Wednesday, April 15, 2009

Nos bailes da Serra da Estrela as meninas só dançavam com os rapazes da terra ...
(continua no 1º comentario)
.
.
.
En los bailes de la Sierra de la Estrella las muchachas sólo bailaban con los muchachos de la tierra ...
(continua en lo 2º comentario)
.
.
.
tradução: Carmiña

103 Comments:

At 1:26 AM, Blogger mixtu said...

Nos bailes da Serra da Estrela as meninas só dançavam com os rapazes da terra e sempre com a mãe à espreita não fosse o rapaz colocar as mãos em sítio errado,

Nas terras maiores, dançava-se ao som dum "jazz", composto por 4 ou 5 músicos mas nas terras mais pequenas um músico era o suficiente para abrilhantar as festas,

O meu avó, para além de pastor, tocava concertina, um dia ele foi convidado para tocar nas festas da Senhora das Dores na Aldeia da Serra, mas quando chegou, a comissão de festas informou-o que não tinha dinheiro para lhe pagar,

Um grupo de mães que viam perder uma oportunidade de desencalhar nesse dia algumas das suas filhas foram buscar um galo e fizeram rifas para sortear o bicho,

No final da festa, foi escolhida a rifa, saiu o galo ao meu avó, logo começaram a dizer que o meu avó Francisco estava feito com as mulheres… teve que fugir pela encosta abaixo sem receber um tostão pelo espectáculo,

No dia seguinte, na mesa dos meus avós… um galo assado fez as delicias da família,

 
At 1:27 AM, Blogger mixtu said...

En los bailes de la Sierra de la Estrella las muchachas sólo bailaban con los muchachos de la tierra y siempre con la madre al acecho, no fuera el chico a colocar las manos en el lugar equivocado.

En las tierras mayores, se bailaba al sonido de un "jazz", compuesto por 4 o 5 músicos, pero en las tierras más pequeñas un músico era suficiente para dar vida a las fiestas.

Mi abuelo, además de ser pastor, tocaba la concertina, un día fue invitado para tocar en las fiestas de Nuestra Señora de los Dolores en la Aldea de la Sierra, pero cuando llegó, la comisión de fiestas le informó que no tenía dinero para pagarle.

Un grupo de madres que veían que se perdían una oportunidad para deshacerse ese día de algunas de sus hijas fueron a buscar un gallo e hicieron rifas para sortear al bicho.

Al final de la fiesta, fue escogida la rifa, le salió el gallo a mi abuelo, inmediatamente comenzaron a decir que mi abuelo Francisco estaba confabulado con las mujeres… tuvo que huir por la cuesta abajo sin recibir una moneda por el espectáculo.

Al día siguiente, en la mesa de mis abuelos… un gallo asado hizo las delicias de la familia.

 
At 4:34 PM, Blogger legivel said...

... nem sabem as raparigas o que perderam por essas alturas (da Estrela e dos momentos de magia) em não me terem contratado. Tocava então -a solo, viola eléctrica, harmónica vocal, flautim, tamborim, pratos, ferrinhos e castanholas. Por isso, me chamavam o "homem dos sete instrumentos", o que provocava no elemento feminino, gritos e desmaios, por nunca terem ouvido falar em tal fenómeno.
Mas o teu avô ainda se safou com o galo o que nunca me aconteceu, embora uma vez me dessem com um pé de cabra por tentar desinquietar a filha do vereador da cultura, da terra onde tinha acabado de actuar...

abraço urbano.

 
At 9:29 PM, Anonymous Isabel said...

Bonita anécdota, me ha recordado a los tiempos de mis propios abuelos. Un beso.

 
At 10:58 PM, Blogger Vanda said...

Belo retrato de aldeia serrana nos ofereces, quase se ouve de novo a concertina do teu avô e aiiiii!!! :)o aroma de um galo cozinhado devargarzinho na lenha!

E eu nascida e criada na cidade lamento sempre não ter uma terra para onde fugir e me reciclar!

Mas o tempo tudo muda ;)

Agora temos as "Miquelinas" louras e sexys de shorts prateados e outras aberrações ;) que até podem desafinar ;)mas que no meio do barulho das luzes...ninguém nota ;)

Um abraço,

 
At 1:21 AM, Blogger Rui Caetano said...

Eram tempos que não traziam grandes diversões lá por esses lados. Por muito que digam que não, hoje é bem melhor...

 
At 2:19 AM, Anonymous Bia said...

Mais um dos teus relatos onde nos trazes outra preciosa história de família, marcada por esse cunho humorístico próprio do teu jeito delicioso de narrar.

É muito bom te ler, amigo, e o faço com grande alegria nos meus finais de semana.

Deixo-te, na oportunidade, mimosas pétalas de perfumadas flores, sorrisos colhidos na face de lindos anjos, e um beijo no coração, desejando que teu domingo junto dos familiares queridos seja vivido num clima de alegria e muita paz. Ah, e uma semana cheínha de coisas boas!

 
At 6:42 AM, Blogger Luthien said...

No, ps así ya no soy los bailes en México jajaja mi mamá no me cuida jajaja

Besos Mixtu

 
At 9:12 AM, Anonymous espelhodesombras said...

Amigo Mixtu, penso que o glorioso galo de última hora não tenha sido sacrificado em vão. E que algumas donzelas tenham sido devidamente desencalhadas.
Um ótimo domingo
João Costa Filho

 
At 11:00 AM, Blogger Carla said...

...obrigada pelo sorriso com que fiquei depois de ler estas "memórias"
bom domingo

 
At 3:02 PM, Blogger Lluvia said...

Que bello poder tener anecdotas de las personasque amamos y poder contarlas :)

Linda tu historia!

Cuidate!

 
At 4:02 PM, Blogger Claudinha said...

Ah, hoje é dia de lembrar das danças. Visitei o Oliver e ele também fala de bailes. Lembrei-me dos meus, cercada pelos olhos azuis do meu Xerife e da minha mami que não perdoavam os meninos mais ousados... Mas nunca ganhamos galos em rifas,aliás seria um pecado, visto meu pai ser atleticano e o símbolo deste time de futebol ser o galo!Rsrsrs.
Um beijo e um ótimo final de semana!

 
At 4:52 PM, Blogger rendadebilros said...

E é assim que se canta de galo... As suas cenas de um quotidiano em vias de extinção são uma delícia...
Um abraço.

 
At 4:57 PM, Blogger Mab said...

Há sempre um ganho na vida1
Nem que fosse ver as pernas roliças das meninas dançando!

 
At 6:20 PM, Blogger Menina do Rio said...

Ao menos levou o galo! Ocasião pra desencalhar as filhas? Ou seja: Baile de caça-marido. Boa!

Um beijo em tu, Mixtu

 
At 7:28 PM, Blogger Papoila said...

Olá Mixtu!
Enrolada em mantas no sofá da sala ao "borralho" neste gélido Domingo venho visitar-te e relembrar os bailaricos nas garagens...
Uma delicia esta história que me deixou a lamber os beiços a pensar no galo...
Beijos

 
At 8:48 PM, Blogger Mac Adriano said...

Nã... O galo tem uma carne rijíssima. Prefiro pitos de aviário. Abrazo.

 
At 8:57 PM, Blogger glauca said...

Por lo que veo, en aquel entonces a los "forasteros" ni el gallo :-)
Suerte que las cosas cambiaran

 
At 10:15 PM, Blogger Pandora said...

Que belas histórias têm os nossos avós e as aldeias de antigamente.

Beijos

 
At 10:46 PM, Blogger Sorrisos em Alta said...

De parvo, não tinha nada!
;o)

Um abraço
E uma óptima semana

 
At 11:05 PM, Blogger IRIS said...

Qué anécdota! Me encanta venir a tu blog y leer tan buenos post! Así da gusto!
Un abrazo muy grande majete!

 
At 11:13 PM, Blogger Isabel Romana said...

Creo que se tenía bien merecido ese pequeño premio. Y las mujeres supieron muy bien como comprensarlo por hacer felices a los demás mediante la música. Besitos.

 
At 1:48 AM, Blogger Ana said...

hehehe as mulheres é que fizeram de propósito!!!

 
At 5:48 AM, Blogger Lupita said...

Hola Mixtu: gracias por tú visita ....me gustó mucho el relato del nacimiento de tú hijo ....te felicito.

La anécdota de tu abuelo es muy bonita ...las personas mayores tienen una vida tan rica que vale la pena contarla.

Te dejo un abrazo desde México.

 
At 12:11 PM, Anonymous Credendo Vides said...

Bueno, al menos, aunque no cobró por ir a tocar (ya que no tocó), se llevó un gallo. Aunque seguro que también se llevó algún que otro grito, jejeje.
Saludos desde el Inframundo.

 
At 2:48 PM, Blogger Berta Helena said...

Olá Mixtu,

E quantas meninas conseguiu desencalhar o sacrificado galo?

Bonita história, graças ao teu inseparável (penso eu) bom humor.

E agora que já me diverti, sigo à minha vida, deixando um abraço ilhéu carregadinho desta boa maresia.

 
At 5:58 PM, Blogger Gracinha said...

Deixei um presentinho no meu blog para ti:D

Beijinho e boa semana!

 
At 8:27 PM, Blogger Yessi said...

Hermosa anecdota la que nos cuentas querido amigo....hoy día las chicas prohiben a las madres que las cuiden en un baile, ja ja ja, besos y muchos abrazos.

 
At 10:29 PM, Blogger Escorpyana said...

Cada tempo tem seu momento de alegria.seu avo ficou ainda mais alegre com o galo..rsrs.Tenha uma semana deliciosa e cheia de beijusssssssss

 
At 10:35 PM, Blogger eremita said...

Amigo, já me ri a imaginbar teu avô com a coincerina a correr serra abaixo...ao mmenos para baixo todos os santo ajudam e não tocou, o que lhe daria prazer, mas foi "pago" pela corrida.
Então já foste ver os textos no Eremitério? http://eremiterioblogspot.blogspot.com/
?
Aguardamos-te.
Fraterno abraço

 
At 11:15 PM, Blogger Robin said...

Historias que son como granos de trigo, embelleciendo los campos de la memoria y alimentando el espíritu al narrarlas.

Un abrazo.

 
At 4:37 PM, Blogger São said...

Ah!AH!
Gostei!
Não achei piada nenhuma foi ao facto de eu ser desse tempo geracional, bolas!
Abraço.

 
At 6:16 PM, Blogger almena said...

¡me ha encantado la anécdota de tu abuelo!

:)

Besos

 
At 9:49 PM, Blogger iLusiOnHada said...

Me llevó a los relatos de mi madre... Las fiestas del pueblo donde bailabas toda la noche con el primero que te sacara... y nada más...

Ahora bailar con uno solo es aburrido.. a menos que baile verdaderamente bien :)

Saludos y besos enooooormes!

Ah! necesito una traducción, me ayudas?

 
At 1:01 AM, Blogger un dress said...

o avô francisco, pois.

todos terão um avô assim?

de repente pareceu-me assim um... um destino colectivo!!

o certo é que o meu avô francisco tocava violino e acordeão...

[ não me parece que tenha chegado ao caso do legível, mas não tenho a certeza...

o certo é que também não havia vereadores da cultura no planalto.

o negócio da cultura
(as indústrias culturais de l´époque! :), andavam entre o padre e os bombeiros, e as filhas, não sendo raras,

ainda não se traduziam assim tão directamente em jobs...

ou talvez sim... num caldo não cultural... mas galináceo, mais conhecido por canja!:)

bem, mas bailes, ai bailes!, o avô era terrível, nunca se deu a nenhum trabalho normal(!),

sendo o homem mais bonito do mundo, de olhos claros e pele muito escura... sempre se ria, e embora estando, nunca estava

lembro-me que falava e falava, montes de histórias, de quando vivia aqui e ali e além...... tinha uma cadela cor de mel chamada perrita... sempre a ouvi-lo, atenta...

e eu adorava-o!

era uma verdadeira cigarra, irresistível!
e foi muito bom recordá-lo!!:)

ah e por fim,
e quanto a flores que dançam... essas então,

só nasceram mais

tarde...




~

 
At 11:41 AM, Blogger tonsdeazul said...

No meu Minho, os bailes ainda fazem muito sucesso e as mães continuam de olho bem arregalado! Nunca fui muito de bailaricos e quando ia era mesmo para ficar a ver os pares a rodopiar! :)

Mesmo sem tostões no bolso, um galo assado na mesa deve ter sabido muito bem! E acredito que o avô Francisco devia mesmo fazer sucesso entre as moçoilas da aldeia! :)

 
At 3:19 PM, Blogger Patricia said...

Linda historia ...como siempre tenemos mucho que aprender de nuestros abuelos!!


te dejo cariños mixtu

 
At 5:40 PM, Blogger Rui said...

De cabidela não é melhor?

 
At 5:46 PM, Anonymous cõllybry said...

Oi Mixtu...então os rapazitos de fora...nadita de nada...marotos, Lá na minha Aldeia,nana não era assim...

Bjcas cá do Porto

 
At 10:48 PM, Blogger Eli said...

:)

Conheço esses bailes, pastor.

:)

 
At 1:53 AM, Blogger Catarina said...

Mixtu

como os tempos mudam!!! Antigamente era um sacrificio para desencalhar as filhas! hoje em dia é filhas e filhos!!

Mas quem raio é a mulher com o juizo todo que quer estes mocinhos de hoje que vivem embrutecidos entre a televisão e os jogos de video??

Olha, se o teu avo ainda tocasse concertina fazia bem jeito para desencalhar esta mocidade adormecida :):)

Abraço;

 
At 2:40 AM, Blogger *Um Momento* said...

Olarecas!
Eo teu Avô a correr com o galo!
Estou a imaginar a cena:D
( maravilha de rifas )
E olha lá... sempre desencalharam algumas mecinhas ou nem por isso? ( brinco:)))))))))))))) )

Beijo sorridente imaginando os bailaricos lá na "nha " aldeia:D

(*)

PS:apaguei o comentário acima , não sei se de me rir , se do sono ...estava cheio de caneladas ... opssss...calinadas
( na gramática!):)))))))))

 
At 3:38 AM, Blogger Monica said...

Mmmmmmmmmmm Mixtu cuentame la verdad... este abuelo tuyo era muy pícaro.
Bonito recuerdo... se lo contarás a tus hijos y reirán juntos...si.. muy bonito.
Besos dulce Mixtu

 
At 3:50 PM, Blogger Patricia said...

Hermosa historia Mixtu.Eres muy dulce.
1274 besitos.

 
At 5:33 PM, Blogger Secreta said...

Já não foi em vão ! :)
Beijito.

 
At 10:36 PM, Blogger fgiucich said...

Como dice el refrán: más vale pájaro en mano que cien volando. Abrazos.

 
At 11:52 PM, Blogger ~pi said...

... e depois...

pois

nada...

até à data! :)



a senhora das dores, em

setembro, lindo mês,

nasceu nele, ~pi e dançou ~



nesse mesmo dia :)

 
At 11:54 PM, Blogger ~pi said...

agora... um grupo de mães...

faz-me lembrar não sei o quê...!

o que será!!? :)

 
At 11:56 PM, Blogger ~pi said...

outra dúvida:

sólo bailaban con los muchachos de la tierra...

mas porquê?

os outros não savbiam dançar!!? :)

 
At 3:06 AM, Anonymous Fusa said...

Cuentas unas historias muy graciosas ;-)

Pagar en especie era algo muy común hace años.

Abrazo euro-peo :-)

 
At 2:37 PM, Blogger São said...

Vim desejar bom fim de semana.

 
At 3:44 PM, Blogger Común said...

Hola!!!!!!!!!!

Que lindo que escribes, ¿sabes una cosa??, admiro a las personas que tienen esta facilidad.
Los muchachos bailan, ¿con las chicas del lugar??

Me gusta tu casa..........

Un besote y abrazo de oso.

 
At 4:07 PM, Blogger Baby said...

Histórias verdadeiras, simples, que nos transportam para um mundo de recordações...

É mesmo, Mixtu, acontece a todos, até ao lobo mau, até ao capuchinho, dizermos e depois desdizermos, porque no fundo achamos que nunca devíamos ter dito, nunca, nunca.
Um abraço senntido.

 
At 5:43 PM, Blogger Angela Ladeiro said...

Como avó que sou, a geração dos bailes é-me familiar. No entanto, a mãe ficava em casa...e o namorado lá ia colocando a mão...devagarinho, não fosse o pássaro voar...Gosto da história, no Minho era assim que o tempo passava. A mim saiu-me uma ovelha nas tais rifas...

 
At 7:42 PM, Blogger Haddock said...

é genético, pelo lido...
perfeito 2 em 1! e espero que o sorteio tenha rendido, tal o desespero maternal!!
filhas encalhadas, ainda para mais serranas, é chato...

abraço anárquico, pastor!

 
At 2:29 PM, Blogger BETTINA PERRONI said...

Ahhh los bailes.... ir a una de esas fiestas... claro esta! esto en estas épocas ya no se vive... yo todavía tengo el recuerdo de un baile así, era pipiola y no era mi ambiente pero si me acuerdo :)

 
At 3:15 PM, Blogger Sophiamar said...

Vim deixar-te um beijinho e desejar-te um bom fim de semana. O galo da serra é tão saboroso! Valeu a pena, o toque da concertina.

Abraços serranos

 
At 4:57 PM, Blogger Um Momento said...

Vim ao bailarico mais um pouquinho e desejar um bom fim de semana:))))))))))

(*)

 
At 7:06 PM, Blogger Eli said...

Desencalhaste num desses bailes?! Ou os homens nunca se encalham?

Beijo

 
At 1:02 AM, Blogger Blueshell said...

Bom...pelo menos o galo fez as delícias da família...


(da minha casa vê-se a serra da Estrela...tão bonita...tão possante e tão frágil...)
Um abraço
BShell

 
At 5:16 AM, Blogger Natasha said...

,,,un cuento simpático e increíble, siempre me han gustado las anécdotas llenas de peripecias

Saludos mixtu

 
At 5:22 PM, Blogger alma said...

Al gallo no le dejaron mucha escapatoria..eh

 
At 5:34 PM, Blogger Nilson Barcelli said...

Já sei a quem sais... o galo é sempre para ti... o teu´grande problema é não saberes tocar concertina...

Um pormenor importante desses tempos, era pedir à mãe para dançar com a filha. Causava sempre boa impressão.

Abraço.

 
At 7:03 PM, Blogger Leonor said...

que gente maldosa mixtu.historia gira.
beijinhos

 
At 9:17 PM, Blogger Steki said...

Abrazo cordillerano para ti, Mixtu, brindando con buen vino mendocino!
Beijinhos,
STEKI.

 
At 5:38 AM, Blogger Carminda said...

Salvou-se o pitéu.:)))
Pois dizem que era assim nas aldeias.
Cheguei a ir a alguns desses bailes, na aldeia onde nasci (vim bébé, para Lisboa) quando lá ia passar as férias em Agosto.
Fartava-me de rir com as figuras que certas mães faziam.
Outros tempos...

Beijos

 
At 1:34 PM, Blogger segurademim said...

... sempre ganhou qualquer coisinha!!!

umas espreitadelas das moçoilas, uma corrida para aquecer e um galo para papar

os músicos são uns grandes sortudo!!!!

 
At 9:41 PM, Blogger MABANA said...

Que me lo he imaginado corriendo cuesta abajo con gallo en mano...

Hermosa anécdota, cuantas cosas uno puede contar maravillosas de nuestros abuelos, a poco no??

besisismos

 
At 10:03 PM, Blogger Antona said...

Buen relato.
Um abraÇo amigo

 
At 10:18 PM, Blogger Maria P. said...

Ganda galo!:)

Besitos*

 
At 10:49 PM, Blogger Boop' said...

Baila amigo, baila!
Que eu agora sinto-me muito pesada para te acompanhar...

 
At 7:19 AM, Anonymous Trini said...

Al menos no se fue de vacío, le pagaron con el gallo:):)
Bonita historia.

Un abrazo

 
At 1:40 PM, Anonymous Anonymous said...

dancando a los sons de los mariachis... puede ser?

espero por usted en mi playa?
besitos
carmencita

 
At 4:24 PM, Anonymous Bia said...

Não encontrando nova postagem, estou deixando sorrisos e pétalas envolvendo um beijo que deposito no teu coração, com votos de uma semana ensolarada de alegria junto aos teus familiares queridos.

 
At 8:05 PM, Blogger missixty said...

Sei que aqui há uns tempos me foste visitar, mas eu tenho andado tão ocupada que quase nem comento nos blogs! Acredita que a fotografia vicia, passo horas no pc à volta das fotos!
Então houve galo caseiro na ementa! Bem bom! É mais duro, mas mais saboroso! "Tá-se" a ver a quem saiu o neto...eheheh!
No próximo fim de semana vou para outra serra, a do gerês, com passagem em Pisões e Montalegre! Tem locais lindíssimos, lagoas de sonho! Espero tirar umas boas fotos!
beijinhos missixty

 
At 10:06 PM, Blogger atp said...

E os rapazes levavam cada tampa;)

 
At 11:42 PM, Blogger Natasha said...

...una buena sopa de gallo como consuelo, para el abuelo.... mmm "peores nalgas tenía mi abuela"... jajajaja... es un dicho Mixtu, que quiere decir qué... "Peor es nada"

Abrazo para vos, mi amigo

 
At 10:15 AM, Blogger un dress said...

jazer

nudez

cauda de peixe

galo que dança:

abraço

mo ver

per mane.

.cer

vol.

.átil ~

 
At 1:00 PM, Blogger Storm said...

Bonita história :)
beijos

 
At 10:10 PM, Blogger azzura said...

Excelente querido Mixtu;;)) me encantan los relatos que nos regalas últimamente..
Um beijo! o doss....

 
At 1:12 AM, Blogger Betty Branco Martins said...

querido_______Mixtu





.as tuas






histórias______são mesmo de







.encantar:))




___eis que o galo_______cumpre o seu propósito:))










beijO____C____carinhO

 
At 9:10 AM, Blogger Menina do Rio said...

Dança-se valsa nestes bailes?

Um beijo

 
At 11:43 AM, Blogger Francis said...

Eu diria que houve mesmo marosca!

Nunca gostei de bailes nem de festas popularuchas. Talvez por não saber dançar.

Na Disco, sim. Abanava o capacete (embora, hoje me pareça também idiotice)

Mas carambita, eu reclamo de tudo, por isso não me podem levar a sério!!!

Um abraço!

 
At 1:56 PM, Blogger Lola said...

mixtu,

Vim espreitar:)))

E fiquei extasiada com o teu texto.

Não sei há quanto tempo eu não ouvia falar desse " Jazz".

As meninas só dançavam com os rapazes da terra mas miravam os outros:)))

E a rebaldaria que corria pelos milheirais no Verão...?

Beijos

 
At 2:08 PM, Blogger Gracinha said...

História bonita!
Beijinho grande e um óptimo fdsemana prolongado,ihihi:)

 
At 4:12 PM, Blogger GK said...

De facto, são estas as histórias que se contam aos netos… LOL Bom fds.

 
At 2:20 AM, Blogger Paulina said...

Jijijij bueno la suerte es la suerte mira que no querer pagarle a tu abuelo :)
Besitos Mixtu ...

 
At 11:10 AM, Blogger Baby said...

Mixtu, que saudades de ler as tuas palavras, lá, e aqui também, claro, pois são histórias que sempre têm algo a ver com as nossas recordações, são sempre muito especiais.
Quanto ao amor...ai o amor...

um beijo suave e terno.

 
At 1:48 PM, Blogger mariadosol said...

Na aldeia serrana de onde vim, havia uma moda (cantiga) popular (jocosa, brejeira como acontece muito com as modas populares) que dizia:

Raparigas de Felgueiras
Encostai o cu ao muro
Que la vêm os de Beirós
C'os moncos ao dependuro

rsrsr
Obg pela visita
Por cá voltarei
:)

 
At 3:14 AM, Blogger Yessi said...

Hola querido amigo, solo pase a dejarte un abrazo enorme, para ti Carmencita y el hermoso bebé que tienen....

Besos.

 
At 9:04 AM, Blogger Supermamá... said...

Una delicia de gallo en la mesa...jajajaa

Un besito grande amigo mío y feliz semana

 
At 10:00 AM, Blogger super.meret said...

Una historia realmente simpatica...

Gracias, por tus palabras en nuestro blog...te esperamos siempre...

Besos.

 
At 10:02 AM, Blogger Meret said...

Como siempre una delicia leerte...

Me encantó...

Besos.

 
At 9:26 PM, Anonymous cõllybry said...

Por onde andas?Serrano...

Deli e...doce meu beijo, da Invicta

 
At 1:58 AM, Blogger Gi said...

O teu avô saí com o galo debaixo do braço antes que lhe dessem uma trolitada que lhe fizesse um galo na cabeça.

Mais uma história atribulada e hilariante a que aqui eixas. Tenho estado a imaginar a cena :)

Um beijinho, boa semana

 
At 5:59 AM, Blogger Lluvia said...

Hola mixtu!!

Un gran saludo para ti!
Pasa por mi rincon que hay un detalle para ti con mucho cariño!

 
At 10:47 AM, Blogger manhã said...

adoro festas de aldeia, com o acordeão e as mulheres a dançar umas com as outras com ar de quem anda a limpar a casa, tenho saudades disso, muitas.

 
At 7:01 PM, Blogger Teresa Durães said...

lindo conto :)

 
At 12:51 AM, Blogger Tá-se bem! said...

Na Serra da Estrela e em todo o lado! ehehehehe
Boa semana Mixtu
Saludos :)

 
At 2:06 AM, Blogger DelfimPeixoto said...

Só mesmo tu!
Abraço Luso

 
At 11:23 AM, Blogger su said...

Na terra dos meus pais era mais ao contrário...as meninas da aldeia queriam dançar eram com os rapazes de fora! Que os da aldeia assemelhavam-se quase como se fossem os irmãos com os quais andavam sempre a fazer birras!

;)

 
At 9:45 PM, Blogger João Videira Santos said...

Cheguei acaso mas não é acaso dizer que...gostei!

 
At 8:01 AM, Blogger mia said...

Mitxu

voce tem una historia maravillosa

que chega a meu coraçao...

profundamente....

beijinhos e parabéns

 

<< Home

António Vega-Lucha de gigantes

_______________________________________________25.000 visitantes (Anterior counter),
ecoestadistica.com