Sunday, January 14, 2007

Os velhos...

Velhos,
gosto desta palavra,
gosto dessa gente.
No futuro quero ir para um lar de velhos
Não quero ir para um lar da 3ª idade.

Amo os seus ensinamentos,
Amo as suas verdades,
Amo os seus carinhos,
Amo as suas estórias.

Hoje, o velho Ti Manel,
Contou-me cosas do seu tempo…
Foi agricultor do amor,
11 filhos em 4 mulheres diferentes,
lamenta que não tenha encontrado as outras 3,
jurou-me que não se trata de um mito,
que há mesmo 7 mulheres para cada homem.

Contou várias estórias…
a da Ti Maria que ia à taberna,
e pedia sempre dois copos de vinho,
um para ela e outro para a comadre,
como a amiga sempre tardava,
bebia o segundo copo à saúde da companheira…
nunca ninguém viu a comadre.

Um dia,
houve um crime horrível,
violaram e mataram uma rapariga,
vieram os cães da policia,
o povo seguiu os animais até a uma casa,
o povo queria justiça,
só que os canídeos tinham-se enganado…
nessa habitação só vivia um velho entrevado,
o Ti Júlio, que agradeceu a Deus o seu destino…

O Ti Manel tem mais que fazer
do que estar ao sol a contar-me estórias,
“Sr. Manuel, gostava de ter a sua experiência!”.
“Sr. Mixtu, troco a minha experiência pela sua idade”.
O Ti Manuel não é um velho, é um ancião…

Como este ancião não está para me aturar,
venham daí ensinamentos…
estórias…
em forma de comentário que tenham ouvido aos velhos contar…
.
* Sr. Manuel um recado num comentário de Masgorellie "Sr. Manuel, que hay 7 mujeres para cada hombre ?
Si eso es cierto, existe un tipo que se esta pasando un tiempo fantastico con las otras 6 que me tocan."

107 Comments:

At 8:51 AM, Blogger Ni said...

Avó Rosinha... alta, loura, pele branca, olhos de um azul infinito.
Nasceu em berço de ouro, numa terrinha do Norte de Portugal, mas mais parecia menina de conto de fadas, onde as histórias terminam, sem pestanejar, num '...E foram felizes para sempre'. A história da avó Rosinha não foi tão linear. Às vezes, nas encruzilhadas da vida, há ventos repentinos e adversos. O ouro do berço transformou-se em passado, com uma orfandade precoce... e várias irmãs que a olhavam com olhos de 'devolve-nos o sorriso'. E ela devolveu.
Anos mais tarde, uma neta-menina irrequieta, fazia-a sorrir. Diferentes por fora, semelhantes por dentro.
'- Onde foste tu descobrir essa dança de palavras, meNina?'
'- No baú do teu coração, avó Rosinha.'

E ela sorria... ela sabia... que nada do que se faz com amor e verdade é em vão. Ela sabia... que ser feliz é não um direito, mas uma obrigação.

(Beijo para ti, avó Rosinha, estejas onde estiveres...)

Ni*

 
At 10:36 AM, Blogger Marta said...

maravillosa poesia y preciosa fotografía que me hace tener valiosos recuerdos. Muy bonita.
Un saludo

 
At 11:01 AM, Blogger Dinada said...

És dos meus, mixtu.Gosto de velhos, não com comiseração, mas com uma profunda admiração pela sua sapiência que partilham com quem os quer ouvir.

Beijo!

 
At 12:06 PM, Blogger Tatiana Valentina said...

que belo poema.
Ninguém pode fugir a velhice, resta-nos saber aproveitar o que ela tem para oferecer, tal como o fizemos com a infância, a juventude e a idade adulta !

 
At 12:25 PM, Blogger menina graça said...

Sabe, eu também gosto muito dos velhos lá do meu bairro. Passam a vida a entrar na Retrosaria. Não compram nada mas contam histórias dos filhos que estão longe, dos netos que quase já não conhecem, dos dias em que eram novos... velhos num bairro de Lisboa, está a ver?
Mas eu vinha mesmo só agradecer a visita à Retrosaria. Espero que fique cliente.
Um abraço

 
At 1:24 PM, Blogger Rosario Andrade said...

Ola Mixtu!
... na verdade, a velhice é UMA MERDA! E nem sequer falo da proximidade da morte e da aniquilacao...e nao me venham com hemorragias poeticas. É mesmo uma merda... as veias, os musculos, as entranhas, o pensamento, a esquivarem-se ao controlo. O isolamento, a doenca, a imoralidade de estar so. A VELHICE É UMA MERDA!...

Abracicos!

 
At 2:33 PM, Blogger Uma Mãe said...

Lindo...

 
At 2:47 PM, Blogger segurademim said...

As minhas avós são lindas!!! cheias de rugas, de roupa e de sorrisos...

Uma casou-se cedo! com 17 anos! -era um amor contrariado pelos pais que não gostavam do namorado! Ela decidida, resolveu o problema rapidamente... ao fim de um ano de namoro às escondidas, chegou-se à mãe e disse: mãe estou grávida!!! casaram-na em 4 meses... com o amor da sua vida!

Beijo ;)

 
At 3:12 PM, Blogger C@rpe Diem said...

Yo no conocí a mis abuelos.. me habría gustado;) creo que es una relación muy beneficiosa para los niños, para ambos, y que luego con los años quedan bellísimos recuerdos, momentos únicos..
Este texto tuyo Mixtu, es muy hermoso, mucho ;;))
Beijosss de azzura

 
At 3:39 PM, Blogger sonia r. said...

Boa tarde, Mixtu.
Parabéns pelo post.
Bjos.

 
At 3:47 PM, Blogger isterica said...

Uno de mis post es sobre mi abuelo. También me contaba historias maravillosas que como él nunca nadie podrá contarlas.

 
At 7:08 PM, Blogger Martuxa said...

Os avós...... têm a sabedoria e a experiência......
Sorrisos e beijitos
=P

 
At 7:25 PM, Anonymous paloma said...

Por desgracia no conocí a mis abuelos, sólo sé lo que me han contado de ellos y me hubiera gustado, como me gusta que mis hijos compartan el día a día con su abuela (mi madre), porque las cosas que ella sabe, las que ha vivido, su experiencia, yo no la tengo y es enriquecedora para ellos.

Um Beijo :))

 
At 8:11 PM, Anonymous Maria Papoila said...

MIXTU; gostei do teu poema porque gosto de velhos, sempre gostei das suas longas histórias, da sua sabedoria. Beijo

 
At 9:02 PM, Blogger Sara MM said...

Admiro a tua coragem...
... pois, porque se não é coragem é capacidade de "filtrar" as coisas más (da velhice)!

Tb adoro conversar com velhotes (velhos nem consigo escrever!) mas vou ouvindo sempre um "zumbido"... algo que me vai recordando a sua solidão, saudade dos seus, saudade de ser capaz!!

E sinto medo, muito medo! Nem sei se quero lá chegar! às vezes penso (mesmo convencida) que morrer cedo é uma vantagem...?! Bem vejo o que sofrem as minhas avós... e o que sofreram os meus avôs!

BJs gds.
PS - O texto tá lindo!

 
At 9:06 PM, Blogger Cruzeiro said...

Ninguém gosta de envelhecer, mesmo que seja sinal de sabedoria, mas é o curso da vida, e há que ter respeito e tratar com dignidade quem tem a sorte de lá chegar...O que nem sempre acontece.

 
At 9:11 PM, Blogger Sara MM said...

Mas digo-te qual foi a história (sim, porque hoje, essa já não é um estória) que mais gostei de ouvir o meu avô contar:

Era médico, e por muitas vezes lhe bateram à porta para um urgência... e lá ía, de burro atender o necessitado...

Uma vez, foi durante a noite, de burro, durante muitas horas, até chegar à casa de uma senhora que ía ter um parto.
O bebé lá nasceu e tudo bem!
Mas caíu uma chuvada "daquelas" e não conseguiu passar o rio de volta a casa...
A minha avó nada soube dele no dia seguinte! Só soube que estava bem quando ele chegou, no outro dia!

Da minha avó contar, o que mais me marca são as coisas terríveis que sofreu, mais o seu pai, devido ao Salazar...

Da minha outra avó, adoro as já antigas "fofoquices" sobre os que eram "produtores de filhos" LOL

BJsss

 
At 9:15 PM, Blogger romero said...

un texto hermoso, a mi me gusta de viejitos
abrazo

 
At 10:52 PM, Blogger Rosmaninho said...

Alice, Antónia e Antónia três velhinhas bem diferentes fisicamente, a primeira magra, alta e bastante elegante, a segunda roliça e baixinha e a terceira magrinha e baixinha, baixinha, tinham todas em comum um dom... eram avós! E mimavam, mimavam os seus netos sempre com o desejo de mais mimar. A Alice oferecia rendas que fazia aos ombro, ficavam bem bonitas! A Antónia ( 1ª) era a avó bisa, "estragava" os netos e os bisnetos com brincadeiras e partidas, ensinava-os a serem malandrecos. A Antónia (2ª) fazia as melhores fatias douradas do Mundo e dava os melhores lanches do Universo que culminavam sempre com suspiros ( bolinhos feitos só com açúcar e claras). Que velhinhas adoráveis! Quando for "grande" quero ser como elas.

 
At 11:53 PM, Blogger mixtu said...

Nina:
Um grande beijo para a Avó Rosinha…e para a neta :)
Marta:
valiosos recuerdos…
Dinada:
com quem os quer ouvir, o que são poucos, infelizmente…
Tatiana:
aproveitar o que ela tem para oferecer, e acredita que é muito…
Menina:
Retrosaria é lugar de encontros e de estórias, digo eu…
Rosário:
… em castelhano, …mierda… :)
Mãe:
… que um dia será avó…
segura:
Eis uma história bonita… de amor…
Carpe diem:
relación muy beneficiosa para los niños, mucho bonito…
Safo:
… ainda é jovem, não tem estórias para contar… :)

Aos restantes, o mixtu dará uma palavra… peço desculpa mas estão a tocar à campainha… :)

 
At 12:48 AM, Blogger incondicional said...

“*Sr. Manuel, me gustaba tener su experiencia!”.
“*Sr. *Mixtu, intercambio mi experiencia por su edad”.


Me parece que Manuel se passou com isso das 7 mulheres ;-). Um beijo

 
At 2:34 AM, Blogger Poemas e Cotidiano said...

Ola Mixtu, Boa noite!
Enterneceu-me esse seu relato. Talvez porque eu admire tanto os velhos, pela experiencia que eles trazem, e pela ternura que mostram.
Meu marido, devido a problemas da vida, foi criado com seu avo. Com ele, meu marido aprendeu a ler jornal, respeitar as pessoas, trabalhar, e entender as pessoas mais velhas.
O mais engracado eh que em todos os lugares que vamos (festas, etc) se voce nos olha, estamos sempre: eu conversando com uma velhinha, e ele com um velhinho.
Que lindo seus relatos Mixtu! E tambem da Avo Rosinha da Nina (adorei Nina!).
Aqui nos EUA uma coisa que eu acho muito bonito, eh o respeito pelos velhos.
Todos eles tem um lugar ao sol.
Lembro que quando cheguei aqui em 1990, um dia levei minha filha no McDonalds e vi um velhinho (devia ter uns 80 anos) varrendo chao e limpando as mesas. Puxei conversa, e ele disse: "Ah! a sra. nao sabe como sou feliz sendo util! Aqui eu converso com criancas, e vejo a vida"..
Ate hoje me lembro daquele velhinho.
Quando a gente vai nos grandes supermercados, encontramos sempre aquelas velhinhas na porta, entregando cupons para comidas mais baratas. Elas sempre estao sorrindo, sempre alegres.
Falei para meu marido, que quando eu ficar mais velha, vai ser o meu emprego!
Conversar com pessoas mais velhas, eh tecer lendas...
Quando minha avo era viva, eu me lembro que era casada, e nas minhas ferias, viajava para ficar com ela uma semana. Ela tinha uma tremenda depressao, estava sempre na cama, e eu deitava com ela, e a fazia rir muito.
Aqui Mixtu, eh muito normal colocar velhos em Casa de Repouso. E voce sabe, eles se divertem! Jogam bingo, uns vao no quarto do outro jogar baralho, assistem televisao coletiva, eles vivem sua vida.
Um dia fui em um que fica aqui perto de casa, pois queria fazer trabalho voluntario no Sabado. E quando pensei em fazer, foi para isso mesmo, para "alem" de ajudar, APRENDER...
Queria muito ouvir suas historias, que eles falassem de seus filhos, que contassem "do tempo que eram mocos"..
Ja percebeu que poucas pessoas tem paciencia de ouvir?
Entao Mixtu, queria dizer que adorei seu relato.
Eh muito importante tambem, saber envelhecer. Aceitar a idade (eu que o diga!), e as imposicoes que a vida nos traz.

Um beijo Mixtu!
Beijos para a Nininha tambem.
Mary
PS: Nossa Mixtu, escrevi demais, desculpe. Fui viajando....nas lembrancas.

 
At 2:36 AM, Blogger Poemas e Cotidiano said...

PS: Ah..e queria completar que infelizmente ainda nao consegui esse trabalho voluntario.
Mas estou a espera!

 
At 2:56 AM, Blogger Freyja said...

hola, siempre tan lindo aqui, te paso a dejar donde me encuentro ahora, Lagrimas en la luna lo cerre, y ahora estoy en LAGRIMAS & SONRISAS y es: http://lagrimassonrisas.blogspot.com/

te espero ahi, te dejo un abrazo grande y muchos cariños

besos y sueños

 
At 6:05 AM, Blogger mixtu said...

Istérica:
También le abuelo contaba historias maravillosas a usted… esto cierto que no te tornaste ( h)istérica a escuchar las historias, dime que no… :)
Martuxa:
… e têm muito amor para dar que urge aproveitar…
Paloma:
…hijos compartan el día a día con su abuela (tu madre), es muy bueno, de cierto que vamos a tener grandes hombres o mulleres no futuro en tu casa :)
Papoila:
… a sabedoria sempre presente…
Sara MM
… não “deverá”, quem sou eu para falar no verbo dever, haver pressa de chegar a velho, mas temos que saber viver com as dificuldades, pensar positivo, às vezes é difícil, eu sei…
cruzeiro:
a dignidade, palavra sábia… e chave no assunto que se está a tratar… dignidade que é mãe (ou filha) do respeito…
Romero:
espero que les viejitos cejan felices en te pueblo…
Rosmaninho:
… história de encantar… de 3 fadas que até fazem “suspiros” de comer… ai que “malandrecos” devem ser esses meninos-netos:)
Incondicional:
Usted es claramente la mejor alumna que yo a tenido, poso te asegurar que puedes ay ser profesora de portugués, si Manuel busca las otras 3 mulleres.
Poemas:
"Para alem de ajudar, APRENDER… saber envelhecer".
A primeira parte (aplicação na prática) do teu pensamento cabe a nós, a eles... “divertirem-se”. Sobre o saber, lamento que ninguém recolha as sua estórias, são vários livros de saber fazer/estar/ser que desaparecem…
Nocturna:
“Tan lindo” es una fuerza de expresión, usted si, es bonita … :)

 
At 10:35 AM, Blogger anjoedemonio said...

Gostei muito...como gosto da "velhice"! A minha avó tem 94 anos e continua a ser linda... Contar histórias é dificil, são tantas e tão ricas as que nos contam.
:)

 
At 12:39 PM, Blogger wind said...

Tenho um grande carinho por idosos, tal como me parece que tens ao ler-te. O que me lembro de uma das minhas avós contar, era a história do rei D. Carlos, o que os maçons faziam, enfim, a passagem da monarquia para a República, tem coisas muito giras.

 
At 3:33 PM, Blogger spartakus said...

...os velhos são um peso no orçamento deficitário da segurança social...morram os velhos. ora boa tarde. minha e do Deumus. Bfsemana.

 
At 4:35 PM, Anonymous Anonymous said...

Quem é este «macho», homem de «science», que vive em Portugal, e tem esta incrível sensibilidade?

Adorava saber!

mariafpereira@netcabo.pt

 
At 4:41 PM, Anonymous Ritisabel said...

Adorei este texto, como tembém adoro estórias que os mais velhos contam, tornam-se sábios, eternos.

 
At 5:35 PM, Blogger francis said...

A antiguidade é um posto!

 
At 9:18 PM, Blogger Cucagaio said...

Houve tempos em que ser velho era merecedor de respeito, de ponto de referência para a comunidade. Hoje, pelo menos no Ocidente, ser velho é apenas mais um encargo para a família, um estorvo. Por vezes, o progresso, não signifca um melhoramento

 
At 10:21 PM, Blogger Lagoa_Azul said...

Minha avó nasceu em 15/08/1917, ainda hoje todas as manhãs, ás oito horas mais coisa menos coisa, lá vou eu a chamar para ela ir para o Centro de Dia cá da vila.
Me perco a ouvir suas histórias, enquanto observo aqueles lindos olhos de um azul sem igual, apesar de muito sofridos pela vida que nunca foi facil para ela, podia te contar a vida dela para a homenagear, mas só te vou contar uma história que se passou com ela enquanto adolescente, ainda hoje me rio.
No tempo que já não tem era no mundo, tal como ela conta, ia-se para o trabalho a pé, levavam horas para chegarem aos campos, onde trabalhavam toda a semana de sol a sol.
Numa dessas noites tinha chovido e o chao estava elamedado, ela para não sujar as saias, e como tava escuro, levantou as saias num saiote deixando as pernas a mostra, que em seu tempo nunca era destapadas....iam na caminhada, enquanto houve uma outra mulher que ao olhar para traz para saber se estavam todas bem , viu um homem com umas ceroulas brancas no fim da fila, com medo gritou para o grupo....Fugam que está ali o homem das ceroulas brancas...aquilo foi tudo a correr em debandada para a frente porque ninguem queria ser apanhado pelo homem das ceroulas brancas...minha avó também corria morta de medo porque era a ultima da fila e nao queria ser apanha...mas até que caiu, e gritou ás amigas para não a deixarem ficar para traz porque tava com medo do homem das ceroulas brancas...ao olharem para traz para a secorrer e verem que afinal o homem das ceroulas brancas era minha avó que tinha feito uns saiotes até muito acima do joelho, foi risada geral...ainda hoje eu rio a bom rir com minha amada avó, que é minha mãe duas vezes, uma porque me criou, e outra porque foi quem de mim cuidou depois que minha mãe faleceu...adoro minha avó e todos os idosos com quem me cruzo...os acho um doce.
Desculpa meu testamento, que foi tao grande ou maior que teu post :)

Beijos com carinho.

 
At 1:32 AM, Blogger MYE said...

:)

 
At 1:34 AM, Blogger blue note said...

Ainda bem que escreveu este texto maravilhoso sobre os velhos que todos seremos, mais tarde ou mais cedo.
A sua sensibilidade é enorme.
Um abraço

 
At 3:24 AM, Blogger Silvio Vasconcellos said...

Olá, Mixtu!
Que delícia de história... Vá até o www.antesqueanoiteca.blogspot.com e visite o meu velho.

Um abraço do sul do Brasil!

 
At 4:55 AM, Blogger Mac Adriano said...

Ó Mixtu, sabes galego, pá! Quanto a velhos, há que ser hipóc... digo, politicamente correcto. Não são velhos, são idosos; não são pretos, são negros; não são contínuos, são auxiliares; não são assassínios, são danos colaterais; não são ladrões e corruptos, são senhores políticos, etc, etc, etc. Há que moderar essa linguagem, homem.

 
At 10:26 AM, Blogger mixtu said...

@anjoedemónio:
94 aninhos... tens que lhe ensinar a fazer um blog... :)
@wind:
Fiquei sem saber se a tua avó é/era republicana ou, como eu, monárquica.
@Spartakus: És tão boa pessoa! Temos que fazer uma peça de teatro... tudo indica que os velhinhos vão viver para sempre... de repente… entras no palco e dizes: "Morram os velhos".
Sucesso total...
@Ritisabel:
Vejo que queres guardar a sabedoria deles só para ti... :)
@Francis:
Há frases que dizem tudo...parabéns militar...
@Cucagaio:
Eis um tema para o teu blog (digo eu), o papel dos velhos nas diferentes sociedades...
@Lagoa Azul:
Obrigado pelo teu comentário...era o que eu desejava... uma estória...
um blog vale não só pelos posts... estou muito sensibilizado...
Este comentário vai ser post, no teu blog ou quando eu voltar a esta matéria neste nosso blog...
@Mye: :)
@Florinda:
Linda Flor...
@Silvio:
Já fui lá... e adorei... e vou voltar...
@Macaco:
Para quem não conhece (bem) o macaco ele é o Homem sempre atento... e só diz verdades... homem sábio... esteve no tsunami, nos acordos de alvor, camp david ...

 
At 10:34 AM, Blogger antona said...

Amo os seus ensinamentos,
Amo as suas verdades,
Amo os seus carinhos,
Amo as suas estórias

ellos son nuestra historia...
salu2

 
At 11:03 AM, Blogger Mónica said...

Velhos! Não sei o que são, talvez sapatos cuja sola rompeu e já não tem conserto...

Pessoa mais velhas, senhores de uma experiência extraordinária, pedagogos natos que seguiram o percurso natural da vida e estão agora ao nosso dispor para nos transmitir o melhor que a sua vida teve.

Um grande beijinho aos meus avós, aos meus queridos avós...

Adorei

:)

 
At 12:39 PM, Blogger sem cantigas said...

não gosto de velhos, nem de velhas, um dia serei, por pouco tempo espero :-)

 
At 3:11 PM, Blogger manda-chuva said...

Essa da TMN... foram bons tempos, não foram? Agora, não creio...
Bem, claro que podes utilizar sempre a fantástica caixa do bananasdarepublica!

 
At 3:14 PM, Anonymous aflores said...

Alguns "velhos" foram (são) os meus professores preferidos: Avô Santos, Ti Alfredo, Sr.Campos, João do Pomar, Baixinho...só para mencionar alguns. Mas, infelizmente, outros velhos há esquecidos, abandonados, mal tratados...mas isso são outros histórias.

 
At 3:32 PM, Blogger Milongas said...

A veces me gustaría entender más portugués! para no perderme ni una palabra de lo que escribes. Tienes razón, los viejecitos son un pozo de sabiduría calma y entendimiento. Hay un proverbio africano que dice que cuando un viejo muere es como si se incendiara una biblioteca, por todo el conocimento perdido!
Beijinhos! (no se si se escribe ásí!)

 
At 3:51 PM, Blogger marlencita said...

Hermoso blog... lindo poema... traté de leerlo con el acento de ustedes y me imagino que sonaba mágico.
Nos leemos.
m

 
At 4:15 PM, Blogger polittikus said...

Bom texto. Sabes não me vejo como idoso. Porque não vou lá chegar, talvez por isso os respeite tanto...

 
At 5:01 PM, Blogger Bohemia said...

Bello mensaje, gracias por agitar nuestras conciencias!!!

 
At 5:29 PM, Blogger Darilea said...

La vejez es el baul que nos quedará después de la larga vida.
Besitos.

 
At 5:55 PM, Blogger Cruzeiro said...

Bom fim de semana.

 
At 6:11 PM, Blogger mixtu said...

@antona:
bien venido...hombre... :)
@mónica:
...pedagogos... e se abrisse-mos uma escola cujos os pedagogos fossem os velhos, única disciplina: "estórias"
@semcantigas:
Que mau humor :) pareces uma velha :)ups... eu gosto dos velhos, pareces uma nova :)
@Manda-chuva:
Há informaçõse na posse do Mixtu que valem ouro...
@aflores:
Foi essa a ideia que quis transmitir, e a necessidade de se preservar o seu saber...
@Milongas:
bueno, tuas palabras me encantam... en português "Estou que nem posso!"
@Marlencita:
Bienvenida a mi casa...
@politikus:
Tu com esse teu mau feitio... claro que vais chegar a velho :)
@Bohemia:
Esa es la mission: agitar, pero com cuidadito...
@Darileia:
me a gustado la idea do baul... besitos para usted...
@Cruzeiro:
Boa viagem com velho ou novo, o importante é a viagem ... :)

(Se o macaco voltar a falar mal do meu galego...)

 
At 6:44 PM, Blogger Elipse said...

Deixo apenas umas falas... imaginei que pudessem ser ditas pelo queixume de uma mãe velha...

Fica um pouco comigo não te vás já. Bem sei que a vida corre depressa e o tempo não chega para cuidares de tudo, os miúdos, a casa, o tempo… ginásio, cabeleireira, viagens, reuniões… e diversões.
Já me deste a sopa, caldo atrasado para animar um pouco o corpo cansado; caldo entornado quando chegas e me vês desanimada, quase desamparada; é como me sinto quando me olhas e eu te digo com os olhos – fica um pouco comigo.
Já me deste a sopa e correste para o carro dizendo que o tempo é pouco. Fique bem, disseste tu de fugida, contra os meus olhos que agora são miudinhos e já não brilham como no dia em que te dei ao mundo; e tu tão pequenina, tão dentro das minhas mãos onde agora pões um malga de sopa antes de te ires a correr. Vivo das lembranças, eu sei que tens muito que fazer.
Fica um pouco comigo, digo eu calada, desolada, quase culpada por estar ainda aqui e ser o teu desassossego de todos os dias.
Mas sabes, eu fico bem assim. Deixa-me aqui entretida. E vai, que tens a tua vida.

 
At 6:48 PM, Blogger TMara said...

tmb gosto das palvras VELHOS; VELHICE e nada de menor lhes encontro. As outras fórmulas para escmotar a idade retiram a dignidade aoprocesso de envelhecimenr«to k começa qnd somos gerados e k faz parte da vida. E gostei do "agricultor do amro...". Lindo. Bjocas doces e bom f.s

 
At 8:01 PM, Blogger sem cantigas said...

tá certo mixtu!

 
At 8:15 PM, Blogger Lunarroja said...

Por lo que cuentas,
por cómo lo cuentas,
voy a tener que hacer un esfuerzo con el portugués!!!!

 
At 12:04 AM, Blogger Poemas e Cotidiano said...

Boa Noite Mixtu!
Passei por aqui para desejar-lhe um otimo Domingo!
Estou agora a olhar o rostinho da Nina no primeiro comentario do seu post.
Que expressao linda ela tem no olhar!
Um beijo!
Mary

 
At 12:22 AM, Blogger Freyja said...

gracias por tus saludos en Sucesos.
llegar a viejos es la sabiduria tan poco apreciable a veces.
hya una cancion que lo dice que es de Serrat:
Quizá llegar a viejo
Sería más llevadero,
Más confortable,
Más duradero.

Si el ayer no se olvidase tan aprisa...
Si tuviesen más cuidado en donde pisan...

bueno una abrazo y gracias y que sea un lindo domingo

besos y sueños

 
At 12:42 AM, Blogger Cruzeiro said...

É verdade Mixtu, se a viagem for de boa qualidade não custa nada, quando damos por ela, passou, por outro lado se a viagem for de má qualidade, mesmo que se seja novo o corpo ressente-se...

 
At 12:45 AM, Blogger mixtu said...

@palavras:
Muito bonito... falas sentidas, mal ditos afazeres, adorei "tu nas mãos - outrora - e agora a malga...
estou emocionado... ainda bem que não tiveste que ir à cabeleireira :) e escreveste este comentário. Bem-haja, adelante...
@Tmara:
A velhice faz parte da vida... É o Ti Manuel fartou-se de "agricultar"
@semcantigas:
:)
@Lunarrojas: Si puedes hacer um esfuerzo... gracias, hasta siempre!
@Poemas:
...noites, ou "notes" como se diz no interior, "bo notes".
@Noturna:
Muchos sucesos para usteds, la cancion de Serrat es mui hermosa...
@Cruzeiro:
E quem fala assim é sabedora da vida, da viagem... S.E. = saludos especiais
(Vá e agora não há mais pão para malucos... caminha)

 
At 11:21 AM, Blogger Musician said...

Curiosamente tambem tenho pensado muito nos velhinhos e tenho sempre um carinho especial por eles. Gosto de os ouvir, de os ver, de os respeitar, de os acarinhar...
Gosto e sinto muito ca dentro quando vejo um casal de idosos de maos dadas e eternos apaixonados.
Adorei o post, como nao poderia deixar de ser querido ;)
Beijo grande*

 
At 11:22 AM, Anonymous the guardian said...

muito bem...chamar velho não é sinónimo de desrespeito...abraços.

p.s. isto é que é comentários: 60! parabéns, saludos.

 
At 11:38 AM, Blogger @ said...

A minha avó sempre diz " Nevoeiro ou chuva ou calmeiro".

 
At 11:53 AM, Blogger almena said...

saludos, mixtu
feliz domingo

 
At 12:26 PM, Blogger Olie said...

Hola Mixtu:
Lamento no saber más de portugués, si bien entendí varias frases de tu poema a los viejos, en algunos casos quedé obstaculizada con la piedra de mi ignorancia.
En todo caso, es notable que tienes mucha sensibilidad.
Un cariñoso abrazo:
Olie
(Desde Chile, Tierra de Pablo Neruda)

 
At 1:06 PM, Blogger Al Mutamid said...

Aprecio muito os teus posts.
E quero separar duas coisas:
A velhice
dos
Velhos.
A velhice uma chatice...
Os velhos são a memória viva dos novos!!! Pessoas a acarinhar e a admirar

 
At 1:21 PM, Blogger Mónica Rafael said...

É pena e de lamentar a maneira como os velhos hoje em dia são tratados. Quando mais novos eram cheios de atenções e carinhos, porque não é assim para sempre??? Eles não mudam....Apenas o seu corpo.

 
At 1:42 PM, Blogger Leodegundia said...

"Velhos,
gosto desta palavra,
gosto dessa gente."
Yo también prefiero la palabra viejos, que tercera edad, creo que con esto sólo se quiere esconder una realidad que a muchos no gusta.
Un abrazo

 
At 2:41 PM, Blogger Eva.M. said...

Precioso texto, aunque confieso que algunas partes me cuesta entenderlas.
Un abrazo.

 
At 3:16 PM, Blogger Polux2 said...

Mixtu,

Em tempo de presidenciais, só uma candidatura é exacta: a da velhice. E essa tem, actualmente, milhares de milhões de candidatos.

Gostei do texto.

Abraço.

 
At 4:10 PM, Blogger mixtu said...

@musician:
Também gosto de ver os velhos de mão dada, e quando dão um beijinho, são eternos apaixonados, realmente devia ter sido essa foto….
@The guardian:
Chamar as coisas pelos seus nomes…
@ (@):
As avós são muito sábias…
@Almena:
Saludos e feliz “vida”
@Olie:
Un cariñoso abrazo para la tierra de Neruda, bienvenida.
@Pato Marueco:
A “Velhice”, diferente de “velhos”, é uma chatice… como refere Milongas…cuando un viejo muere es como si se incendiara una biblioteca
@Mónica Rafael:
A ua alma não muda, têm o corpo, apenas, mais cansado… bem-vinda
@Leodegundia:
Es verdad, sólo se pretende esconder las cosas, non a la 3ª edad.
@Eva.M, :
Preciosa es tu presencia
@Polux:
Não tinha pensado nisso… o próximo presidente da república vai ser velho…

(ups… mais de 5.000 cliks no “nosso” blog…)

 
At 4:32 PM, Blogger Ruby said...

Gracias por visitar mi blog. Me ha encantado el tuyo aunque algunas partes me ha costado comprenderlas...
Besos,
Ruby

 
At 4:44 PM, Blogger Margarida Atheling said...

São poços de sabedoria!
Mas, às vezes, é preciso jeito para os levar a falar! :)

 
At 4:58 PM, Anonymous Trini said...

También prefiero la palabra viejo y me gusta oir sus palabras que siempre llevan una nota de sabiduria.

Un abrazo

 
At 5:46 PM, Blogger vadiano said...

ancião é a coca-cola

 
At 6:15 PM, Blogger Burbuja said...

La foto que has colgado, desgarradora.
Gracias y saludos y besos y abrazos.

 
At 7:16 PM, Blogger AZUL said...

Poema hermoso, voce fez-me recordar meus avôs...

Um punho dos bikos.

 
At 8:16 PM, Anonymous Anonymous said...

gostei muito do que li.

 
At 8:29 PM, Blogger zeni said...

De todos os pedintes (entre aqueles que precisam mesmo) os que me impressionam mais são os velhos, porque numa altura da vida em que já só deviam estar a descansar e ter quem olhe por eles, estão a acabar-se nas ruas a mendigar... é muito triste.

 
At 8:32 PM, Blogger ojitos said...

os velhos...com isse post ai, me lembrei da minha avo...eles tem tanto pra nos contar...as vezes sinto muita trsiteza ao saber que nao conheci muitas historias que a minha avo queria me contar..mas fico com as que me deixou, e adoro poder me lembrar dela com tanto carinho..
obrigada pela sua visita ao meu blog...vou te continuar lendo.
bjo, ate.

 
At 8:51 PM, Anonymous Marian said...

que entrañable, me ha hecho recordar lo feliz que me hacía escuchar a mis abuelos y la suerte que tuve de compartir mi infancia y sus experiencias.
Ma cuesta un poquito hacerme con la profundidad de lo que escribes, pero he descubierto que si lo escucho( leido en voz alta), me resulta casi familiar.
Un abrazo

 
At 8:51 PM, Blogger Sara MM said...

Hoje estive com a minha Avó!

Lembrei-me de ti... mas continuo a sentir o que já disse :o(

É que aos 93 anos...
BEm, podemos sempre pensar: quem nos dera lá chegar!
Mas será que sim?

BJssss

 
At 9:11 PM, Anonymous Maribel said...

Gracias por pasarte por mi blog.
¿Sabes una cosa? mi mejor amiga es portuguesa.!!
besitos
Maribel

 
At 9:39 PM, Blogger mixtu said...

Ruby:
Gracias... Te ha encantado… a puerta está siempre abierta…
Margarida:
Jeito e muito carinho, são pessoas maravilhosas, um pouco impacientes…
Trini:
También yo prefiero la palabra viejo. sus palabras tienen sabiduría. Gracias…
Bienvenida…
Vadiano:
Diz-me que gostas de coca-cola, só para ficar descansado :)
Burbuja:
La foto, si, é bonita, “desgarradora”, que palabra bonita. Gracias…
Azul:
Um forte abraço para a Galiza (?) bikos para ti também, gosto do feminino de rapaz em galego: rapaza. : ) Me gusta “tua” ventana, azul…
Zeni:
Muito triste a sorte dos velhos, a nossa falta de tempo para com eles…
Ojitos:
É bom recordar… recordar com carinho…
Marian:
la suerte que usted… de compartir mi infancia y sus experiencias. Gracias…
Sara MM:
Um grande “saludo” para a tua avozinha. 93 anos de estórias, estórias de privações e de felicidade…
Maribel:
tu mejor amiga es portuguesa, nosotros somos buena gente… :)

 
At 9:40 PM, Blogger URZULAMORRISON said...

está lindo el post...
todo lo sea verso sale del alma.

 
At 9:45 PM, Blogger missixty2000 said...

Entao queres uma história contada por velhinhos!Uma que um velhino me contou é capaz de assustar!!!
" Era uma vez um rapaz que se apaixonou por uma rapariga que morava na aldeia vizinha.Para ir até lá, tinha de se passar por uma floresta, onde habitavam muitos lobos.Mas o amor era mais forte que tudo e o rapaz todos os fins de semana, emprendia o mesmo caminho!Uma vez, atrasando-se mais um bocado nas despedidas, partiu já o sol se tinha posto!No dia seguinte, ainda não tinha aparecido em casa e então um grupo de pessoas juntou-se e foi procurá-lo! A única coisa que encontrarm foi os sapatos dele, com os pés lá dentro!!!
Eu avisei que ía assustar!!!

 
At 10:00 PM, Blogger butterfly said...

Acho k todos nós deviamos aprender com eles,muitas vezes julgamos k eles não nos vão entender os nossos problemas...mas esquecemo-nos k eles já tiveram a nossa idade e certamente já tiveram problemas parecidos, por isso ja podem dizer-nos o k é o mais certo a fazer...ou então podem simplesmente ouvir-nos k a maioria das vezes já é o sufuciente!!
Beijinhos!!

 
At 10:08 PM, Blogger Masgorellie said...

Hola Mixtu: dice este velho, Manuel, que hay 7 mujeres para cada hombre ?
si eso es cierto, existe un tipo que se esta pasando un tiempo fantastico con las otras 6 que me tocan.
saludos desde Hermosillo, capital del Estado de Sonora, de la Republica Mexicana.
somos frontera con Gringolandia.

 
At 10:12 PM, Blogger Joaninha said...

Velhos, Seniores, senescentes, idosos...bem chega para dizer que são sabedoria, experiencia, carinho e amor... e tão pouca gente se interessa por lher dar um pouco para que se sintam felizes e que continuem úteis, mesmo que nada consigam fazer...Gostei do teu escrito e mostra que estás entre os que respeitam e elevam os anos que coroam a cabeça de muita gente. Um beijo e boa semana.

 
At 10:57 PM, Blogger manhã said...

Um lar de velhos, então...o que tem mesmo de ser não pode deixar de ser!

 
At 11:47 PM, Blogger antimater said...

desculpa lá, mas sou eu que tenho vinte e uma (mulheres novas, claro...),
é a vida...

(quanto aos direitos, apenas um e aqui fica: "o único direito é nãi haver direitos"... e qualquer resistência será fatal!
mais vale seres assimilado!

 
At 12:26 AM, Blogger mixtu said...

Urzula:
… o pensamiento sale del alma. Bienvenida.
Missixty2000:
Acredita que esta tua história me deixou muito sensibilizado. Mas, ainda bem que encontraram os sapatos… :)
O lobo que o comeu também tinha o desejo de ter uma história com o rapaz… :)
… Rapaz desejado esse… : )
Butterfly:
Eles já passaram por iguais problemas, a alguns deram solução que se for do nosso conhecimento pode ser-nos útil.
Masgorellie:
También en mi caso existe un tipo que se esta pasando un tiempo fantástico con las otras 6 que me tocan. Yayayaya, saludos para usted e para lo México, ese país ancestral… bienvenido…
Joaninha:
Pouca gente se interessa por eles, vamos mudar o rumo das coisas… boa semana…
Manhã:
Lar de velhos, assim espero, para não dar trabalho aos catraios..
Al:
Que carga de trabalhos… : )

 
At 1:11 AM, Blogger naoseiquenome usar said...

Que cheguemos a velhos com toda essa carga positiva de sabedoria e que nos sintamos bem na nossa pele, sabendo-nos reconhecidos por isso!
È uma elegia bem bonita, infelizmente a contra-corrente dos dias que vivemos!

 
At 1:20 AM, Blogger Poemas e Cotidiano said...

Mixtu:
Passando para deixar os votos de uma semana cheia de bons fluidos e muita paz.
Beijos,
Mary

 
At 10:58 AM, Blogger Ana said...

Obrigada pela visita!
Beijinhos

 
At 11:40 AM, Blogger Vera Cymbron said...

A maravilhosa velhice é só para os mais sábios... ser-se velho também as coisas boas, espero dizer o mesmo daqui a alguns anos.

 
At 12:26 PM, Anonymous Maggie said...

Não gosto dessa moda que inventaram para chamar os mais velhos de idosos, coo que se a palavra velho significasse algo de ruim. Gosto da palavra velho, significa sabedoria perante a vida. Um beijo na alma.

 
At 12:42 PM, Blogger Princesa said...

Maravilhosas palavras amigo!
Sinto saudades dos meus avos todos os dias, pessoas unicas na vida.
Me deixaram tantas lembranças boas no coração...
Adorei o teu conto.
Beijos desde meu mundo :)

 
At 12:54 PM, Blogger Silvia said...

Acho que deve ser bem mais fácil ser velho! Ainda assim... quanto mais tarde melhor.

 
At 2:10 PM, Blogger {-Sutra-} said...

Excelente retrato!

Adorei este especialmente :-)

Beijo doce

 
At 3:04 PM, Anonymous Neith said...

Magnifico este teu post!! Um beijo enorme :)

 
At 4:41 PM, Blogger Cruzeiro said...

Faltava 1 comentário para os 100... E eu...quis fazer o centesimo! :)

 
At 5:20 PM, Blogger tiny*glowing*fairy said...

que pensara el anciano sentado ahi???

 
At 5:21 PM, Blogger Flor said...

saudades...
Lindo post , lindo mesmo!!!
beijo doce

 
At 5:21 PM, Blogger tiny*glowing*fairy said...

tantos años vividos, que es lo que mas invade su memoria, sus rincones ????

 
At 6:15 PM, Blogger mixtu said...

naoseiquenome usar:
Vamos fazer essa contra-corrente…
Poemas e (C)otidiano:
Paz…
Ana:
Saludos
Vera Cymbron:
Ser-se velho é bom… apesar de tudo…
Maggie:
Excelente definição de velho: sabedoria perante a vida
Princesa:
Saudades saborosas no (do ) coração…
Silvia:
Palavras certas: … mais tarde melhor…
{-Sutra-}:
Retrato bonito… doce…
Neith:
Saludos.
Cruzeiro do Tejo:
O que seria eu 100 ti? : )
Tiny_gloWing_fairY:
Niña, que te parece? :)
Flor:
Saudades… minha terra… S.Nicolau …

 
At 4:36 AM, Blogger HatA/mãe said...

Bem que devo dizer...hoje vi mais um pouquinho do seu blog, nesta madrugada serena...confesso que me diverti com o seu sentido de humor...e confesso tambem que já tinha saudades de sorrir.
Eu pensava que o seu blog fosse mais antigo, mais assim do tipo ansião...mas afinal...enganei-me.
Como está para aqui desprezadinho, ninguem lhe liga, ninguem o lê...ninguem lhe responde... se
quizer pôr o seu link lá no meu
bloguito faça favor.
Um abraço

 
At 4:49 AM, Blogger HatA/mãe said...

Uma história sobre velhinhos?
Não sei, só me ocorre, nos tempos de jovenzinha, estudante num colégio de freiras, em que todas as 6ªs feiras íamos fazer voluntariado, aos chamdos "asilos", a que agora se dá o lindo nome de lar de 3ª idade,
o nosso serviço consistia em cortar as unhas das mãos e pentear os idosos...ainda hoje me lembro do olhar...
Um abraço

 
At 9:38 AM, Blogger Mourinho said...

Tenho um velho(a)em minha vida, que eu amo mais a cada dia, porque o tempo já é pouco...
Ele é velhinha, bonita,e reguila,eu costume chamar-lhe.
O meu três tempos...
Passado, Presente,e o meu Futuro.
Velho é sabedoria.
Que bons temas.

 

<< Home

António Vega-Lucha de gigantes

_______________________________________________25.000 visitantes (Anterior counter),
ecoestadistica.com