, bebiéndome tu tibieza, te amaría una vez más. . .

ES UN ATREVIMIENTO, PERO POR NO DESPRECIAR A MIXTU, AQUI VA MI HUMILDE APRTE.
CHAPEAUX A LOS PRESTIGIOSOS POETAS DE VERDAD INVITADOS.
UM ABRAçO RAPAZ !!!!

 
At 4:18 AM, Blogger galatea said...

A qué nos eatá invitando la foto de este post?...
a una lluvia de poesía.

 
At 8:28 AM, Blogger RAFAEL REYES said...

¿Lluvia de poesía?
Pues que llueva, que llueva..

COMENZÓ A LLOVER

“El agua es el elemento y principio de las cosas”
Tales de Mileto


Quise quedarme en ti,
que escuchases mi voz,
las palabras que no habré de decir.
Quise que todo el tiempo
fuera solo una mirada,
un roce de tus dedos,
la desnudez de nuestros cuerpos.
Desee la ingravidez del alma,
la pesadez de los párpados
y la tranquilidad del sentido.
Soñé con el aroma de tu lengua,
con el sabor de tu pelo,
con el tacto de tus ojos,
con el arrullo de tu silencio.
Me dormí en tu vereda,
en el sendero de tu ilusión,
en el río de la vida que,
solo tú,
puedes convertir en catarata.
Y en ese instante vivido
como un segundo del paraíso,
solo el agua pudo darme las palabras
para volver a la realidad.
Comenzó a llover
y te perdí de nuevo.

RAFAEL REYES
20 de Abril de 2006

 
At 1:15 PM, Blogger Eli said...

De bebida farta e de comida sedenta está cada corpo manchado se não sentir.

As palavras são lançadas como setas de forgo e arpões afiados...

E um parágrafo é escrito à margem de canais transversais...

Venho deleitar-me nas unhas cravadas de um senhor

As armas que marcam os renascidos do amor

Um ataque ao teatro, um poema recitado em nome de um actor!

ER

:)

 
At 4:29 PM, Blogger mixtu said...

Ir para os copos é poesia, concordo, (Eli) mas depende da companhia e da qualidade do vinho…

Com muito respeito que tenho pelo Neruda, gostei da tua (Boop) dissertação
“se diminuem as distâncias e se ensaiam encontros”

António Pereira é cá dos meus (Óh. Lord Reyes) eu com 3 copos… nem vos conto… yayay corre logo o aviso aqui pela serra:
“fujam o Mixtu vai beber o 3º copo”
Yayaya

Excelente, amigo, talvez um dia se coma polvo na Galiza, lendo-se e ouvindo-se poesia com estes amigos… ou porque não com um caldo verde na Serra, ou em Buenos Aires...

Sólo es tiempo de hibernación, (Galatea) todo en potencia, enigmática…
um “bom viver de ar”

Os poetas comem sonhos (Un Dress) espero que não se alimentem só de sonhos ou... que pretendam que ao jantar eles se transformem em realidades, ou em rios de emoção…
“provisoriamente poetas...”

O El Navegante, um dos que introduziu a palavra “saudade” na Argentina…
Não é atrevimento, meu caro Navegante, aliás, pelo que leio até eu, humilde bebedor de copos posso ser poeta… vou contar esta piada aos meus companheiros pastores, yaya,

"Nació una flor bajo el borde de una roca, esbelta, tan orgullosa,
que a pesar de sí misma, la piedra, no la pudo ocultar”,

Espero que encontres essa flor e se algum dia a pedra ocultar a tua flor, cá estaremos nós para a fazer em pedaços (à pedra)

“solo el agua pudo darme las palabras
para volver a la realidad.
Comenzó a llover
y te perdí de nuevo”
Rafael, procura uma menina sem guarda-chuva…

E um parágrafo é escrito à margem de canais transversais... (Eli)(…)

Fui, desta vez para os copos,

 
At 5:51 PM, Blogger galatea said...

Comenzó a llover y te perdí de nuevo... NO!... la lluvia es mágica, te envuelve y te arrastra a otro paisaje:
Frente al muelle, mirando el horizonte (del Seno de Reloncaví) te espero, Llegarás como Ulises a hablarme de todas esas tierras y de todos esos hombre y mujeres que conociste y que te transformaron en un nuevo hombre. Una nueva mirada llena de un mundo anterior y futuro.
Y yo estoy en anhelante espera, frente al horizonte y bajo esta vívida lluvia.

 
At 7:42 PM, Blogger un dress said...

eu gosto tamto dele e do que escreve...!!


:)


(...)

Lemos de mais e escrevemos de mais,
e afastámo-nos de mais – pois o

preço era
muito alto para o que podíamos

pagar –
da alegria das línguas. Ficaram

estreitas
passagens entre frio e calor

e entre certo e errado
por onde entramos como num quarto

de pensão
com um nome suposto; e quanto a

tragédia, e mesmo quanto a drama moral,

foi o melhor que conseguimos. (...)



.Manuel António Pina

 
At 7:50 PM, Blogger galatea said...

las palabras, otra vez las palabras dichas y escritas, nos permiten entrar de filón por mundos asombrosos, ciertos, fantásticos, opuestos, alegres, trágicos... palabras liberadoras.

 
At 8:06 PM, Blogger un dress said...

bem, tanto é menos que tamto

/ e é ta m tO...então... :)


gostava de reescrever o poema anterior que foi escrito muito depressa e quase sem ler...

uma só sílaba ou palavra sendo um grão de areia debaixo do colchão...!! :)


...então:



acordar neste dia

de pálpebras revelado

são rosas senhor são

e por dentro dessa água

meu amor cálida torre

a erguer-se-me das veias

assombrado


~


pronto...é a música sempre que procuro.
/ não que encontre...:(

como a possibilidade da dança nas palavras

parece-me que cada um dos poemas aqui - e cada autor, consagrado ou não,

tem a sua própria música.

e que todas as vozes,
sem excepção, são magníficas!

pelo simples facto de serem.
de estar, partilhar...

não sei o que é literatura - quem sabe o que é literatura...!? :)

gostava muito de saber o que vós procurais, então

e o que esperais da escrita...

eu procuro ser ouvida, lida, penetrada.

procuro inscrição.
dizer. afectar...e...



~

 
At 4:56 PM, Anonymous Brisa said...

Y no siendo poeta me siento como una de sus letras.. quizás porque soy como el amor que expresan, porque me empapo sin ropa de la lluvia de sus letras o tal vez porque hace poco un poeta me mostró que para escribir poemas no es necesario siquiera que rimen sus versos.

Mixtu... gracias a tí.. por acercarnos tanta belleza, mi alma ha dejado que la penetre.

Besos

 
At 11:54 PM, Blogger Mar said...

Amanecer

Simiente la desnudez de tu cuerpo y el mío

La estela de tus caricias como polen sobre mi vientre

Simiente el vértigo del goce que inflama

La ternura de un diálogo mudo y vertical

Copulan los sentidos desafiando los misterios

Del universo todo domesticando incandescencias

Néctar de salados brebajes abren noches vegetales en mi ser

Amanezco como flor sintiendo tu lluvia lamiendo mis bordes

Pétalos de piel

Aroma púrpura



Te dejo mi cuotita pequeña, mi gota de Mar en medio de esta inmensa belleza.
Volveré a este archivo con más tiempo.

Sublimes las palabras de ese náugrago que me tiene abandonadaaaaaaaaaaaa!!!!!

Beijos Mixtu!
(Gracias)

 
At 6:29 AM, Blogger galatea said...

Una invitación para todos los parroquianos de esta casa, para un momento de amena tertulia por la zona austral de mi tierra, ´de inspiradora poesía.
Los espero!

 
At 2:00 PM, Blogger El Navegante said...

Me pareció, que alguien me nombraba, lo de palabras sublimes, lo siento una exageración, al lado de otras tremendas obras poéticas y profundos comentarios.
Mar, perdón, Mal podría abandonar, aún como náufrago, la pertenencia a los afectos que nacen desde mi admiración por tu obra , querida amiga.

Y es verdad, la misma sensación que comentan tantos amigos, ha aflorado también en mí, un poema se contagia con el otro, un sentimiento se hermana al próximo, más allá de las distancia, los idiomas , las fronteras.
MIXTU, mago, bruxo, sensível amigao, vc fiziste estorar iste universo incredível, e agora sou mais um prisionero de ele, e necesito gritar sntimentos, con a tuas desculpas e também as desculpas dos amigos artistas presentes, si falo de mais. Agora, si me deixan, vai o meu grito.......

SINFONIA ARDIENTE (EN SOL MAYOR)

Qué puedo decirte que ya no sepas, en el obituario del silencio complaciente,
mi contemplación te torna diferente, cuando te exhibes para mí,
luego prefiero callado, abrazar la guitarra en tu cintura,
para que te deleiten mis arpegios, y tus cuerdas vibren, así !.

La síncopa de tu caja acústica, el tono de cada armonía,
me inspiran a crear escalas, para que te quedes aquí,
entrégame todo el caudal de tu instrumento sublime,
añoro conciertos exultantes, aflorando tu virtuosismo sin fin.

La orquesta ahora se agiganta, llegué a tu partitura más profunda,
tu cello está suplicando caricias, con el arco del tenue deslizar,
y tú, ninfa de tantas octavas, transformas bronces y timbales,
y se ovacionan las almas, con nuestro mutuo arribar.

No deseo agradecer aplausos, déjame a mí homenajear a tu orquesta,
yo tan sólo he dirigido compases que cada beso me brindó,
recorrí así toda todas tus notas, con bemoles y sostenidos,
y recién en tu exquisito pentagrama, este músico se extasió.

Mais uma gota de chuva tao só;foi uma necesidade.

 
At 5:38 PM, Blogger mixtu said...

Buenos dias, em português, bons dias,

A chuva é mágica (Galatea), assim espero que seja para o Rafael,
Esperas à chuva… sabes que o Rafael conhece Osorno? Bem mas ele conhece todos os cantos do mundo, foi contrabandista de leite condensado (lembras-te do conto?) yaya

, que acordes sempre com um sorriso… (un Dress), e que caminhes nas “pedras” da calçada formosa e segura…

yayaya, tu és poeta, no seguimento de uma outra nossa conversa (Brisa), vês o mundo com todas as cores…

Amanhecer, gosto da moite (Mar) mas o amanhecer tem sempre algo de mágico, pelo menos para mim que durmo como um santinho, é que não tenho pecados… yayaya

Nunca abandones o "mar" (Naufrago) Quedei sem saber se era o Rafael ou o Fernando...

Publicidade, tenho que cobrar (Galatea), yaya, e que venham mais tertúlias, que os blogs se transformem em fóruns e não em monólogos,

Eu bruxo, (El navegante), yayaya, agora é que me desmanchaste todo, yaya
Poesia… (como diz uma amiga, “épah, quedo furiosa com o teu – poesia… - saboreia as palavras”)

Fui, vim de Tomar e vou para os copos, alguém quer ir até Tomar, e que tal lá uma tertúlia? tragam cobertores e meias quentinhas...

 
At 7:38 PM, Blogger galatea said...

En Tomar la tertulia, dicen que ahí hace mucho calor, uff!, esa tertulia tendrá que ser de noche y con muchas "sangrías".
Nos vemos.

 
At 10:05 PM, Blogger Eli said...

Eu quero!!! Cobertores, meias quentinhas e... chocolate quente... só se poderia estar a falar de amor!

:)

 
At 1:13 AM, Blogger Lia said...

Rasgo el viento pasando por tus playas...
Admiro tu ocaso...
Y suelto al viento, mis versos viejos y palabras bellas
Que espantan las nieblas de una noche infinita de esperas...

Un suspiro... son apenas palabras...
No dejan estrellas ni vagos recuerdos...
Cual ensueño de un instante perdido,
Como lo brillo reluciente de los cometas...

Quedé con ese sabor dulce del sueño, volviendo a la realidad...
... Otra vez... miro mis manos vacías y abiertas...
Fue un sueño... una fantasía... una ilusión...
Y paso... queriendo pasar como el aroma de un sueño que no fue...

Un beso dulce

 
At 1:22 AM, Blogger Lia said...

Un regalo, de y para Rafael...

ME ACUERDO DE TI

Yo quiero perder la memoria,
La que construye los recuerdos,
Los que no se si tengo o perdí.
Yo no quiero evocar
La forma en la que memoricé tu sentido
A través de los míos:
Tu sabor, mis caricias,
Tu olor, mi mirada,
Nuestras voces...
Porque yo te quiero a mi lado,
No te quiero perdida en el tiempo.
Yo no quiero, mujer,
Escribir este poema
Que dice que ahora no estás
Regalándome el calor de tu boca,
Que dice que me acuerdo de ti.
Yo quiero perder la memoria para amarte...

Un beso, Rafael...
Yo tambien creo en un sueño...

Un beso, from Mi x Tu... a camiño de la Costa Rica

 
At 12:57 PM, Blogger un dress said...

Estendeu os braços carinhosamente e avançou, de mãos abertas e cheias

de ternura.

- És tu Ernesto, meu amor?

Não era. Era o Bernardo.

Isso não os impediu de terem muitos meninos e não serem felizes.

É o que faz a miopia.



(Mário Henrique Leiria, Contos do Gin-tonic)



as palavras são como a miopia...

a cada um a sua.

NADA significam.

apenas não sobreviveríamos sem elas...
para nos organizar/legitimar os medos e as ilusões.


:)

 
At 10:16 AM, Blogger RAFAEL REYES said...

A LIA:
Gracias amiga Lia por recordar ese poema mío en el que quiero perder la memoria.
Un abrazo muy grande.

 
At 10:19 AM, Blogger RAFAEL REYES said...

QUIERO HABLARTE

Quiero hablarte,
te dije acercándote mi boca.
Quiero contarme, cantarte,
hacer que te descubras nueva,
que sientas mi voz,
provocarte un sismo
y darte la quietud de la niebla.
Quiero hablarte,
dijo mi boca sobre tus labios,
pero realmente lo que quería
era escuchar tus besos.

RAFAEL REYES
1 de Septiembre de 2006

 
At 11:52 PM, Blogger Lia said...

vive este sueño apasionado
donde estoy esperando amarte...
aun no me viste...estoy allí desesperada...
ansias de besar tus labios...
de sentir tu esencia... endulzada...
¡déjame tenerte!
¡amarte como nadie...!

 
At 11:54 PM, Blogger Lia said...

De y para Rafael:

LA LUNA Y YO

Mírame en la luna llena,
donde mis ojos se posan.
Igual que ella brillo para ti,
igual que en ella solo ves mi reflejo,
igual que el de ella es mi misterio,
igual que ella tengo mis manchas…
Yo solo soy un hombre dolorido
que le grita al tiempo y a la vida,
un lobo aullando a la luna llena,
solitario.


Pero no te confundas,
tengo la fortaleza de mi amor,
de mi deseo y soy mi único dueño,
el jefe de mi manada.
Solo me doy a quién yo quiero,
a quién puede ver mis ojos de lobo.
Si miras en mis ojos verás la luna
y si miras a la luna me verás a mí.
Tú ya lo sabes, porque me has visto.
Y yo quiero regalarte la luna,
quiero darte mis ojos.

Un beso poeta

 
At 12:15 AM, Blogger El Navegante said...

Pela sinfluenças do Bruxo, eu também me deixo levar pela chuva...
Qué tertulia legal......

Siempre hubo, y nunca dejará de haber, una primera vez, pero todo depende del color, del cristal con que se mira.


EL NACIMIENTO DE UNA FLOR RUBI

El rocío se adhiere a la hierba como un molusco,
mas no se desvanece mi inmersión improvisada,
recorro mis propias huellas dentro tuyo
percibo que a pesar de los años, las sientes vivas.

La tibieza de lo cóncavo y lo convexo, se asemeja
a la que surgía entre los leños, durante tu primera vez,
cuando descubrí las tres dimensiones de tu superficie,
tapizada con ese suave bello rubio, que emergía erizado.

Tomada fuerte de mis manos, te encantó dejarte llevar,
suave y lentamente recorrimos nuestros vértices y aristas,
y como premio a mi desidia, ante cada aria de dolor,
depositaste tu húmeda flor color rubí hasta en mi alma.

Hoy sobre la hierba, surgió un reverdecer inesperado,
aunque no lo imaginamos, la entrega fue total,
mas ahora nuestra libertad, ya no nos pertenece,
y nos dejó un sabor a angustia, el beso de despedida.

¿Pero cómo si no a través de un encuentro casual
hubiésemos podido hacer renacer aquél instante?,
pues al cegarme el esplendor de su mirada,
la abracé como a un sol, recordando su flor rubí.

FERNANDO, LO NAVEGANTE.-

 
At 3:00 PM, Blogger un dress said...

(...)

Sou uma impudência a mesa posta
de um verso onde o possa escrever
ó subalimentados do sonho!
a poesia é para comer.


natália correia


bem...já ninguém escreve aqui?!?

vou trazendo poemas então...

amanhã outro

está aí alguém?

truZ truZ!


:)

 
At 3:17 PM, Blogger un dress said...

a mulher gosta de chuva...

mas não estará cansada

de estar

assim?

não terá frio? ou medo? não...?


bem...



~~


e

os instantes dos olhos dela

onde flutuam

sempre se inventam

por onde se encharcam

quando se secam



?

 
At 1:24 AM, Blogger mixtu said...

Viaje Sin Regreso

A veces me parece que no debo
continuar navegando en tu marea,
que con furia la proa me golpea…
Y mi gran osadía desapruebo.
Ante tu oleaje inmenso me conmuevo.
Al sentir de tus aguas la pedrea,
comprendo la locura de mi idea
y a seguir adelante no me atrevo.
Retornar, sin embargo, es peligroso
y continuar la lucha más honroso…
Ya me jugué la vida al empezar
este viaje que no tendrá regreso…
Ahora, felizmente lo confieso,
¡en tus aguas deseo naufragar!

(Eugenio Martínez Orantes)El Salvador,

Ainda do mesmo autor, lindíssima,

Tú Estás Segura De Que Yo Te Amo

Tú estás segura de que yo te amo.
Pero también estás segura de otras cosas
que nos amarran, que nos detienen, que nos alejan,
que nos lanzan por caminos extraños?
Unos caminos que son tuyos y otros que son míos,
totalmente distintos entre sí.
Mientras tú subes a la montaña, yo bajo al mar.
Te internas en la selva y yo cruzo el desierto.
Cuando vas hacia el Sur, yo voy al Norte.
Total que siempre vamos por rutas diferentes.
A veces, ocurre que giramos el uno tras el otro,
en forma interminable, persiguiéndonos desesperadamente,
sin alcanzarnos nunca y sin saber
quién es el que persigue o el que huye.
Tú estás segura de que yo te amo.
Mirándome a los ojos has sentido que mis llamas te cubren,
te envuelven por completo y te traspasan,
y llegan hasta el fondo de tu ser donde arden
en forma incontenible, sin que tú lo desees
y sin que quieras que se acabe jamás.
Tú estás segura de que yo te amo.
Lo has oído de mi voz, sin que mi voz lo diga.
Has descubierto que ella te baña las caricias
con sus pequeñas olas silenciosas,
que te cubren el cuerpo de azahares, estés o no presente.
Estás segura de mi amor porque lo vives
sobre la piel, bajo la piel y más adentro.
Has oído los gritos de mi silencio multiplicándose
y alargándose en un eco interminable,
mientras te rodean sus coros de pasión
y sientes el deseo de dejarte arrastrar
por el río de lava que te quema
las nalgas, la cintura, los senos y la risa.
Tú sabes que te amo más allá de los límites del tiempo,
y mi abismo te trae, te subyuga, te enloquece
y te arrastra hacia mí. Por eso corres
alejándote llena de terror y temblando de miedo,
temerosa de perder para siempre
tus alas de cristal y el aire donde vuelas.
Pero estás atrapada y no puedes negarte a la ansiedad.
Y regresas con pasos silenciosos, muy pequeños,
para estar nuevamente a la orilla del abismo y temblar
del deseo frenético de lanzarte frente a él?
Y caer y caer y caer?
Y fundirte a su fondo para siempre.
Tú estás segura?
Por eso estamos amarrados el uno frente al otro.
Guardando silencio y mirándonos, simplemente mirándonos.
Los cuchillos desgarran nuestros pechos por dentro,
mientras pasan los días, los años y los siglos.

 
At 3:49 PM, Blogger un dress said...

.trago Clarice Lispector


Mas há a vida que é para ser intensamente vivida, há o amor.

Que tem que ser vivido até a última gota.
Sem nenhum medo. Não mata.



...



.e ~pi


ferrar-se

desferrar-se

fechar-se

desfechar-se





:)e há tanto tempo que só aqui

chove...

 
At 4:29 PM, Blogger un dress said...

poema de parabéns a um amigo


Idade


Existe somente uma idade para a gente ser feliz,
somente uma época na vida de cada pessoa em que é possível
sonhar e fazer planos e ter energia bastante para realizá-los a
despeito de todas as dificuldades e obstáculos.
Uma só idade para a gente se encantar com a vida
e viver apaixonadamente
e desfrutar tudo com toda intensidade
sem medo nem culpa de sentir prazer.
Fase dourada em que a gente pode criar e recriar a vida à nossa
própria imagem e semelhança
e vestir-se com todas as cores
e experimentar todos os sabores
e entregar-se a todos os amores
sem preconceito, nem pudor.
Tempo de entusiasmo e coragem
em que todo desafio é mais um convite à luta que
a gente enfrenta com toda disposição de tentar algo novo, de
novo e de novo, e quantas vezes for preciso.
Essa idade tão fugaz na vida da gente chama-se PRESENTE e
tem a duração do instante que passa ..


Mário Quintana




13 de novembro de 2007

está alguém em casa?! hope so...:)

 
At 7:40 PM, Blogger un dress said...

vim proCurar o eCo...

e ouvi agora o silêncio.

ou o silêncio do eCo.

ou o eCo do silêncio...




:)

 
At 10:38 AM, Blogger fgiucich said...

Los hermosos poemas de amor que nos embellecen el alma y nos permiten seguir amando, a pesar de todo. Abrazos.

 
At 12:11 PM, Blogger legivel said...

... "e no berço do teu colo despertei... "
(Porque raios é que deixei de ser pequenino?!)

Não podia deixar passar em claro o final deste belo poema. Porque gosto muito de colo...

abraço e alguns sorrisos

 
At 3:18 PM, Anonymous Arte de Amar said...

Contigo falo sem palavras...!
Adoreiii :)




Beijoca na boxexa
Arte de Amar
www.intimomisterio.blogs.sapo.pt

 
At 3:41 PM, Blogger Ana S. said...

Acreditar no amor nunca é sonho porque pode sempre tornar-se realidade :)
Besos

 
At 3:53 PM, Anonymous Credendo Vides said...

Preciosos ambos. El primero me ha sido más sencillo leerlo jejeje.
Pero ambos me han gustado.
Saludos desde el Inframundo.

 
At 3:54 PM, Blogger alma said...

...y así debe ser. La energía masculina representa a todos los hombres...

 
At 8:45 PM, Blogger manhã said...

fixo essa frase: acreditar no amor não é acreditar num sonho. absolutamente de acordo.

 
At 8:55 PM, Blogger mixtu said...

Diz lá UMA,
yayaay

 
At 8:56 PM, Blogger UMA said...

Hoy me arrancas una làgrima, Mixtu, son palabras muy bellas y muy dulces, quien pudiera tener a ese hombre que sea capaz de amar asi y curar las heridas?
Gracias amigo.
Besos
---
Hoje arrancas-me uma làgrima, Mixtu, são palavras muito belas e muito doces, quem pudesse ter a esse homem que seja capaz de amar asi e curar as feridas? Obrigado amigo.
Beijos

 
At 9:46 PM, Blogger Haddock said...

mas isto está uma animação!!!
e ninguém me chama, mixtu???

uma delícia de leitura.
gosto de poemas que se entendam!!
é o meu lado prosaico...
mas, e em homenagem à prosa, a poesia não vive só nos poemas.
dou razão ao rafael reys nisso.

abraço anárquico!

ah, e volto para acompanhar os tertulianos. sempre se arranja o vinho ou a sangria??

 
At 9:50 PM, Blogger lena said...

meu mano

é poesia o que mais gosto de ler e me prende

foi um brinde especial esta tua partilha

tanta beleza neste poema, as palavras vestiram-se de emoções e sentimentos e cada verso é magia

brinco com palavras, não sou poeta e nem sei escrever poesia mas a brincar escrevi um dia algo que te deixo aqui:

angústia de um caminhar da alma agarrada a um corpo

o que a alma necessita

precisa de saber caminhar no coração
ter vida, mesmo que seja simples
não se torcer em agonias
matar a fome com um olhar,
mesmo que seja cega
desejar com prazer, o corpo que a une
deixar crescer o amor,
como se fosse uma árvore
dizer não
à voz da separação,
extrair do prazer o esquecimento
saber perder-se no aroma de um corpo,
saborear carícias, seduções e miragens
esculpir o amor com a vida
precisa, sim precisa
ser tocada com um corpo

o que a alma necessita o corpo também deseja!


l. maltez

passar por aqui é um prazer, é sentir

deixo-te um abraço muito grande, um abraço de mana

beijinhos para ti, muitos

lena

 
At 4:46 AM, Blogger Luthien said...

Awwwwwwwwwwww que lindoooooo, snif casi me hace llorar el poema, es muy hermoso mixtu

 
At 9:42 AM, Anonymous Anonymous said...

Te regalo una rosa
la encontre en el camino...
no se si esta desnuda
o tiene un solo vestido...

Si la riega el verano
o se embriaga de olvido...
si alguna vez fue amada
o tiene amores escondidos...

Eres la rosa que me da calor,
eres el sueno de mi soledad...
un letargo de azul
un eclipse de mar, pero...

Yo soy satelite y tu eres mi sol...
un universo de agua mineral,
un espacio de luz
que solo llenas tu...

Te regalo mis manos,
mis parpados cai­dos...
el beso mas profundo,
el que se ahoga en un gemido...

Te regalo un otono,
un di­a entre Abril y Junio...
un rayo de ilusiones
un corazon al desnudo...

Un beso

 
At 9:54 AM, Blogger titania said...

¡Se respira tanta sensibilidad aqui!

Un paseo esncantador en la mañana.

Besos mixtu

 
At 10:03 AM, Anonymous Secreta said...

Fantástico este poema! Belissimo!
Beijito.

 
At 10:21 AM, Anonymous Arte de Amar said...

O gosto da tua pele
sal impregnado em meus lábios
que me mata de sede
à beira da fonte dos teus prazeres.

O teu gosto na minha boca
mel que sacia meus desejos
na hora derradeira
do medo de te perder
em meio aos lençóis.

O teu cheiro impregnado
no meu corpo
perfume raro que nem a chuva
leva de mim...


Bom Fim de Semana com Arte de Amar
Kiss na boxexa
www.intimomisterio.blogs.sapo.pt

 
At 12:48 PM, Blogger UMA said...

Presenteio-te uma rosa encontrei-a no caminho... não sê se esta nua ou tem um sozinho vestido... Se a riega o verão ou se embriaga de esquecimento... se alguma vez foi amada ou tem amores escondidos... És a rosa que me dá calor, és o sonho de minha solidão... um letargo de azul um eclipse de mar, mas... Eu sou satélite e teu és meu sol... um universo de água mineral, um espaço de luz que só cheias tu... Presenteio-te minhas mãos, minhas pálpebras caiìdos... o beijo mas profundo, o que se afoga num gemido... Presenteio-te um outono, um dì­a entre Abril e Junho... um raio de ilusões um corazòn ao nu... Um beijo

 
At 12:48 PM, Blogger UMA said...

;-)

 
At 4:20 PM, Blogger Ni said...

MIXTU E RAFAEL:

«Yo te amaré por todos los hombres que no te han amado,
por todos aquellos que no encontraron tu boca,
por los que no descubrieron en ti a todas las estrellas
(...)
Yo te amaré por todos los hombres que fueron ciegos,
por los que nunca te vieron y por los que cerraron sus ojos,
por los que ni tan siquiera llegaron a soñarte
(...)
Yo te amaré, amor, como si fuera yo todos los hombres»

...

Confesso que me comovi até às lágrimas...

E é ao ler poemas como este, onde a beleza da palavra nos abraça e nos embala em emoções que julgavamos perdidas... que sentimos que a POESIA é vital.

Este poema, de certa forma, provou-me que estava errada.... no meu cepticismo face ao amor... pois...
se há homens capazes de ESCREVER assim... é porque também há homens que SENTEM assim!

Rafael... Mixtu... obrigada a um por ter escrito... a outro por o ter divulgado.

Acho que hoje renasci um pouco por dentro...

Beijos

Ni*


(Gostaria muito de colocar este poema no meu blog. Posso?)

 
At 4:49 PM, Blogger mixtu said...

Ni,
Podes o publicar desde que pagues 200.000 euros ao administrador deste blog e 10 euros ao poeta...
yayaya

 
At 6:13 PM, Blogger Patricia said...

Me llenas el alma Mixtu con tu belleza en letras.

1274 besitos, amigo.
Cuidate mucho.

 
At 6:36 PM, Blogger su said...

Bela imagem...

Seja o amor,seja a vida em si, a mágoa tudo o que desperta a sensibilidade daquele que escreve fá-lo escrever e transbordar o seu corpo como taça cheia...porque necessita exorcizar as palavras...que o assaltam, que o inquietam e que o impulsionam a escrever!

Desde o fundo da alma até ao princípio de ti
A fuga destemida do grito que se enleva
Na esquina solitária de onde nos aproximamos
O encontro fugaz que se promete eterno
Entrelaça os olhares às próprias palavras
Assim nascemos nós
À sombra do candeeiro que brilha eternamente
Na escuridão da Noite
Lua companheira de nome Selene
Testemunha intemporal dos amantes secretos
Os votos e os pactos
Ao sabor da imortalidade
Correm no sangue dos que vencem a banalidade.


Um beijo grande aqui da Teia.
Bom fim-de-semana.

 
At 11:02 PM, Blogger Nilson Barcelli said...

Um mar de poesia.
Afoguei-me em tantas e tão belas palavras.
Bom fim-de-semana.
Abraços.

 
At 12:21 AM, Blogger Monica said...

Amar, soñar, vivir, es un todo de la vida misma.
Estamos a veces los poetas enamorados más de las palabras que del amor mismo, es tan profundo lo que escribimos, como lo que sentimos ???
Bellísima paradoja, total no importa, lo importante es sentir..sentir..hasta el infinito.
Besos

 
At 4:45 AM, Blogger El Navegante said...

Mixtu, mais uma vez vou te chamar bruxo, sí.
Por que nao conheço nehuma pessoa normal,que nao tenha poderes de magía especila como vc tem, que poda misturar tantos sonhos, palabras que estoran as almas dos sensívels e sonhadores, feitas pelo amor da poesía, de tantos bons amigos que vc truxo para iste templo da arte, do amor, da boas intençoes, da gente que gosta de se comunicar con iste idioma, nao é preciso nemhum outro.
E nao sei por qué, con grande emoçao,depois de olhar tanta arte falando do amor e irmandade, me lembro do mássmo hino que poderíamos canntar tudos na tua casa,Imagine, de Lennon.
Parabéns amigao, tem que ter só virdudes fnatásticas, a pessoa como vc, que foi capaz de receber tanta gente linda, talentosa, é um orgulho mesmo, poder ficar no meio de ista festa da poesía, perto de um grande como vc.
Aquele abaço para vc, e tudos os amigos e irmaos que compartilhamos ista obra da arte do ya ya ya.

 
At 5:14 PM, Blogger Maria P. said...

Encantada!

Besitos*

 
At 6:02 PM, Blogger Steki said...

Buenas tardes MIXTU: llegué hasta aquí no sé cómo pero bendigo el momento en que llegué.
Mil felicitaciones a todos los que escriben aquí poesías tan bellas, tan sentidas.
Admiro su facilidad de expresar tanto sentimiento.
Muito obrigado, Mixtu.
Beijinhos, STEKI.

 
At 6:43 PM, Blogger su said...

Um abraço com palavras a sabor de cogumelos parece-me bem! Já somos dois! E este ano a menina da cidade não foi apanhar cogumelos à terra! : )

 
At 8:02 PM, Blogger Luisa said...

Peço-vos encarecidamente que nunca modifiquem a apresentação do vosso blog e a sua música.

 
At 9:14 PM, Blogger su said...

...de míscaros e de tortulhos...ai, ai...um arrozinho deles agora ia mesmo bem!

 
At 10:30 PM, Blogger su said...

Sim, refogados em alho...não se pode perder a original cor nem se pode mexer nos finais...felizes e porquê?!... ;)

 
At 11:07 PM, Blogger Menina do Rio said...

Mixtu, eu fiquei meio sem entender o que devo comentar. Acho que tico e teco estão dormentes de tanto escrever, sei lá, mas o que seria de nós se não acreditassemos nos sonhos?

Um beijinho pra ti e vou descansar

 
At 12:01 AM, Blogger galatea said...

así está lloviendo por tu tierra?...
Aquí ya comenzamos a tener sol, a sentir un poco de calor y mucha luz (está oscureciendo a la 21:30 aproximado).
Un abrazo.

 
At 1:57 AM, Blogger Princesa Dariak said...

Uno mas bonito que otro."Yo te amarè por todos los hombres que fueron ciegos"... Asi hizo sentir su amor mi pareja, mi hombre paciente ante la rebeldia de una nòmada guerrera.
Y luego: Contigo falo sem palavras… e é no silêncio que estas me fogem…
Tal vez no entienda por completo todo el poema, pero lo siento... eso de desvestir los silencios de la noche y hacelos poemas...
bellos.
gracias.

abrazos de luz.

 
At 8:05 AM, Blogger LUA DE LOBOS said...

Não tens de me conquistar
impreterivelmente
neste milénio.
Se calhar
tens de me atirar um sorriso
ao canto da boca,
disfarçado e malandro.
Um baixar rápido
de pestanas
a encobrir a emoção
que te tocou
quando te olhei de raspão.
Um aceno rápido e fugitivo
de cumplicidades de outras vidas
agitam os teus cabelos
espessos e soltos.
Dou-te Paz.
Tu entregas-me gargalhadas.
Não tens de me conquistar neste milénio
mas se calhar
seria bem giro.

maria de são pedro

a minha contribuição para a Poesia desta Tertúlia :)

 
At 10:37 AM, Blogger Catarina said...

Caro Mixtu:

Porque e que so as mulheres e que ainda sabem escrever cartas com alma?

Se procurasse outra vez alguem seria certamente a unica exigencia imposta: que saiba escrever cartas com alma :)

(o meu carro fica na rua, tenho a sorte de morar num "arrondissement bourgeois" onde tem policia em cada canto da rua, neste caso ate gosto da policia :):))

Bjtos

 
At 11:15 AM, Blogger Baby said...

Mixtu, dizes tu "a vida é bela, é bela e é bela e na verdade sonhar é de graça..."
Nesta manhã de Domingo, estou contigo e depois de me deslumbrar na poesia deste teu post, em que cada verso é mais belo do que o outro, em que cada palavra nos penetra mais fundo, transformando tudo o que encontra em sonho, aquele sonho de que não queremos acordar.
Fiquei em estado de graça e agradeço-te porque também na tua janela vi o belo acontecer!
Um beijo.

 
At 2:02 PM, Blogger Ana said...

Belos poemas... Repletos de um sentimento lindo... Que à muito não sinto!!!

 
At 4:21 PM, Blogger azzura said...

Que bonito.. no me canso de leer! te imaginas si alguien nos lo susurrara al oído? maravilloso..

Um beijo mallorquín Mixtu;)

 
At 7:47 PM, Blogger Gi said...

Tu és terrível, eu sem tempo e vê bem o tempo que passei aqui a ler isto tudo. A tua sorte é que mereceu a pena, dei o tempo por bem empregue.

meninas envergonhadas não vão longe :)

beijinhos

 
At 8:09 PM, Blogger rendadebilros said...

E foi então que a Lua
muito tímida, sorridente
disse ao sol na noite crua
nua e escura entre fulgente
coro de estrelas brilhantes
nada mais que a ti, só te quero
a ti por impossível e quente
e o sol quedou-se por instantes
cismado e falou eu espero
este momento cada fim de dia
cada hora crepuscular
para estes segundos de harmonia
em que chegas sedenta e ansiosa
e teimamos em nos separar
entre uma lágrima de oiro
e uma aura luminosa
de um amor fugaz e imorredoiro...

Assim de rompante, minha singela homenagem à beleza das tuas/vossas palavras.
Grande abraço para o Burkina FAso...

 
At 1:48 AM, Blogger karla said...

amei a suavidade das palavras e de sentimentos...

 
At 2:30 PM, Blogger MaleNa Ezcurra said...

Hoy festejo la vida, es sagrado este post, la maravilla en las letras de los poetas que deambulan por tu espacio.

Asi da ganas de vivir, si llueve poesia.

Gracias hermano, gracias desde el alma.

Malena.

 
At 6:49 PM, Anonymous Anonymous said...

Os sonhos são sempre fonte de delicada inspiração...Vai ao encontro do sonho sonhado para o realizares...

Bjca doce num terno olharIndiscreto

 
At 10:03 PM, Blogger GK said...

Uau... Sem palavras...
#)

 
At 10:42 AM, Blogger Francis said...

Do melhor que já li!

Um abraço.

P.S. Ena, finalmente deixo um comentário quase monossilábico. :-)

 
At 2:21 PM, Blogger Betty Branco Martins said...

Querido Mixtu




_______________os sonhos______estão sempre dentro de nós





às





vezes___________tendemos





______________a






esquecer_______[...]






belíssimo poema


beijO c/ carinhO
bSemana

 
At 3:53 AM, Blogger MAYA said...

Mi querido Mixtu:

Si esas palabras me fueran dichas en estos instantes moriría de amor por el poeta. Belleza de poema caballero. Belleza impactante.

Un beso

Maya

ando por:

http://ciudadnostalgia.blogspot.com

 
At 3:55 AM, Blogger MAYA said...

Hoy tu blog se viste de poema hermosos, de poemas profundos. Noche de luna iluminada para esta amante de la buena poesía. Agradezco que hallas invitado a grandes poetas para compartir sus letras. Quedo maravillada.

Un beso y agradecida.

Maya

 
At 10:48 AM, Blogger Boop' said...

Olha...
Poesia!!!

A mim... é a natureza que me fala de poesia!

 
At 12:12 PM, Blogger tonsdeazul said...

Poemas para ouvir e silenciar nas palavras.
...
...
Um abraço azulado e quente, pois o sol nos algarves, hoje, faz-se sentir. :)

 
At 3:21 PM, Blogger inês said...

besos... besos... besssssssssssos!

 
At 3:52 PM, Blogger Rui said...

Despertar do sono envolto em nevoeiro. Dias de Dezembro.

 
At 4:48 PM, Blogger Patricia said...

Cuando la sed de amar se inscribe en tu cuerpo nace la belleza de las letras, como estás.

1274 besitos,amigo.
Cuidate mucho.

 
At 5:24 PM, Blogger Berta Helena said...

Gosto muito de poesia, entra-me na alma, faz-me reflectir, mas sinto-me incapaz de ensair passos de jeito na área.
Lamento não ser capaz de participar na tertúlia. Sei dizer é que foi bem agradável o bocado que aqui passei.

Um abraço desde esta Ilha no Atlântico.

 
At 8:40 PM, Blogger Entre linhas... said...

Os sonhos são um baluarte do príncipio de uma realidade...
Bjs Zita

 
At 1:28 AM, Blogger somentebia said...

Pra que falar de poesia? Basta-me vivê-la!

Pra que falar de sonhos? Basta-me sonhá-los!

Pra que falar de pétalas e beijos? Para enviá-los a ti, amigo, a fim de que enfeitem a tua poesia e perfumem o teu sonhar.

Com meu carinho, uma noite linda pra ti!

 
At 11:56 AM, Blogger almena said...

Hermoso el poema de Rafael Reyes.
Ese amor que "todos los versos arranca".

Un abrazo, Mixtu

 
At 12:01 PM, Blogger Lídia said...

... que talentos. Obrigada pelas palavras que me fazem voar.

 
At 1:54 PM, Blogger Santa said...

mixtu
"Bailo por entre as letras que fervilham, num caleidoscópio colorido"...Bela imagem poética.


ps: ando sem tempo mas com muitas saudades desse blog!

Bjs aqui do Brasil.

 
At 3:39 PM, Blogger Leodegundia said...

Una visita muy agradable a tu casa hoy que respira poesía por todos lados, felicidades a todos los poetas invitados.
Un abrazo para ti.

 
At 3:48 PM, Blogger antonio said...

Hecho.¡
Feito

Um abraço

 
At 7:52 PM, Blogger galatea said...

hoy llueve en mi calle,
hoy escucho música y sueño:
otros lugares, otros rostros...

TARDE EN EL HOSPITAL

Sobre el campo el agua mustia
cae fina, gracil, leve;
sobre el agua cae angustia,
llueve...

Y pues solo en amplia pieza
yazgo en cama, yazgo enfermo,
para espantar la tristeza,
duermo.

Pero el agua ha lloriqueado
junto a mí, cansada, leve;
despierto sobresaltado;
llueve...

Entonces, muerto de angustia
ante el panorama inmenso,
mientras cae al agua mustia,
pienso.

Carlos Pesoa Véliz, poeta chileno.

 
At 7:56 PM, Blogger Papoila said...

Lindíssimo senhor Mistu!
Deixa-me pois sonhar porque nas asas do sonho tornou-se realidade o amor!
Beijos

 
At 10:51 PM, Blogger Haddock said...

isto tornou-se uma autêntica desgarrada poética, mixtu!!
rais partam a nossa queda para a prosa...

abraço.

 
At 12:17 AM, Blogger Meli said...

Uy! Noooo! ese poema "Desde mi alma" es demasiado... para una mujer... es todo lo que deseo que laguien, alguna vez me diga y sobre todo, que HAGA. Hermoso, y cálido como siepre, tus posts, amigo Mixtu, desde la distancia, desde Bogotá, te pienso y recibo tu cálido abrazo, que si logra calentar mi corazoncito.
MuacKK al poeta Rafael Reyes!!!

 
At 1:02 AM, Blogger zé lérias said...

Un abrazo Mixtu, (para ti, que também és caminhante lúcido...

Caminante, son tus huellas
el camino y nada más;
Caminante, no hay camino,
se hace camino al andar.
Al andar se hace el camino,
y al volver la vista atrás
se ve la senda que nunca
se ha de volver a pisar.
Caminante no hay camino
sino estelas en la mar.
Antonio Machado

 
At 11:02 AM, Blogger Lumife said...

Como se costuma dizer amigo de meu amigo meu amigo é... entrei aqui através do Ailaif blog e fiquei maravilhado com os poemas e a participação.

Voltarei após esta quadra pois estarei ausente e sem hipóteses de contacto.

Votos de Boas Festas.

 
At 3:22 PM, Blogger Natasha said...

Hola guapo Mixtu!!


Vengo a saludaros y a deciros que ya estoy de regreso...

Lindo volver aqui, te ejo un abrazo y besos cenitales

Naty

 
At 6:02 PM, Blogger rendadebilros said...

Pois O Parque do Rio Diz fica na Guarda. Quem desca da cidade propriamente dita, vem por aí abaixo em direcção à Estação. Chega à Póvoa do Mileu, passa pelos semáforos da C*S ( Escola) de preferência que estejam em verde e chega a uma rotunda de onde logo avista o Parque à direita, segue-se em direcção à Estação, há outra rotunda um tanto estranha e vê-se o Parque todo, vira-se à direita para estacionar. Dirige-se uma pessoa ao Parque, pode -se andar de baloiço e brincar. Se não formos pequenos, passeamos ou tomamos um café...
Grande abraço...

 
At 7:04 PM, Blogger naoseiquenome usar said...

Aiiiii:)
Querido Mixtu, onde é que fica essa praia de tão risonhos destinos?... Contas-me?


Beijooo

 
At 11:08 PM, Blogger Nilson Barcelli said...

Já agora, vou deixar-te aqui um poema meu:

Correr para ti
na medida em que te falto,
é um sentir renascido
que germina oculto
na sementeira dos sentidos,
é um silêncio
que se esmaga atroador
no grito que detenho,
é um sonho
que se furta indomável
ao sono em que perduro acordado,
longe do vento e do pranto.

Fugir de ti
na medida em que te abraço,
é uma louca galopada
que mergulha
nas marés de cetim do teu desejo,
é um rasgar
da carta negra
de intenções em desertar,
é um canto profundo
na lava que nos veste,
despidos,
em fragores de rouquidão.

Vences-me sempre: mesmo esvaído
em desejos, despojas-me uma e outra vez
com o cetim inextinguível dos teus beijos.


Poema: Nilson Barcelli © Setembro de 2007

 
At 12:36 AM, Blogger Nadia said...

jajajajaja acaso te dije desaparecida, disculpame a veces se me va el avion y mas cuando regreso los comentarios en la noche jajajajajajajaa alta madrugada, le mando un abachote :D y perdon :(

 
At 7:57 AM, Blogger Trini said...

Creo que todas (sin excepción) las mujeres, desean ser amadas de esta manera.

Una poesía maravillosa-

Un abrazo

 
At 12:29 PM, Blogger MalucaResponsavel said...

Fantástico. bj

 
At 6:13 PM, Blogger rendadebilros said...

(Se ao menos fossem estes papéis aqueles de que falas ou pura e simplesmente cartas de amor... )
Grande abraço em dia de Cimeira UE- África... antes dela já tu fazias a ponte... sem "estardalhaços"...

 
At 6:53 PM, Blogger Gi said...

Deixo um beijo e uma pergunta. Para quando uma nova história?

Bom fim de semana ,

 
At 7:44 PM, Blogger Bettina Perroni said...

Amar es el mejor de los consejos que un hombre puede dar, la mejor acción que puede tomar, la mejor decisión.

Un abrazo Mixtu, buen fin de semana :)

 
At 8:05 PM, Blogger ZezinhoMota said...

Meu amigo, hoje venho compartilhar um momento especial na minha poesia.

O poema

"Sonhei que éramos duas crianças"

é dirigido à nossa querida amiga DREAMS (Eliane).

Ao visitar o meu blog vai entender.

Bom domingo

Um abraço

ZezainhoMota

 
At 8:15 PM, Blogger Baby said...

Olá mixtu, amanhá é Domingo de novo e eu tenho saudades, não sei de quê...
Um beijo, com muito carinho.

 
At 8:49 PM, Blogger somentebia said...

Vim desejar-te um final de semana semana ensolarado de alegria e fiquei a admirando a imagem da tua postagem. Adoro a chuva! Mesmo quando ela me traz tristes recordações. Quando puderes, dá uma chegadinha no meu espaço e poderás ouvir um música linda sobre a chuva numa belíssima interpretação da Mariza, cantora que nas minhas andanças pela Internet tive o prazer de descobrir. Acredito que ela seja uma das fadistas mais famosas aí de Portugal, e confesso que me encantei com a doçura da sua voz e com a emoção que ela deixa transparecer quando canta. Aliás, o fado tem o dom de nos chegar à alma de uma forma muito profunda, arrancando de lá recordações que às vezes fazem doer. Tendo tempo, amigo, vai até lá curtir um pouco da música da tua terra.

Deixo-te pétalas perfumadas para enfeitar os teus sonhos, e um beijo no coração.

 
At 8:50 PM, Blogger somentebia said...

correção: Vim desejar-te um final de semana ensolarado de alegria e fiquei admirando a imagem...

 
At 12:21 AM, Blogger Paulo Sempre said...

Há imagens que «queimam» as nossas íris e/ou desassossegam o nosso imaginário. Encontrei neste espaço «N» delas...
Abraço
Paulo

 
At 1:03 AM, Blogger Yessi said...

Nada más dulce y más complaciente que un amor que se entrega aplenitud, un amor que con solo un verso, una palabra es capaz de llevarte a lugares que jamás imaginaste, a descubrir sentimientos que ni por un segundo habrias imaginado que existian, el amor lo es todo y más, el amor te transforma, te fortalece, te permite, te halaga, te enseña, te permite ser uno con la persona que amas.

Hermoso querido amigo, todo un placer leerte, abrazos con mucho cariño.

 
At 6:59 PM, Blogger Menina do Rio said...

Se eu te amar pensarás que habitas os meus dias, mas se não te amar, como descobrir as estrelas?
Então te amarei desde minha alma...

Um beijo de cá

 
At 7:52 PM, Blogger Leonor said...

a poesia em lingua espanhola é irresistivel principalmente cantada com a voz doa agua viva
beijinhos

 
At 8:16 PM, Blogger escorpyana said...

Olá cantor,saudades de vc.Ainda espero a musica viu..rsrs.Tenha uma semana deliciosa e cheia de poesia.
beijussssssssssssssssss

 
At 11:59 PM, Blogger luci said...

de António Ramos Rosa


Uma Voz na Pedra



Estou um pouco ébria e estou crescendo numa pedra.

Não tenho a sabedoria do mel ou a do vinho.

De súbito, ergo-me como uma torre de sombra fulgurante.

A minha tristeza é a da sede e a da chama.

Com esta pequena centelha quero incendiar o silêncio.

O que eu amo não sei. Amo. Amo em total abandono.

Sinto a minha boca dentro das árvores e de uma oculta nascente.

Indecisa e ardente, algo ainda não é flor em mim.

Não estou perdida, estou entre o vento e o olvido.

Quero conhecer a minha nudez e ser o azul da presença.

Não sou a destruição cega nem a esperança impossível.

Sou alguém que espera ser aberto por uma palavra.




~

 
At 12:15 AM, Blogger ~pi said...

rosa acocorada sobre a pedra quase nada

dissolvo-me em ti nesta dupla palidez

tão leve

tão frágil

tão perfeitamente inacabada


.

 
At 1:47 AM, Blogger zé lérias said...

Faz hoje 59 anos que foi proclamada a
Declaração Universal dos Direitos do Homem.
E que tal um poste sobre o assunto?
Um abração.

 
At 2:51 AM, Blogger El Navegante said...

Para conhecer de poesías, adorei a tertulia,
pra saber um pouco de Europa , merulhé na inmensidad do mar,
para conhecer de mulheres, escuto sempre o canto das sereias,
e pra saber de amizade, chego ate vocé, sempre ate Portugal.

Muito obrigado meu irmao, pelas suas sinceras e emoçoantes palabras e pensamentos que me deixó no meu segundo cumpleblog.
Vou tornar muito cedo, no meio de um amanhecer,nacegando sempre no meio do tesouro de artistas e gente boa como vc, e os prestigiosos amigos que visitan seu templo da arte maior.
Muito obrigado, amigao !!!!

 
At 9:18 PM, Blogger Clitie said...

Como vou estar fora na época de festas, passei para desejar Um Feliz Natal e um Bom ano Novo.

Deixo ainda o convite para uma visita à Loja da Sasha Cores em www.sashacores.isgreat.org

Beijinhos

 
At 10:56 AM, Blogger un dress said...

ainda

de

mário quintana


:


Por favor, não me analise

Não fique procurando cada ponto fraco meu.

Se ninguém resiste a uma análise profunda,

Quanto mais eu...

Ciumento, exigente, inseguro, carente

Todo cheio de marcas que a vida deixou

Vejo em cada grito de exigência

Um pedido de carência, um pedido de amor.

Amor é síntese

É uma integração de dados

Não há que tirar nem pôr

Não me corte em fatias

Ninguém consegue abraçar um pedaço

Me envolva todo em seus braços

E eu serei o perfeito amor.

 
At 2:56 PM, Blogger MaleNa Ezcurra said...

Adoro estas letras tuyas, adoro sentir el amor así, adoro lo que ello conlleva.

Mi abrazo querido poeta.


MaLe.

 
At 5:06 PM, Blogger Laura said...

Olá, belas poesias, belos sentires e belas almas...
Também sou poetisa...
Beijinho a ti, no hablo espanhol...mas entendo tudo lo que se escrebe...

 
At 7:57 PM, Blogger Odel said...

Me encanta esta foto, y otras que tienesen el blog,no me arrepiento de haverme perdido por aqui

 
At 8:51 AM, Blogger OnlyMary said...

Acabo de descubrir este blog...
Preciosa poesía...preciosa!

Gracias !!

Un saludo
maryluz

 
At 9:47 PM, Blogger Å®t Øf £övë said...

Mixtu,
Gostei da sintonia entre a poesia e a fotografia.
Abraço.

 
At 5:42 PM, Blogger Shining* said...

Palavras lindas :)

 
At 5:14 PM, Blogger ~pi said...

catarse

cambalhota.

.abismo

mas

sobretudo:

blasfémia

 

<< Home

António Vega-Lucha de gigantes

_______________________________________________25.000 visitantes (Anterior counter),
ecoestadistica.com